O significado evolutivo de ser hermafrodita

No reino animal, pode ocorrer uma série de fatores que impedem a reprodução entre seres do sexo oposto. É assim que o hermafroditismo é favorecido na natureza. Em seguida, vamos contar a importância que essa característica tem no quadro evolutivo.
O significado evolutivo de ser hermafrodita

Última atualização: 07 Setembro, 2020

Seres hermafroditas são aqueles que produzem gametas masculino e feminino. Essa situação é generalizada na maioria das plantas, mas você sabia que o hermafroditismo também ocorre em animais? Aqui, vamos mostrar por que ser hermafrodita pode ser uma vantagem evolutiva no reino animal, além de dar alguns exemplos.

Sistemas de reprodução

Na natureza existem diferentes métodos de reprodução. Tais métodos variaram ao longo da história de acordo com as vantagens evolutivas que proporcionaram a cada uma das espécies, sejam plantas, animais e até fungos.

Existem dois sistemas gerais de reprodução:

  • Sexos separados. Existem seres que são machos e outros que são fêmeas.
  • Hermafroditismo. É caracterizado pela presença de órgãos reprodutores masculinos e femininos no mesmo ser.
Sistemas de reprodução

Vantagens do hermafroditismo

A teoria da atribuição sexual sustenta que o hermafroditismo é favorecido pela seleção natural quando o número de descendentes é maior nos hermafroditas do que nas populações onde os sexos são separados.

Como aponta um estudo no Journal of Evolutionary Biology sobre a biologia evolutiva, para que o acasalamento ocorra, os animais devem se mover em busca do seu parceiro. Se um organismo vive fixo a uma estrutura, sem mobilidade (como corais ou mexilhões), encontrar outro para se reproduzir é um desafio.

Por outro lado, também pode ser difícil nos casos em que o indivíduo tende a procurar ativamente um parceiro, mas, para isso, ele precisa pagar um alto custo de energia. Portanto, o ser vivo precisa gerenciar o tempo e essa despesa, para que seja eficiente tanto para se alimentar como para procurar esse parceiro.

Os animais podem encontrar um companheiro enquanto se alimentam, mas se eles se concentrarem em encontrar um companheiro, o alimento é deixado em segundo plano.

O hermafrodita é autossuficiente

Existem hermafroditas que podem se autofertilizar e, portanto, não precisam de outro ser para se reproduzir, embora isso ocorra excepcionalmente.

Além disso, enquanto o restante dos hermafroditas pode se acasalar com qualquer indivíduo da espécie que encontrar, organismos com sexos separados precisam de outro animal do sexo oposto. Portanto, o hermafroditismo é uma vantagem nessas circunstâncias.

No entanto, quando a busca por um par é energeticamente eficaz, o hermafroditismo não é uma boa estratégia de procriação. Nesses casos, a seleção natural deve agir de modo que essas espécies se especializem na separação dos órgãos sexuais.

O hermafroditismo também é útil quando a densidade populacional é muito baixa, devido à escassez de indivíduos.

 Tipos de hermafroditismo

Os hermafroditas produzem gametas masculino e feminino. No entanto, as circunstâncias em que eles se fertilizam são específicas.

A quantidade e o tipo de gametas dependerão do que melhor se adequar à atividade física do animal.

Portanto, dependendo de como gerenciam o número de células sexuais, existem dois tipos de hermafroditismo: simultâneo e sequencial.

Embora algumas dessas espécies possam alternar entre os dois tipos. Isso vai depender:

  • Da competência do animal acasalado.
  • Do tamanho da população.
  • Da relação proporcional entre os sexos.

Hermafroditismo simultâneo

Os animais que praticam hermafroditismo simultâneo são aqueles que, quando encontram um parceiro, ambos podem atuar como macho e fêmea.

A capacidade de optar por agir como um sexo ou outro pode gerar um conflito, pois os dois indivíduos escolherão aquele que for menos custoso.

Hermafroditismo sequencial

Nessa ocasião, o próprio animal muda de sexo ao longo de sua vida. Começa com um tipo e termina com o outro. Essa mudança de sexo está programada nos genes e é determinada pelo próprio ambiente.

Animais hermafroditas

O hermafroditismo ocorre em animais invertebrados e peixes. Confira alguns exemplos:

O peixe-palhaço é hermafrodita

Essas criaturas experimentam o hermafroditismo sequencial. Os peixes-palhaço nascem machos, mas chega um momento em que mudam de sexo e se tornam fêmeas.

Eles também o fazem quando as fêmeas do grupo morrem e, assim, mantêm a prevalência da população. Todas essas mudanças são reguladas por expressões hormonais.

O caracol é hermafrodita

Os caracóis são o exemplo clássico de hermafroditismo. Eles produzem gametas masculino e feminino, mas não têm a capacidade de se autofertilizar. Então, quando acasala com algum parceiro, um faz o papel do macho e o outro da fêmea.

O caracol é hermafrodita

A estrela-do-mar é hermafrodita

Embora existam indivíduos masculinos e femininos nas estrelas-do-mar, algumas espécies são hermafroditas simultâneas e outras, pelo contrário, hermafroditas sequenciais.

Tudo depende do sucesso reprodutivo

O hermafroditismo ou a separação de gênero em uma espécie ocorrerá dependendo do sucesso reprodutivo. Densidade populacional, custo de energia e capacidade de deslocamento são os fatores que mais influenciam a existência de um tipo de sistema de reprodução ou outro.

Por fim, podemos concluir que a baixa densidade populacional e a lentidão favorecem o hermafroditismo. Considerando que, se houver uma população composta por um grande número de indivíduos, onde todos eles se movem de maneira eficiente, a separação dos sexos será favorecida.

Com este último argumento, muitos cientistas afirmam que a separação dos sexos procede do hermafroditismo.

Pode interessar a você...
A curiosa reprodução do caracol
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
A curiosa reprodução do caracol

Um dos aspectos que desperta curiosidade sobre o caracol é a sua reprodução. Estes animais hermafroditas têm órgãos genitais femininos e masculinos