Sintomas da ascite em cães

junho 14, 2020
Neste artigo, vamos falar tudo o que você deve saber sobre a ascite em cães. Em resumo, trata-se de um derrame abdominal!

Também conhecida como ‘derrame abdominal’, a ascite em cães ocorre quando líquidos se acumulam – de forma anormal – na cavidade abdominal. Embora não seja um problema em si, o que preocupa os veterinários são os distúrbios causados. Neste artigo, vamos dar mais informações sobre essa doença canina.

Ascite em cães: definição e causas

Primeiramente, precisamos entender o que é a ascite em cães. Muitos dizem que se trata de um ‘acúmulo anormal de líquidos no abdômen’, mas é mais do que isso. Afinal, a ascite em si não é um problema, mas sim o distúrbio que a provoca.

Esse derrame abdominal pode ser causado por alguma patologia nos órgãos, vasos sanguíneos ou gânglios linfáticos do animal. Portanto, é fundamental levá-lo ao veterinário para que um exame completo seja feito.

Entre as diferentes causas possíveis para a ascite em cães, as mais conhecidas são:

  • Insuficiência cardíaca
  • Tumores hemorrágicos
  • Ruptura de vasos sanguíneos
  • Baixos níveis de proteína no sangue
  • Distúrbios na coagulação do sangue
  • Problemas renais (por exemplo, síndrome nefrítica)
  • Insuficiência cardíaca congestiva (ou seja, o coração não fornece sangue suficiente para o corpo)
  • Doenças hepáticas
  • Inflamação da membrana que envolve as vísceras abdominais
  • Câncer abdominal
  • Ruptura da bexiga
  • Hemorragia abdominal
  • Trauma que tenha causado a ruptura de órgãos internos
Sintomas da ascite em cães

Ascite em cães: sintomas

Os sinais de alerta em caso de ascite em cães podem ser variados e, além disso, muitos dos sintomas não podem ser detectados a olho nu. Por isso, é muito importante prestar atenção a certas mudanças de comportamento no seu animal de estimação, pois ele provavelmente vai resmungar mais do que o normal, mesmo estando deitado.

Alguns dos sinais de ascite são:

  • Ganho de peso inexplicável (abdômen com aparência inchada)
  • Distensão abdominal
  • Perda progressiva do apetite
  • Vômitos
  • Dificuldade para respirar, agitação
  • Redução da atividade física ou das brincadeiras
  • Letargia
  • Gemidos e sinais de dor para se deitar ou se levantar
  • Nos machos, também há acúmulo de líquido no pênis ou nos testículos
  • Derrame pleural por causa do acúmulo de líquidos na parede torácica

Ascite em cães: tratamento e prevenção

Se você notar algum desses sintomas no seu cachorro, é indispensável levá-lo para uma consulta com o veterinário. O profissional fará os exames que considerar adequados para diagnosticar a condição. Os exames mais comuns nesses casos são a radiografia e a ecografia abdominal. Também pode ser solicitado um exame de urina.

Quando há um diagnóstico de ascite em cães, o próximo passo é extrair o líquido acumulado no abdômen. Isso pode ser feito de diversas maneiras, embora a punção seja a mais frequente. Por fim, o líquido é levado ao laboratório para análise.

Sintomas da ascite em cães

Se a causa dessa doença for uma infecção, o veterinário também vai prescrever antibióticos para combatê-la e, se a causa for um tumor, ele poderá recomendar uma cirurgia para removê-lo. É importante saber que a ascite em cães tem cura desde que seja possível ‘atacar’ aquilo que a produziu.

Muitos proprietários se perguntam se a ascite pode ser evitada e a resposta é a mesma que a anterior: tudo depende da sua origem. A melhor maneira de evitar doenças nos animais de estimação é levá-los a uma consulta veterinária uma ou duas vezes por ano.

Além disso, recomendamos que você escolha corretamente a ração que é dada ao cachorro, a fim de evitar baixos níveis de proteína no sangue e o acúmulo de sódio. Também indicamos o uso de coleira nos passeios para evitar acidentes ou traumatismos e que o calendário de vacinação seja seguido ao pé da letra.

Dessa forma, será menos provável – embora não seja 100% impossível – que o animal sofra de ascite ou de qualquer outro problema de saúde.