O tamanduaí

outubro 19, 2019
O tamanduaí tem apenas 20 centímetros de altura e pesa meros 600 gramas.

O tamanduaí é endêmico da América Central e do Sul e pertence ao gênero Cyclopes. Neste artigo, vamos contar tudo que você precisa saber sobre esse mamífero tão peculiar.

As sete espécies de tamanduaí

Até alguns anos atrás, acreditava-se que havia apenas uma espécie de tamanduaí, o Cyclopes didactyla. Esse animal de hábitos noturnos havia sido analisado pelo naturalista sueco Lineu em 1758, durante as suas expedições à América do Sul e Central.

Durante mais de dois séculos, todos os biólogos e pesquisadores aceitaram a teoria do europeu, até que um trabalho realizado pela Universidade Federal de Minas Gerais mudou tudo.

Atualmente, sabe-se que não há uma… mas sim sete espécies de tamanduaí! Eles vivem entre o sul do México e o norte da Bolívia, principalmente na Amazônia.

As sete espécies de tamanduaí
Fonte: http://www.robinsonlibrary.com/

Embora ainda não haja muitas informações sobre os outros seis ‘primos’, a sua distribuição geográfica já foi nomeada e determinada:

  1. Cyclopes dorsalis: vive no México, Colômbia, Equador e América Central
  2. Cyclopes ida: pode ser encontrado na Colômbia, Equador, Peru e Amazônia
  3. Cyclopes catellus: vive nas yungas amazônicas e na região de Santa Cruz, na Bolívia
  4. Cyclopes rufus: seu habitat está localizado no Brasil e na Bolívia
  5. Cyclopes Thomasi: pode ser encontrado na Bolívia, no Brasil e no Peru
  6. Cyclopes xinguensis: vive na bacia do rio Xingu, no Brasil

Cyclopes didactylus

Esta é a espécie que ‘inaugurou’ o gênero Cyclopes e que atualmente é conhecida como tamanduaí devido ao seu tamanho reduzido em relação aos outros vermilíngues. O tamanduaí recebe vários nomes, tais como tamanduá-cigarra ou tamanduá-seda.

O Cyclopes didactylus é nativo da América do Sul: o seu habitat é limitado pelos rios Orinoco, Negro, Amazonas e Xingu. Pode ser encontrado nas florestas da costa atlântica nos seguintes países: Brasil, Trinidad e Tobago, Venezuela e Guianas.

Quanto às suas características físicas, vale a pena ressaltar que o seu pelo é único entre os mamíferos: sedoso, amarelo e amarronzado com brilhos dourados e linhas na cor cinza bem visíveis nas patas.

Tamanduaí

Fonte: https://www.iucnredlist.org

Ao contrário de outros tamanduás que são de grande tamanho, o tamanduaí não passa de 20 centímetros de altura e de 600 gramas de peso. O rabo tem o mesmo comprimento do corpo. No entanto, a relação entre crânio e tronco é maior do que nas outras espécies.

É um animal solitário, de hábitos noturnos e arborícolas, pois se desloca entre os galhos e cipós enquanto se apoia com as patas traseiras e se move com o rabo preênsil.

Graças às garras das patas dianteiras, ele abre buracos nos troncos e nos galhos e, em seguida, introduz a sua língua comprida e pegajosa, capturando assim o seu principal alimento: as formigas. Além disso, outros insetos também podem fazer parte da sua dieta, como um complemento.

Quando se sente ameaçado, o tamanduaí fica em pé sobre as patas traseiras, levando o corpo para a frente. Ao mesmo tempo, ele levanta os ‘braços’ e coloca as garras afiadas das mãos nas laterais do rosto, para mostrar como é feroz.

No que diz respeito à reprodução, os animais se reúnem apenas durante a temporada de acasalamento. Ambos os pais procuram um buraco nas árvores para construir o ninho.

A gestação dura aproximadamente três meses e a cada nascimento nasce apenas um único filhote, que recebe os cuidados tanto da fêmea quanto do macho. Este último é o responsável por carregar o bebê nas costas se tiverem que se deslocar pela floresta.

O tamanduaí é um animal realmente curioso, ainda pouco conhecido, mas que faz parte dos ecossistemas de selva e floresta das Américas Central e do Sul.

del Valle Jerez, S., & Halloy, M. (2003). El oso hormiguero, Myrmecophaga tridactyla: Crecimiento e independización de una cría. Journal of Neotropical Mammalogy.