Termorregulação em animais

A termorregulação é definida como a habilidade de um organismo biológico de modificar sua temperatura dentro de certos limites. Esse mecanismo é essencial para a vida.

Última atualização: 01 Novembro, 2020

Os animais não têm avós amáveis ​​para fazer cachecóis de lã quentes para aquecer durante o inverno rigoroso, nem têm ventilador para se refrescarem um pouco quando o calor chega.

Mas você não precisa se preocupar, pois eles possuem mecanismos adaptativos, fruto de milhares de anos de evolução, que são responsáveis ​​por manter sua temperatura corporal o mais confortável possível.

Nós, como animais que somos, também temos essas ferramentas, mas de uma forma mais rudimentar. Esse mecanismo interessante é chamado de “termorregulação”. Aqui vamos contar tudo o que você precisa saber sobre esse assunto.

Conceito da termorregulação

A termorregulação, como o próprio nome sugere, consiste em regular a temperatura, nem mais, nem menos. Esse conceito se refere aos mecanismos fisiológicos internos dos indivíduos que lhes permitem regular a temperatura corporal.

Essa ferramenta tem sido fundamental na corrida evolutiva, visto que a temperatura é um dos fatores determinantes que condicionam o meio ambiente. Um animal que não consegue regular sua temperatura corporal não poderia, por exemplo, sair para caçar em climas muito quentes, nem sobreviver a uma forte nevasca.

A termorregulação como elemento classificador

Lembrando as aulas de biologia, o conceito de animais de “sangue frio” ou “sangue quente” que os professores explicaram na escola é familiar para todos nós.

No entanto, esses termos se tornaram obsoletos ao longo do tempo, uma vez que não levavam em consideração exatamente o conceito que se pretendia transmitir ou todos os cenários possíveis que surgiram na natureza. Portanto, a classificação correta que os biólogos propuseram seria a seguinte:

  • Animais ectotérmicos: indivíduos cuja temperatura provém do ambiente externo. Ou seja, se o sol esquenta, o animal esquenta. Se não estiver ensolarado, ele permanece frio. Por exemplo, os lagartos.
  • Animais endotérmicos: ao contrário, são aqueles em que a temperatura vem de dentro do animal. Faça frio ou calor, o animal continua mais ou menos quente. Por exemplo, os cachorros.

A termorregulação em animais ectotérmicos

Como a fonte de calor vem de fora, são animais que dependem do meio ambiente para regular a temperatura corporal. A essa altura, é preciso notar que esses seres vivos produzem um pouco de calor interno, mas não o suficiente para que consigam regular sua temperatura.

Alguns dos mecanismos que esses animais usam para regular a temperatura são os seguintes:

  • Banho de sol: não há melhor fonte externa de calor do que o sol, então um método simples e eficaz de aumentar a temperatura corporal quando o animal está frio é se expor ao sol e deixar sua temperatura corporal subir. Por isso é tão comum ver lagartos em rochas expostas ao sol.
  • Banho: existe melhor maneira de se refrescar no calor do que tomando um banho? Os animais usam essa estratégia quando a temperatura corporal aumenta e eles querem se refrescar.

Termorregulação em animais endotérmicos

Esses indivíduos, inclusive os humanos, aumentam a temperatura corporal com mecanismos internos e possuem ferramentas para controlá-la. Vamos ver algumas delas.

Suar e ofegar

Embora possam parecer diferentes, seguem um princípio semelhante: resfriamento evaporativo. Animais com glândulas sudoríparas se resfriam produzindo suor que, quando evapora, gera uma queda na temperatura. Quando os animais ofegam, fazem com que a temperatura caia através da evaporação que se produz na língua.

Arrepio

Esse mecanismo nada mais é do que uma contração involuntária dos músculos e, quando os músculos trabalham, produzem um aumento imediato da temperatura. É uma pena que a contração que ocorre ao tremer não sirva para nos deixar em forma.

Vasoconstrição e vasodilatação

Esse sistema é realmente eficaz na regulação da temperatura corporal. Quando a temperatura externa cai e o animal precisa mantê-la, ocorre uma constrição da circulação periférica. Dessa forma, a quantidade de sangue que circula nas extremidades se reduz.

Esse é o mecanismo que produz necrose nas extremidades quando está muito frio, por exemplo, em montanhistas que ficaram presos. Se a vasoconstrição persistir por muito tempo, o fluxo sanguíneo é interrompido e o membro fica sem irrigação, resultando em necrose.

O sistema oposto é a vasodilatação, que produz um aumento na circulação sanguínea periférica. Dessa forma, o calor é dissipado e a temperatura interna do corpo é reduzida.

Como vimos, os mecanismos de regulação térmica dos animais são muitos e variados. Mesmo assim, podemos dividir os animais em dois grandes grupos de acordo com a forma de obtenção de calor: ectotérmicos e endotérmicos.

Pode interessar a você...
Mis AnimalesLeerlo en Mis Animales
Animais adaptados ao frio extremo

Para esses seres, baixas temperaturas ou neve são parte de suas vidas e, por isso, fazem as mudanças necessárias para sobreviver.