Terrier Tibetano: dos templos às nossas casas

· maio 15, 2018
Depois de ser um cão que se dedicava à proteção do gado, ao longo do tempo tornou-se um animal capaz de proteger a família. Sua origem remonta há 2.000 anos, na região do Tibete.
O terrier tibetano era originalmente um cão que protegia o gado e sua família dos intrusos. No entanto, sua grande personalidade o tornou um cão muito valioso para companhia. Ele viveu em templos budistas como convidado de honra e, recentemente, conquistou o Ocidente também.

História do Terrier Tibetano

Não se sabe exatamente quando o terrier tibetano apareceu pela primeira vez. Entretanto, sabemos que a raça tem quase dois milênios de idade. Como o próprio nome diz, surgiu no Tibete. Seu trabalho principal era guiar e proteger o gado. Entretanto, ele é menor do que os cães pastores mais conhecidos.

Como tinham excelente caráter e também eram cães de guarda, logo foram incorporados à vida dos nômades. Esses cães ofereciam proteção à noite e ajudavam com o gado durante o dia. Sabemos também que muitos deles viviam em templos budistas e eram muito queridos.

Apesar de seu nome, não é um cão terrier, ou seja, um caçador de pequenos mamíferos. Ele é um cão de guarda. Esse nome é um erro, pois, quando chegaram à Inglaterra, no início do século 20, foram classificados pelo tamanho. Como eram semelhantes a outros terriers, não foi investigada qual era sua principal função.

Características do Terrier Tibetano

O tamanho do terrier tibetano é curioso. É grande para os padrões dos terriers, mas é pequeno para um cão que guia o gadoEles medem entre 35 e 40 centímetros até a cernelha. Embora o padrão da raça não forneça um peso indicativo, eles geralmente pesam entre 10 e 16 quilos.

Sua característica física mais característica é seu pelo comprido. Todo o corpo é coberto com um pelo longo, liso ou ondulado. Esse pelo é mais longo na barriga, nos ouvidos e na cauda. Dizem que ele tem barba e até os pés são cobertos por sua própria pelagem.

 Comportamento do terrier tibetano

Devido a essa característica, é um cão de aspecto robusto e quadrado. Suas características faciais não são fáceis de distinguir devido ao seu pelo. As orelhas são arredondadas e inclinadas, embora sejam muito altas. Elas são confundidas com o resto da cabeça. A cauda fica encaracolada nas costas.

Comportamento do Terrier Tibetano

O caráter deste cão tornou mais fácil para ele deixar seu trabalho nas montanhas e se tornar um cão de companhia. Por isso, podemos dizer que o terrier tibetano é um cão com um caráter afável, familiar e guardião.

Ele é carinhoso e atento à sua família humana, embora possa suspeitar de estranhos. Também é um cão versátil. Por isso, embora esteja habituado a viver nas montanhas, pode se acostumar a viver nas cidades.

Eles geralmente têm boas relações com outros cães e são brincalhões. Entretanto, podem ser teimosos ou independentes.

Você não pode forçar um terrier a obedecer. Só o treinamento positivo cria um vínculo de colaboração entre o homem e o cão que facilita a educação.

Eles não são cães capazes de passar muito tempo na solidão. Ficam ansiosos ou entediados facilmente e podem se tornar destrutivos ou excessivamente irritados. O terrier tibetano gosta de estar sempre em companhia.

Cuidados com o terrier tibetano

Cuidado do Terrier Tibetano

A maioria dos cuidados com o terrier tibetano tem a ver com o seu pelo. Ele precisa de escovação muito frequente para desfazer os nós, além de desembaraçar na mudança de cada estação. Assim, é possível facilitar a muda e remover todos os pelos mortos.

Os nós no pelo não são apenas feios, mas podem causar dor. Problemas de movimento e até dermatite e outras doenças de pele podem ocorrer por causa da pelagem.

O pelo dessa raça de cão é formado por duas camadas: a externa e a interna. É lanoso, o que o protege de temperaturas extremas, tanto de frio quanto de calor. Por isso, embora você possa cortar o pelo para limpá-lo ou para facilitar a higiene, nunca deve tosá-lo.

Quanto à saúde, essa raça de cão é geralmente saudável. No entanto, visitas regulares a um veterinário para certificar que estão em boa saúde não devem ser negligenciadas. Os olhos e ouvidos não devem ser esquecidos, porque as características físicas desse cão facilitam as infecções.

O terrier tibetano não é um terrier, apesar do seu caráter teimoso, mas afetuoso, fazer com que pareça um deles. Ele teve sua origem na China e pôde viver por gerações nos templos tibetanos. Sua personalidade tornou mais fácil para ele deixar as montanhas e se tornar um cão de companhia.