Tipos de cobras na Espanha

fevereiro 23, 2019
A maioria desses répteis é inofensiva, embora haja algumas espécies venenosas. No caso da Espanha, existem exemplares que podem medir até 2,5 metros de comprimento.

Os diferentes tipos de cobras existentes formam uma das mais numerosas famílias de serpentes conhecidas. Elas podem ser encontradas em quase todos os continentes, exceto na Antártida. A seguir, veremos os tipos de cobras que vivem na Espanha.

Existem diferenças entre cobras e serpentes?

Cobras e serpentes não são exatamente o mesmo tipo de animal. Quando falamos de serpentes, nos referimos a um subgênero, pertencente ao gênero dos répteis.

Os répteis compreendem um grande número de animais, incluindo, além das serpentes, crocodilos, lagartos, tartarugas, etc.

No subgênero das serpentes encontramos várias famílias, dentre as quais podemos destacar as seguintes:

  • Família dos Elapidae: serpentes marinhas, cobras, mambas e cobras corais
  • A família dos Viperidae: víboras
  • Família Colubridae: cobras

Quantos tipos de cobras existem?

Quando falamos de animais silvestres, torna-se muito difícil especificar o número de membros de cada família, gênero ou subgênero.

Atualmente, estima-se que existam mais de 1,8 mil tipos de cobras, espalhadas por todo o mundo.

A maioria das cobras são de tamanho médio, inofensivas e um pouco tímidas. No entanto, algumas espécies, como a cobra de escada e a cobra d’água europeia, têm um veneno letal.

Tipos de cobras na Espanha

A península ibérica se destaca no continente europeu por sua grande biodiversidade de cobras. Das 45 espécies de cobras que vivem na Europa, 15 delas estão na Espanha. Isto inclui os seguintes 9 tipos de cobras nativas da península:

Cobra viperina (Natrix maura)

A cobra viperina – imagem que abre este artigo – é uma das mais famosas cobras d’água do continente europeu.

Elas podem ser encontradas não apenas na Espanha, mas também em Portugal, Itália, França, Suíça e Norte da África. Habitam principalmente lagos e lagoas, onde podem facilmente se alimentar de anfíbios e peixes.

São cobras de tamanho médio, que geralmente medem entre 60 e 80 centímetros de comprimento total.

Existem variedades de cores diferentes: as mais comuns são as pretas melânicas e as com uma linha dupla dorsal que ‘decora’ todo o seu corpo.

Cobra de escada (Rhinechis scalaris)

Elas são maiores e mais robustas que as anteriores, e seu corpo pode exceder 1,5 metros de comprimento. É considerada a cobra mais urbana da Espanha, pois pode viver em parques, lixões e casas abandonadas. 

As cobras de escada adultas destacam-se pelas suas intensas cores avermelhadas e castanhas, e pelas linhas pretas que correm ao longo das costas.

Cobra de escada (Rhinechis scalaris)

Cobra bordalesa (Coronella girondica)

Elas são fáceis de serem reconhecidas por causa da notável mancha em forma de U e da coloração preta que exibem em suas cabeças.

Além disso, são geralmente menores que os outros tipos de cobras na Espanha. Vivem principalmente em florestas e arbustos, mas também podem ser encontrados em campos de cultivo.

Cobra bordalesa (Coronella girondica)

Cobra lisa austríaca (Coronella austriaca)

Está entre os tipos mais raros de cobras no continente europeu, uma vez que apenas habita as cadeias de montanhas com vegetação abundante.

É completamente inofensiva, apesar de ter veneno, já que sua dentição não permite a inoculação em outros animais.

Cobra lisa austríaca (Coronella austriaca)

Cobra rateira (Malpolon monspessulanus)

É a maior cobra que podemos encontrar na Europa, com um corpo de até 2,5 metros de comprimento.

Destaca-se também pela sua notável beleza e caráter agressivo. Embora tenham veneno e possam inoculá-lo, é muito raro atacarem, mas a prevenção é sempre indispensável.

Cobra rateira (Malpolon monspessulanus)

Cobra ferradura (Hemorrhois hippocrepis)

Elas devem seu nome às manchas escuras peculiares que cobrem suas costas, com uma forma muito semelhante à de uma ferradura. Vivem principalmente em bosques e florestas secas, em toda a metade sul da Europa e, também, no norte da África.

Cobra ferradura (Hemorrhois hippocrepis)

Serpente lisa falsa ibérica (Macroprotodon brevis)

Trata-se de pequenas cobras que geralmente são reconhecidas pelo focinho curto e pela cabeça com notável depressão.

Uma curiosidade desta espécie é que elas podem ‘se fingir de mortas’ para enganar os predadores em potencial.

Cobra chicote do Oeste (Coluber viridiflavus)

Possui cores marcantes e belas quando em idade adulta. Estas cobras são mais numerosas nos outros países do Mediterrâneo, como a Grécia e a Itália, mas habitam os Pirineus espanhóis.

Cobra chicote do Oeste (Coluber viridiflavus)

Serpente Aesculapian (Zamenis longissimus)

É uma cobra bem conhecida, uma vez que acompanhou historicamente o deus grego da medicina, Esculápio (ou Asclepius).

No entanto, sua distribuição é muito limitada em todo o continente europeu. São cobras de tamanho grande, que podem atingir dois metros de comprimento. Pode ser de cor marrom, parda ou verde oliva.

Serpente Aesculapian (Zamenis longissimus)