Tudo sobre a alimentação de cães molossos

janeiro 16, 2019
Esses grandes cães podem, devido ao que comem, sofrer de problemas como torção do estômago e outros inconvenientes, que afetam suas articulações.

Não é segredo para ninguém que os cães molossos requerem cuidados especiais. Seu grande tamanho exige que eles sejam tratados de maneira diferente dos cães pequenos ou médios. 

A alimentação de cães molossos também está incluída nessas diferentes formas de cuidado.

Não estamos dizendo que eles são especiais ou algo assim, mas que sua dieta é um pouco diferente da de outros cães.

Devido ao seu tamanho, alguns podem sofrer com problemas de digestão se não forem alimentados corretamente.

Colossos fiéis

Os chamados cães molossos são chamados assim por causa da região de Molossia, antiga localidade grega cujos grandes cães eram um símbolo emblemático da região.

Estes cães eram grandes e especializados em várias tarefas da vida diária.

Essas tarefas incluíam pastoreio de gado, monitoramento de áreas específicas e até mesmo combate. Por essa razão, eles comem um pouco mais em comparação com outras raças.

A principal razão para isso está em seu metabolismo: seu grande tamanho requer uma maior quantidade de energia consumida diariamente.

Por exemplo, um cão de 10 kg requer, em média, 400 calorias por dia para manter seu peso ideal, enquanto uma raça grande precisa de pelo menos 2,4 mil calorias.

A ingestão de alimentos deve ser constante durante o dia, mas nem todos os alimentos são tão benéficos quanto se poderia pensar.

Esses cães precisam de uma dieta balanceada para manter seus corpos em forma, mas sobre isso falaremos a seguir.

alimentação de cães molossos

Os desafios da alimentação de cães molossos

Uma das principais razões para alimentar bem nosso filhote é evitar seu crescimento acelerado. Os cães molossos podem ser bem grandes, portanto, o crescimento acelerado pode ser prejudicial à sua saúde.

torção do estômago é uma doença recorrente nestes cães, portanto, uma dieta ideal previne esse problema. Para evitá-lo, é necessária muita disciplina, tanto do dono quanto do próprio animal.

É importante ter regras sobre as horas em que o alimento será servido, bem como o tamanho da porção. Tudo isso é feito para evitar que o animal cresça rápido demais.

E por que a ênfase no crescimento? Porque esses animais estão propensos a sofrer de problemas em suas articulações; quanto maiores eles são, maior a probabilidade de seus membros se desgastarem antes do tempo.

Além disso, o risco do aparecimento de osteoporose aumenta consideravelmente.

Além de evitar o aparecimento dessas doenças, é importante evitar o excesso de peso. Um animal com essa condição corre maior risco de sofrer do coração, o que limita sua atividade.

Pense em uma dieta ideal

Para evitar esse crescimento acelerado, a dieta desses animais deve ser mais proteica, buscando sempre reduzir a ingestão excessiva de gorduras, cálcio e fósforo.

alimentação de cães molossos

Também devemos evitar uma dieta rica em calorias, pois estas são catalisadoras do crescimento do animal.

Já a dieta com alto teor de proteína é ideal para eles: quanto mais proteína ele consome, melhor será sua saúde.

Os antioxidantes também são outro fator importante e temos que levá-los em conta na alimentação dos cães molossos.

Antioxidantes impedem que suas articulações se oxidem mais rápido que o normal, o que mantém o animal “jovem”, em certo sentido.

Além disso, os antioxidantes ajudam a combater doenças cardiovasculares e até mesmo a catarata.

Entre os alimentos naturais que têm um rico teor de antioxidantes estão: limão, laranja, tomate e folhas de chá.

Alimentos com altos níveis de fibra também são de grande importância para o animal. Este elemento ajuda a correta digestão dos alimentos.

Também ajuda a prevenir certas doenças estomacais. Além disso, ajuda a limpar o sangue de toxinas e nivelar os níveis de gordura no sangue.

Alguns hábitos para o momento de comer

  • Certifique-se de que o animal esteja calmo. Um animal estressado corre o risco de indigestão e torção gástrica. O ideal é que ele fique calmo mesmo depois de comer.
  • Lembre-se de dar carnes mais ricas em proteínas, como peixes. Se você fizer isso, lembre-se de mergulhar a carne em água quente (escaldá-la) para eliminar as bactérias que poderiam prejudicar a saúde do seu pet.
  • Nunca exceda a porção. Por mais voraz que seja o nosso cão, um excesso de comida pode causar mais mal do que bem. Mas se você quiser que ele fique satisfeito durante o dia, pode racionar sua comida e dar-lhe pequenas porções de vez em quando.