Viscacha comum: conheça esse roedor

· fevereiro 20, 2019
Este grande roedor é frequentemente perseguido por sua carne suculenta e pele. Saiba mais sobre ele. 

Lagostomus maximus é o nome científico do conhecido viscacha comum, um grande roedor que vive em territórios da América do Sul. De hábitos gregários, usa um amplo repertório de sons para se comunicar.

As únicas espécies vivas de seu tipo

Os também chamados viscacha das planícies, dos pampas ou amoreiras são as únicas espécies vivas do gênero Lagostomus. Fazem parte da família Chinchillidae.

Mas vale a pena esclarecer que, por viscacha – uma palavra da língua quéchua – também são chamadas outras quatro espécies de roedores:

  • Viscacha de Cariamanga (Lagidium sp.), encontrado no Equador.
  • Viscacha montês do Norte (Lagidium peruanum), que habita o Peru.
  • Viscacha do Sul (Lagidium viscacia), que se estende ao extremo sul do Peru, Bolívia, Chile e oeste da Argentina.
  • Viscacha montês laranja (Lagidium wolffsohni)., que vive no sul da Argentina e do Chile.

De qualquer forma, e para não sobrecarregar você com tantos dados, neste artigo vamos apenas ver em detalhes o chamado “viscacha” comum.

“Nós apresentaremos você ao viscacha comum, um grande roedor que vive na América do Sul”

casal de viscacha

Características do Lagostomus maximus

Este roedor sul-americano tem um corpo robusto e arredondado que pode atingir 65 centímetros de comprimento.

Suas patas dianteiras são curtas e, além disso, possuem quatro dedos com unhas grossas, que ele usa para cavar.

Destaca-se também pela faixa preta e larga que começa no focinho e atravessa as bochechas. Desta forma, divide uma parte branca inferior – que envolve a boca – de uma faixa branca superior, que chega até atrás dos olhos.

Entre outras características físicas da viscacha comum podemos destacar:

  • Cabeça volumosa
  • Olhos grandes
  • Orelhas médias: elas são largas na base e estreitas nas pontas
  • Focinho curto com vibrissas escuras, duras e longas
  • Possui fortes patas traseiras mais longas que as dianteiras. Possui três dedos com garras longas
  • Cauda curta, peluda e curva
  • Pelo curto, macio e de cor que pode ir do cinza prateado ao cinza acastanhado nas costas. Apresenta também um leve jaspeado ocre ou creme. A barriga é branca.
  • O macho é maior que a fêmea e tem um peso médio de 5,5 kg. Além disso, a cabeça é mais robusta e a máscara facial é mais contrastada.

Habitat e alimentação do viscacha comum

É um roedor que vive em áreas de pastagens e estepes arbustivos. É encontrado a até 1,9 mil metros de altura. Forma colônias de até 50 indivíduos, onde convivem pacificamente, exceto nas épocas de reprodução.

Nestes grupos existem entre um e três machos adultos, fêmeas e espécimes jovens. No entanto, ele não tolera membros de outros grupos.

Vive em abrigos subterrâneos (viscacheras) que cavam com suas patas dianteiras e formam túneis conectados uns aos outros. Esses locais têm várias saídas e podem chegar a 700 metros quadrados.

Quando o sol se põe, o viscacha deixa seu abrigo para se alimentar, mas normalmente não vai muito longe de sua caverna. Sua dieta é composta de ervas, arbustos e sementes.

viscachas

Mais detalhes sobre esse roedor sul-americano

A fêmea tem seu cio no outono. É então quando os machos podem travar lutas violentas. O acasalamento ocorre dentro da viscachera. Após cerca de cinco meses de gestação, nascem dois bebês com cerca de 200 gramas.

O macho atinge a maturidade sexual após um ano e meio de vida. Nessa época, os jovens espécimes tendem a se dispersar e a cavar seus próprios abrigos.

Por sua vez, as fêmeas – que amadurecem sexualmente entre oito meses e um ano – permanecem na colônia em que nasceram.

Uma espécie perseguida por sua carne e seu couro

Com uma expectativa de vida entre sete e oito anos, a viscacha comum não apresenta sérios problemas de preservação em boa parte das áreas onde habita.

No entanto, em certos locais, desapareceu devido à intensa caça em busca de seu couro e de sua deliciosa carne, preparada em conserva.

As inundações também são a causa de seu desaparecimento. Em algumas regiões, por sua vez, ele é combatido devido aos sérios danos que causa à agricultura.

Branch, L. C., Villarreal, D., & Fowler, G. S. (1994). Factors influencing population dynamics of the plains viscacha (Lagostomus maximus, Mammalia, Chinchillidae) in scrub habitat of central Argentina. Journal of Zoology. https://doi.org/10.1111/j.1469-7998.1994.tb01580.x