Vizsla ou Braco Húngaro, uma das raças caçadoras mais antigas da Europa

· maio 21, 2018

Entre as raças europeias mais antigas de cães caçadores, sem dúvida, ocupa um lugar importante o Braco Húngaro, também conhecido como Vizsla. De grande velocidade e olfato, este animal desempenha-se com destreza, seja como cão apontador, rastreador, farejador ou coletor.

Além disso, tem a capacidade para se desenvolver bem em qualquer tipo de terreno, inclusive na água. Estes belos cães se sobressaem também em exercícios de demonstração e em provas de obediência e de agilidade e, além de tudo isso, são muito apreciados também como animais de estimação.

Braco húngaro, um cão milenar

Já faz mil anos que se tem conhecimento da existência destes cães de estreita e longa relação com os magiaresOs húngaros estavam relacionados com os finlandeses e estônios, quem habitavam nas estepes asiáticas e europeias do Leste, para depois conquistar a bacia dos Cárpatos, onde levaram uma raça que se transformou no atual Vizla.

Braco Húngaro correndo

Fonte: Issigonis

Esculturas que datam do ano 1000 mostram senhores magiares com falcões e cães de caças muito parecidos aos que hoje identificamos como o Braco Húngaro.

É por isso que, muito provavelmente, estes animais cruzaram com cães da Europa Central, como o Sabujo da Transilvânia. Depois, com a ocupação turca de 1526, chegaram à região os Pointers amarelos, que também se misturaram com o Vizsla.

O Vizsla ou Braco Húngaro é um cão de caça com muitos séculos de história e que, além de tudo, é considerado um excelente animal de companhia, que se destaca por sua fidelidade e sua personalidade dócil e amigável.

Um cão com ares de aristocrata

Este elegante cão, de aspecto aristocrático e mais longo do que alto, tem uma expectativa de vida que vai de 12 a 14 anos. Apresenta também as seguintes características físicas:

  • Tamanho: de médio a grande.
  • Corpo: bem proporcional. Magro, mas musculoso e atlético.
  • Altura em cruz: de 58 a 64 centímetros os machos e de 54 a 60 centímetros as fêmeas.
  • Peso: entre 22 e 30 quilogramas.
  • Pelagem: curta, lisa, densa e dura; em diferentes matizes de amarelo semente.
  • Pele: firme. Não apresenta rugas e nem dobras.
  • Focinho: relativamente longo e, em geral, quadrado. Estreita-se de maneira gradual para o final.
  • Orelhas: delgadas, sedosas e longas. Penduradas próximas as bochechas.
  • Olhos: de tamanho médio. São de cor marrom e de formato ovalado.
  • Cauda: longa, de inserção baixa e grossa na base. Durante muitos anos foi cortada (prática proibida agora em grande parte dos países).

Como é a personalidade do Vizsla?

Ainda que se trate de um cão utilizado durante séculos para a caça, desde sempre foi considerado um excelente animal de companhia. É um cão muito doce, de personalidade agradável, muito fiel e dependente de seu dono. Por isso não é conveniente que passe muito tempo sozinho, já que pode vir a sofrer de ansiedade por separação.

Também, é um cão inteligente, carinhoso e dócil, e se dá muito bem com as crianças e com outros cães. Não late em excesso e se destaca também por ser um animal curioso e dinâmico. Se for treinado de forma adequada, aprenderá com rapidez e será um peludo muito obediente.

Braco Húngaro montanha

Fonte: Tomer Jacobson

Neste sentido, vale destacar que ele faz parte das raças que precisam de uma boa quantidade de tempo diário –pelo menos uma hora– para brincar e se exercitar. De modo que, se você não vive áreas rurais, o ideal é que tenha pelo menos uma casa com jardim ou quintal. Caso contrário, talvez ele se sinta entediado e desenvolva comportamentos destrutivos dentro de casa.

Cuidados com o Braco Húngaro

O Vizsla é um cão que não apresenta grandes problemas de saúde. De qualquer forma, pode vir a desenvolver os seguintes afecções:

  • Displasia de cotovelo e de quadril
  • Epilepsia
  • Adenite sebácea
  • Hipotireoidismo
  • Atrofia progressiva da retina
  • Linfossarcoma
  • Alergias de pele

Como com todo animal de estimação, são mais que convenientes as visitas periódicas ao veterinário, para que os animais sejam vacinados e desparasitados de acordo às indicações do profissional especialista.

E, por último, vale destacar como uma vantagem o fato de que seus pelos requerem poucos cuidados. Na verdade, bastará uma escovação de vez em quando e só será necessário banhá-lo quando ele estiver realmente sujo.