Você conhece os pássaros calaus?

· abril 24, 2019
Estes pássaros são capazes de imitar os sons de outras espécies, assim como fazem os papagaios.

Os calaus são um dos grupos de aves mais desconhecidos. Enquanto os tucanos vivem na América do Sul, os calaus são asiáticos e africanos.

Enquanto o calau-terrestre-do-sul excede seis quilos, o toco-negro dificilmente alcança 100 gramas, então é um grupo de pássaros com muita diversidade. Os machos dos calaus são sempre maiores que as fêmeas.

Como são os calaus?

A semelhança com os tucanos está em seu bico, quase sempre provido de algumas protuberâncias. Apesar de seu longo bico curvo, este é de um material esponjoso e, portanto, leve.

Os calaus geralmente vivem nas densas florestas do Velho Mundo; são pássaros que vivem em pares e têm uma personalidade bastante sociável. Embora eles não sejam muito ágeis no chão, se movem rapidamente entre os galhos das árvores.

Pássaro calau voando

Os calaus não são pássaros que tendem a fazer grandes voos, já que são muito ruidosos. Algumas espécies de calau são bons imitadores e podem ser ouvidos imitando outras aves, semelhantes ao que fazem os papagaios e corvos.

Os calaus são animais onívoros e, apesar de todos consumirem frutos, não é incomum vê-los comendo insetos ou mesmo carniça em algumas espécies.

O curioso ninho desses pássaros

Os calaus têm um dos ninhos mais complexos do reino animal: como outros pássaros, eles se aninham em buracos nas árvores, mas o macho literalmente envolve a fêmea sob uma parede de lama, sujeira e excrementos.

O macho deixa um pequeno buraco para alimentar a fêmea, que vai passar todo o tempo de incubação ali e, além disso, ajuda na construção do ninho. A fêmea pode ficar trancada neste curioso ninho por até quatro meses; após esse período, ela quebra o ninho com bicadas.

Ave calau em árvore

Curiosidades sobre os calaus

  • Os calaus têm rins com dois lobos.
  • São as únicas aves que têm as duas primeiras vértebras do pescoço fundidas.
  • Embora o bico seja de tecido esponjoso, continua a ser enorme.

Como já mencionamos, alguns calaus têm protuberâncias para reforçar o bico. Sabe-se, no entanto, que em algumas espécies elas servem como um ressonador para os cantos dessas aves, enquanto em outras elas são usadas como autênticos aríetes contra outros pássaros.

O expoente disso é o calau-de-capacete, cujo bico pesa enormemente. Esta ave alimenta-se principalmente de figos e, infelizmente, é caçada por causa de seu bico, que contém marfim, um material usado para fazer elementos ornamentais. O preço de seu marfim pode ser até três vezes mais caro, já que há cada vez mais elefantes sem presas em certas áreas da África.

Curiosamente, esses pássaros têm uma visão binocular com a qual podem ver seu próprio bico, o que, embora possa parecer um incômodo, permite que eles tenham grande precisão.

Toda espécie de calau é muito inteligente: entende outras espécies e se beneficia de seus alertas. Por exemplo, reage aos avisos do mangusto-anão e segue os gibões para obter insetos.

Embora os calaus africanos não estejam em perigo, na Ásia estes animais perderam muito habitat, por isso alguns estão protegidos pelos conservacionistas. Alguns deles são caçados pelo marfim ou para fazer remédios orientais, enquanto em outros lugares eles são animais respeitados. Zazu, o personagem secretário real do Rei Leão, é um desses curiosos pássaros.

Anne, O., & Rasa, E. (1983). Dwarf mongoose and hornbill mutualism in the Taru Desert, Kenya. Behavioral Ecology and Sociobiology12(3), 181-190.