O zebu: habitat, características e reprodução

O zebu é um pequeno bovídeo nativo da Índia, gentil, sociável e carinhoso. Conheça todas as suas características aqui.
O zebu: habitat, características e reprodução
Sara González Juárez

Revisado e aprovado por a psicóloga Sara González Juárez.

Última atualização: 27 dezembro, 2022

O zebu poderia passar facilmente por qualquer outro mamífero bovino, exceto por um detalhe: a pequena corcova em suas omoplatas. Atualmente pode ser encontrado em quase todo o globo, já que é explorado como gado, mas sua verdadeira origem é asiática.

Neste espaço você poderá conhecer a história da sua origem, bem como o resto das características que o tornam especial. São animais sensíveis, pacíficos e afetuosos, então não perca nada do que vem a seguir.

A história do zebu

A verdade é que a origem deste bovino tem sido amplamente discutida, pois houve um tempo em que se sugeriu que descendia do gauro (Bos gaurus) e do bantengue (Bos javanicus), outros bovinos asiáticos. No entanto, estudos posteriores de DNA mostraram que o zebu é na verdade descendente de Bos primigenius namadicus, uma subespécie de auroque que habitava o que era a Índia.

Mesmo assim, ainda não está descartado que em algum momento de sua história evolutiva tenha cruzado com as duas primeiras espécies mencionadas.

Taxonomia e características

O zebu é um mamífero da ordem dos artiodáctilos e da família dos bovídeos. Seu gênero, Bos, compreende 6 espécies que são comumente chamadas de bois. É aqui que se inclui a espécie que nos interessa, o Bos primigenius indicus.

A característica mais marcante deste animal é a sua corcova cheia de gordura. Além disso, destaca-se seu pequeno tamanho, não mais de um metro de altura na cernelha.

Eles têm chifres curtos, orelhas longas e caídas e uma papada caída. Possuem pelagem curta e dura, de cores variáveis entre o branco e o marrom. Alguns até têm manchas.

O habitat do zebu

Este bovídeo vivia originalmente na Índia, onde existem muitas raças, algumas nativas, outras criadas pelo homem para a exploração. Graças ao seu pequeno tamanho e caráter gentil, foi levado a para praticamente todo o mundo, especialmente para a América do Sul.

O zebu é o único bovídeo que sobrevive às altas temperaturas das áreas tropicais, graças ao seu pequeno tamanho.

Se não fosse explorado como gado, seria encontrado em amplos prados de mato e grama, porque é aí que encontra seu alimento. Pode ser entrado em florestas, mas é mais provável que esteja aí para procurar abrigo ou alimento se este for escasso nas planícies, mas não se deslocam com o mesmo conforto nesse ambiente.

Hábitos alimentícios

Os zebus são estritamente herbívoros. Sua dieta é composta de ervas, sementes e flores. Às vezes, eles podem consumir galhos ou raízes finas, dependendo da amplitude de sua mordida para pegar o matagal ou as plantas altas.

Seu sistema digestivo é como o de todos os ruminantes, pois o alimento passa por uma primeira fase de digestão no rúmen, retorna à boca e é mastigado novamente. Em seguida, passará pelo restante das cavidades do estômago: o retículo, o omaso e o abomaso.

Eles precisam comer ao longo do dia porque, embora esse processo aproveite ao máximo a energia que pode ser obtida das plantas, estas têm muito poucas calorias.

O comportamento do zebu

É um animal diurno e gregário. Os grupos são compostos por um macho (e um jovem se for o caso), várias fêmeas e seus descendentes. A coesão no grupo é forte, respondendo de forma coordenada às ameaças e protegendo-se mutuamente.

Em geral, é o macho quem se encarrega de afastar possíveis ameaças antes que elas se tornem um perigo.

Seu caráter tende a ser gentil e pacífico. Eles passam a maior parte do dia comendo e descansando. As fêmeas têm um forte instinto maternal e protegem seus filhos a todo custo. Não é incomum encontrá-los gritando e choramingando por dias, chamando seu bezerro, quando este é retirado das fazendas para consumo humano.

Reprodução

Bos primigenius indicus.

A maturidade sexual do zebu começa aos 3 anos e meio de idade. É quando o seu ciclo estral começa e é capaz de se reproduzir. Em geral, o cheiro emitido pela fêmea durante o período de cio atrai o macho e a cópula ocorre se ela o aceitar.

O período de gestação é de cerca de 9 meses. Se o feto for do sexo masculino, a gestação pode ser mais curta, mas a influência do ambiente, a saúde da mãe e a raça podem alterar um pouco esse período.

O zebu tem apenas um bezerro por ano. O bezerro nasce de forma bastante independente, pois se levanta sobre as pernas assim que nasce. A partir desse momento, ele não será separado de sua mãe até que seja totalmente autossuficiente.

Esses animais, com suas pequenas corcovas e orelhas compridas, são sensíveis e empáticos. Essas características passam despercebidas nas fazendas, onde são tratados apenas como fonte de recursos. No entanto, se você tiver o privilégio de lidar com um, descobrirá o quão incrível o zebu pode ser.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • Buxadera, A. M., Guerra, D., Planas, T., Ramos, F., & Chuairey, L. F. (2006). Parámetros genéticos del peso vivo de machos Cebú en prueba de comportamiento en condiciones de pastoreo de Cuba, mediante modelo animal univariado, multicaracteres y regresiones aleatorias. Revista Cubana de Ciencia Agrícola40(4), 397-408.
  • Barrera, G. P., Martínez, R., & Ariza, M. F. (2006). Identificación de ADN mitocondrial Bos taurus en poblaciones de ganado Cebú Brahman colombiano. Ciencia y Tecnología Agropecuaria7(2), 21-24.
  • Prayurasiddhi, T. (1997). The ecological separation of gaur (Bos gaurus) and banteng (Bos javanicus) in Huai Kha Khaeng Wildlife Sanctuary, Thailand. University of Minnesota.

Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.