A rã dardo venenoso

· outubro 5, 2018
Esses anfíbios, graças ao seu alto grau de toxicidade, não têm predadores, nem precisam se camuflar, como acontece com outros animais. 

A rã dardo venenoso faz parte da família Dendrobatidae, possivelmente, a mais bela família de anfíbios do planeta. No entanto, suas cores alertam que são altamente venenosas: na verdade, são os animais mais tóxicos que existem. Aprenda um pouco mais sobre esses incríveis anfíbios.

Características da rã dardo venenoso

A família da rã dardo venenoso é na verdade composta de quase 200 espécies diferentes. 

Como são parentes próximos, todos esses anfíbios têm algumas características em comum.

O tamanho da rã dardo venenoso muda, dependendo da espécie e da idade de cada exemplar, mas elas são bem pequenas se comparadas ao resto dos anfíbios que conhecemos. As menores têm meio centímetro de comprimento e as grandes mal chegam a 3,5 centímetros.

Todas têm hábitos diurnos, isto é, têm a máxima atividade durante o dia e a noite passam descansando ou se escondendo.

Graças à sua toxicidade, elas não têm predadores, portanto não precisam se camuflar durante o crepúsculo ou mesmo durante a noite, como muitos outros animais.

O aspecto mais marcante desses animais são suas cores. Sua aparência se deve a uma estratégia de sobrevivência empregada por outros animais.

Com suas cores brilhantes, ela atrai a atenção de seus predadores para alertá-los de que são altamente venenosas. 

Seu veneno é tão poderoso que é capaz de matar o ser humano que apenas tocar a sua pele.

rã dardo venenoso azul e preta

Depois de vários estudos, descobriu-se que, de fato, quanto mais cores possuem as rãs desta família, e quanto mais chamativos seus padrões de cores forem, mais veneno possuem. 

A espécie mais venenosa é a rã dourada, mas existe uma grande variedade de cores na família: amarelo, azul, vermelho e marrom.

Elas podem ser simples, com manchas de cores mais escuras e até mesmo listradas.

Alimentando as rãs dardo venenoso

Esses anfíbios geralmente se alimentam de pequenos artrópodes. Isto é, formigas, baratas, cupins, ácaros…  

A dieta específica depende das espécies da rã. Os maiores anfíbios comem os maiores insetos, enquanto os menores têm que se contentar com ácaros e formigas.

De sua dieta ela extrai seu veneno, já que a rã dardo venenoso não é capazes de sintetizá-lo sozinha. 

Através dos artrópodes que elas comem, armazenam as toxinas presentes neles, em sua pele.

Como essas toxinas não as afetam, elas se tornam venenosas para outros animais.

Se uma rã dardo venenoso vive em cativeiro e tem uma dieta fornecida por seres humanos, ela deixa de se alimentar dos artrópodes que fornecem as toxinas. Assim, em poucas semanas ela deixa de ser venenosa, ainda que esteja bem alimentada e saudável.

Habitat da rã dardo venenoso

A família da rã dardo venenoso está presente apenas na América Central e do Sul. Seu habitat vai da Nicarágua à Bolívia, e elas podem aparecer em ilhas caribenhas.

Também foram introduzidas artificialmente no Havaí. Há uma variedade maior de espécies nas áreas do Panamá, Costa Rica, Andes colombianos e nas regiões andinas do Peru e do Equador.

Elas podem ser encontradas em ecossistemas muito diferentes: gostam de áreas com muita vegetação e umidade muito alta. 

Além disso, as temperaturas devem ser altas e constantes durante todo o ano. Deste modo, elas vivem nas florestas de neblina, nas selvas tropicais e nas florestas dos Andes.

Podem ser encontrados a 3 mil metros acima do nível do mar.

Rãs dardo venenoso

Seu nome vem da crença de que as tribos das florestas tropicais as usaram para envenenar suas flechas. 

Atualmente, sabemos que apenas quatro espécies, do total que compõem essa família, são usadas pelos índios em suas armas. Na verdade, eles preferem usar plantas venenosas para isso.

Preservação da rã dardo venenoso

Não há grandes estudos sobre a população da rã dardo venenoso, para saber se elas estão em perigo de extinção ou não.

No entanto, sabe-se que elas perderam grandes áreas de seus ecossistemas recentemente e que sofreram com uma praga de uma doença mortal para elas.

Além disso, são vítimas de caça furtiva para transformá-las em animais de estimação exóticos.

Não existem dados reais sobre quantas rãs desta família estão em liberdade, mas algumas espécies foram incluídas na lista de animais ameaçados, para que possam ser tomadas medidas de prevenção e alerta antes que seja tarde demais.

A rã dardo venenoso é, talvez, o animal com as cores mais incríveis da natureza. Graças à sua estratégia evolutiva, ela também é a mais venenosa.

São endêmicas dos ecossistemas úmidos da América Central e do Sul, difíceis de serem encontradas em liberdade, mas se você encontrar, não as toque.