A rã flecha: a mais venenosa

· janeiro 27, 2019
O nome desses anfíbios foi inspirado pelas tribos que impregnavam as pontas das flechas com as toxinas da pele desses animais, para assim poderem caçar e se defender.

A rã flecha é um dos animais mais venenosos do mundo, apesar de seu pequeno tamanho e aparência atraente. Na verdade, trata-se de várias espécies de pequenos anfíbios que possuem uma poderosa toxina em seus corpos.

Rã flecha venenosa: taxonomia e características físicas

Popularmente, chamamos de ‘rã flecha’ os anfíbios de diferentes espécies que compõem a superfamília Dendrobatidae.

Atualmente, são conhecidas mais de 180 espécies de dendrobatídeos, que geralmente estão divididas em três subfamílias. Todos elas estão estritamente relacionadas à família Aromobatidae dos anfíbios.

As rãs flechas venenosas são endêmicas da América do Sul e da América Central, e se adaptam a geografias muito diferentes.

A maior biodiversidade desses anfíbios é encontrada na Costa Rica e no Panamá, mas eles também são abundantes na Colômbia, no Peru e no Equador. Além disso, uma espécie foi introduzida no Havaí, onde é considerada invasora.

Apesar de ser muito pequena, a rã flecha venenosa chama muita atenção por causa das cores intensas de sua pele.

Os notáveis ​​padrões cromáticos são um alerta para os predadores, porque indicam sua alta toxicidade.

Atualmente, apenas dois pássaros e uma cobra são conhecidos por serem imunes a seu veneno, e podem atacar esses anfíbios facilmente.

Curiosamente, a potente batracotoxina presente na pele das rãs flechas venenosas não é sintetizada pelo próprio organismo delas.

Na verdade, elas ingerem insetos diferentes (dependendo da espécie e de seu habitat), responsáveis ​​pela neurotoxina. Desta forma, o veneno penetra no corpo delas e é usado como um mecanismo de defesa.

Tipos de rãs flechas venenosas

A grande família dendrobatídeos inclui espécies com muitas peculiaridades, mas que compartilham características essenciais. A seguir, veremos os cinco tipos de rãs flechas mais conhecidas e proeminentes.

  • A rã flecha dourada (Phyllobates terribilis)

Rã flecha dourada

A rã flecha dourada é a espécie mais venenosa da sua família e, também, um dos animais mais letais do mundo.

Estima-se que apenas um grama de sua toxina seja capaz de matar milhares de pessoas. Portanto, é considerada a ‘rã flecha’ por excelência. Esta espécie é endêmica da costa do Pacífico da Colômbia.

  • Rã flecha vermelha e azul (Oophaga pumilio)

Rã flecha vermelha e azul

Estes pequenos anfíbios venenosos são bem conhecidos pelo seu polimorfismo. Apesar de ser popularmente chamada de ‘rã flecha vermelha e azul’, esta espécie pode exibir uma grande variedade de colorações. Há espécimes não-bicolores e bicolores, com ou sem manchas, e suas tonalidades podem variar.

Seu padrão de coloração aposemática é muito marcante, o que indica sua alta toxicidade. Esta espécie obtém o poderoso veneno de sua pele através do consumo de formigas, de onde sintetiza a batracotoxina.

  • Rã flecha azul (Dendrobates azureus)

Rã flecha azul

Esta espécie é uma das menores da família dos dendrobatídeos, com tamanho médio entre 40 e 50 milímetros. 

Os machos são menores e mais finos que as fêmeas e, além disso, costumam cantar somente quando atingem a idade adulta. Seu habitat natural se estende do Sul do Suriname a grande parte da Amazônia brasileira.

Diferentes tons de azul podem aparecer em seu corpo, de tons mais claros a um tom roxo escuro. Cada espécime geralmente apresenta pontos negros de diferentes padrões e tamanhos.

  • Rã ponta de flecha granulada (Oophaga granulifera)

Rã ponta de flecha granulada

Esta rã ponta de flecha granulada não é tão famosa quanto as anteriores, mas é interessante mencioná-la, já que é uma das poucas espécies que tem um padrão contrário de coloração por toxicidade. Ou seja, nessas rãs, os espécimes menos vistosos apresentam maior toxicidade.

Originalmente, esta espécie é endêmica das florestas úmidas do Golfo Dulce da Costa Rica. No entanto, sua existência está ameaçada pela devastação de seu habitat.

Curiosidades sobre as rãs ponta de flecha

O nome popular destas diversas espécies foi inspirado em sua importância para as tribos indígenas do continente americano. Assim, nesses povos encontramos a origem desse pequeno anfíbio.

Os povos nativos aproveitavam as toxinas desses anfíbios para os dardos ou flechas que costumavam usar para caçar e se defender. Portanto, esses pequenos anfíbios tiveram um papel central na sobrevivência das famílias indígenas.

Outra curiosidade é que, como a rã ponta de flecha não produz seu próprio veneno, ela pode ser inofensiva em um ambiente controlado.

Apesar disso, sua criação em cativeiro não é recomendada, pois encontram suas condições ótimas de desenvolvimento apenas em seu habitat natural.