Como ajudar um gato a superar seus medos?

Para ajudar um gato medroso, a exposição a um ambiente diversificado e estimulante nas primeiras semanas de vida é fundamental. Um gato que cresce isolado pode ser extremamente frágil e medroso.
Como ajudar um gato a superar seus medos?

Última atualização: 09 Março, 2020

O primeiro passo para ajudar um gato a superar os seus medos é reconhecê-los, uma tarefa que pode não ser tão simples. É fundamental conhecer bem o seu bichano. Um gato naturalmente tímido pode ter medo de muitas coisas e passar grande parte da sua vida escondido.

Por outro lado, um gato naturalmente seguro terá menos medo e vai se recuperar mais rapidamente de eventos assustadores.

O espectro do medo

Há uma variedade de sinais que ajudam a identificar se o seu gato está assustado. Muitas vezes, o gatilho para o medo felino não é um estímulo que você possa identificar.

Você deve saber que o medo é considerado moderado se o gato apresentar tremores, atividade reduzida e comportamentos de fuga passiva.

No caso de pânico, os sinais podem incluir comportamento de fuga ativo e aumento da atividade motora potencialmente prejudicial e fora de contexto. A resposta ao medo é um comportamento complexo, que envolve várias estruturas neuronais. Por esse motivo, a resposta entrelaça processos sensoriais, motores e emocionais.

O espectro do medo dos gatos

As diferentes manifestações do medo

A seguir, vamos apresentar as principais manifestações da resposta ao medo. Frequentemente, a resposta é defensiva:

  • Somáticas: ficar em estado de alerta (ou vigilância), retrair as orelhas contra o crânio, mostrar as unhas, arquear as costas, agitar o rabo, mostrar os dentes ou abrir a boca.
  • Vocalizações: rosnar, sibilar, miar, bufar ou cuspir.
  • Respostas neurovegetativas (involuntárias): pupilas dilatadas, olhos esbugalhados, aumento da salivação, piloereção, aumento da transpiração, perda do controle do esfíncter urinário e anal, liberação da glândula anal, aumento da frequência respiratória e da frequência cardíaca.
  • Deslocamento: congelar no lugar, ficar de pé, andar em círculos, perseguir, arranhar, morder, brigar, se esconder ou fugir.

Consequências a longo prazo de viver com medo

Entre os sinais clássicos de atividade simpática, pode ocorrer diarreia persistente que desencadeia uma doença inflamatória intestinal ou a síndrome do intestino irritável. Além disso, um gato medroso pode desenvolver comportamentos obsessivos, como lamber e morder a si próprio.

Como ajudar um gato a superar seus medos?

Se o seu gato gosta de se esconder, mas é saudável, deixe-o em paz. Ele sairá quando estiver pronto. Forçá-lo a sair do seu esconderijo só o deixará com mais medo.

Verifique se ele tem fácil acesso a comida, água e uma caixa de areia. Limpe a caixa de areia e troque a comida e a água todos os dias para ver se ele está comendo e bebendo.

A comida é um grande motivador para os gatos. Portanto, se o seu animal tiver medo de uma pessoa da casa, dê a ela o dever de alimentá-lo.

Gato comendo

É possível impedir que um gato seja medroso?

Embora algumas raças de gatos tenham uma predisposição a ter uma personalidade tímida, os donos podem levar em consideração os seguintes fatos:

  • Gatos privados de exposição social e ambiental até 14 semanas de idade podem ter medo de contato.
  • Fobias e pânico podem ser provocados por um histórico de incapacidade de escapar ou se afastar do estímulo que causa a fobia e o pânico. É por isso que os gatos que sofreram por terem sido trancados em uma caixa ou estiveram em situações abusivas sentem medo.
  • Gatos com histórico de abandono, múltiplos donos, realocação ou abandono prévio geralmente apresentam ansiedade de separação.
  • Manter um bom estado de saúde: qualquer doença, intoxicação ou condição física dolorosa aumenta a ansiedade do gato e contribui para o desenvolvimento de medos, fobias e ansiedades.

Diagnóstico e tratamento para ajudar um gato com medo

O primeiro ponto é excluir outras condições de saúde que podem estar causando o comportamento do seu gato. Se o seu veterinário diagnosticar um simples medo, ansiedade ou fobia, uma medicação prescrita pode ser a solução..

No entanto, é muito provável que o profissional faça recomendações específicas baseadas no seu gato, dependendo do gatilho do medo e de como ele pode aliviar os medos e ansiedades do seu gato através do condicionamento do comportamento.

Para ajudar um gatinho em casos de extrema ansiedade de pânico e separação, você precisa fornecer proteção até que os medicamentos façam efeito, o que pode levar dias ou semanas. A hospitalização pode ser a melhor opção em algumas situações.

Pode interessar a você...
A adaptação do gato no novo lar
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
A adaptação do gato no novo lar

A adaptação em uma nova casa pode ser traumático para um animal de estimação. Alguns animais estão mais bem preparados do que outros para se acostumar com uma nova casa. Saiba mais...



  • Overall, K. L. (1997). Pharmacologic treatments for behavior problems. Veterinary Clinics: Small Animal Practice, 27(3), 637-665.
  • Amat, M., Camps, T., & Manteca, X. (2016). Stress in owned cats: behavioural changes and welfare implications. Journal of Feline Medicine and Surgery, 18(8), 577-586.
  • Dramard, V., Kern, L., Hofmans, J., Halsberghe, C., & Rème, C. A. (2007). 7: Clinical efficacy of L-theanine tablets to reduce anxiety-related emotional disorders in cats: A pilot open-label clinical trial. Journal of Veterinary Behavior: Clinical Applications and Research, 2(3), 85-86.
  • Lorenz, K., & Leyhausen, P. (1985). Biología del comportamiento: raíces instintivas de la agresión, el miedo y la libertad. Siglo XXI.