Alimentação da sanguessuga T. rex

· março 23, 2019
A sanguessuga T. Rex apresenta características muito diferentes do restante de sua família. Seus dentes são cinco vezes maiores do que os das outras espécies de sanguessuga.

Há pouco mais de 10 anos, no Peru, foi descoberta uma nova espécie de sanguessuga: a sanguessuga T. rex. O animal, que apareceu no nariz de uma criança de nove anos, recebeu o nome científico de Tyrannobdella rex.

A descoberta foi surpreendente, pois a sanguessuga, que media 44,5 milímetros, tinha só uma mandíbula com dentes enormes e era diferente de todas as outras espécies conhecidas deste animal.

Anos antes, havia sido encontrado algo parecido nos narizes de outras crianças, no mesmo país. No entanto, os investigadores não haviam prestado muita atenção ao fato.

Após algumas investigações, descobriu-se que tanto a menina como os outros pequenos haviam tomado banho nos mesmos rios da Amazônia.

Deste então, outros exemplares foram encontrados em regiões remotas da selva amazônica. Essa curiosa sanguessuga com dentes chamou a atenção de muitos cientistas.

A seguir, veremos alguns elementos para conhecer melhor a sanguessuga T. rex e sabe do que ela se alimenta.

Em todos os casos, essas espécies sempre tiveram má fama e foram tratadas com desprezo. Será que essa má fama da sanguessuga se justifica?

Por que tem esse nome?

A sanguessuga T. rex também é conhecida como a “rainha tirana das sanguessugas”, já que seu nome significa literalmente “sanguessuga rainha tirana”.

As espécies que pertencem a seus antecessores conviveram com os dinossauros, com quem compartilharam o habitat há mais de 200 milhões de anos.

Dentes da sanguessuga rainha tirana
Fonte: PLOS ONE

Existem outras quatro espécies que utilizam a mesma abreviação T. rex. Trata-se de dois fósseis de Mioceno, um escaravelho e um caracol. O dinossauro do Cretáceo e uma formiga que atualmente vive na Malásia.

Características da sanguessuga T. rex

Essa sanguessuga tem o tamanho de um dedo mindinho. No entanto, sua mandíbula e seus dentes são cinco vezes maiores do que os das demais sanguessugas conhecidas.

A T. rex pertence a um grupo de sanguessugas que formam a família Praobdellidae. Além da selva amazônica, os membros dessa família encontram-se principalmente na África, Oriente Médio e México.

A popularidade desse animal entre os humanos não é muito boa, já que muitas pessoas lhe consideram um animal asqueroso.

De fato, as sanguessugas estão nesse mundo deste antes dos humanos. É provável que, do ponto de vista do equilíbrio das espécies, a sanguessuga T. rex tenha um papel importante.

Do que se alimenta a sanguessuga T. rex?

Apesar de os pesquisadores ainda não estarem de acordo sobre qual a principal fonte de alimento da sanguessuga T. rex, podemos fazer certas afirmações.

Como muitas outras espécies de sanguessugas, a T. rex é sugadora e seu alimento predileto é o sangue de outros animais e seres humanos.

As vítimas prediletas da T. rex parecem ser os mamíferos aquáticos. Essas sanguessugas instalam-se no nariz e na boca desses animais e permanecem ali durante semanas, enquanto chupam o sangue. Depois desse período, vão em busca de outra vítima para se alojar.

tyrannobdella rex
Fonte: Instituto Nacional de Saúde do Peru

A conduta alimentar da sanguessuga T. rex, assim como toda a família Praobdellidae, põe em risco a saúde dos seres humanos em diferentes regiões do planeta.

Os antepassados e as relações da sanguessuga T. rex

O aparecimento da sanguessuga T. rex implicou em um grande desafio para os cientistas. Eles viram-se obrigados a revisar profundamente os dados sobre outras famílias de sanguessugas.

Por sua morfologia e DNA, a T. rex associa-se com uma sanguessuga que vive no México, e que se encontra principalmente na boca dos gados: a Tyrannobdella rex.

Também vincula-se esse animal com a Pintobdella chiapasensis, outra sanguessuga que também vive no México, especificamente em Chiapas. Essa última alimenta-se geralmente do sangue das antas, e assim infecta também o gado bovino.

Outras espécies de sanguessugas também têm vínculos estreitos com a T. rex. Trata-se da Dinobdella ferox, originária da Índia e Taiwan.

Essa sanguessuga é muito conhecida e costuma consumir as membranas mucosas dos orifícios humanos.

É muito provável que o ancestral comum de todas essas sanguessugas tenha vivido quando os continentes estavam unidos.

Ou seja, no supercontinente conhecido como pangeia. Isso explicaria o fato de que, atualmente, elas se encontram em territórios tão distantes.

Fonte da imagem principal | PLOS ONE