Animais de estimação independentes

maio 1, 2018

Costuma-se falar muito sobre os cuidados, a inteligência e as muitas qualidades de nossos animais domésticos. Mas, em geral, nos centramos no comportamento de nossos cães e gatos quando interagem conosco. Seria importante perguntar o seguinte: existem animais de estimação independentes?

Na verdade, a única forma de responder a esta pergunta é verificar como é a resposta de nossos pets quando os deixamos sozinhos em casa. Além disso, todas as espécies manifestam comportamentos diferentes, sendo algumas mais dependentes e outras totalmente autossuficientes.

A seguinte informação mudará totalmente nossa perspectiva, principalmente na hora de sairmos de férias e deixar o nosso amiguinho de quatro patas em casa.

Domesticação versus Independência

A história da domesticação animal é precisamente uma história de dependência. De fato, os pesquisadores da área da biologia acham que os cães dos dias de hoje são uma evolução dos lobos. Daqueles que se aproximaram dos assentamentos humanos em busca de comida.

Gato tigrado

Fonte: torbakhopper

Por isso, quanto mais domesticado for um animal, mais difícil será para ele resolver a maioria de seus problemas sozinho. Isto ocorre muito, por exemplo, com os animais que se encontram em cativeiro quando se tenta introduzi-los novamente em seus ecossistemas naturais, num ambiente selvagem.

Este é, talvez, o critério básico que deve ser levado em conta antes de abordar uma temática tão complicada e relativa, como é a dos animais de estimação independentes. Isto não significa que algumas espécies tenham a capacidade de ser autossuficientes quando não estamos por perto.

Quem é mais independente: o cão ou o gato?

Evidentemente, é bom comparar o nível de independência das duas espécies domésticas por excelência. E, para dizer a verdade, são muitas as razões que colocam o gato como o favorito frente a esta pergunta.

Os gatos são solitários por natureza e estão acostumados a habitar em muitos locais sem terem que interagir conosco. Tudo isto é possível graças a seu instinto e o potencial de suas próprias habilidades físicas tão particulares.

Em contrapartida, os cães parecem que foram desenhados instintivamente para interagir com o homem em sua procura por comida, proteção e estabilidade emocional. Um cão sem seu dono terá problemas para se alimentar bem e, principalmente, será um canino triste.

Os cães não podem passar muito tempo afastados de seus donos

Está comprovado que a solidão por longos períodos de tempo gera impactos negativos e notórios nos cães domésticos. Os especialistas falam inclusive de ansiedade por separação e, acredita-se, que 8 horas é o tempo limite que podemos deixar sozinho o “melhor amigo do homem” em casa.

Os efeitos do estresse nos caninos são o resultado do aumento da atividade motora, latidos excessivos e choro. A isto acrescentamos a predisposição para defecar e urinar em lugares inusitados ou proibidos dentro de sua disciplina inicial.

E, sendo sinceros, todos estes sintomas de estresse se evidenciam quando deixamos o nosso animal de estimação sozinho. As reações dependerão de variáveis como a idade do cão, a raça, aspectos comportamentais e o adestramento. Mas, em essência, estes não são animais independentes.

O gato é definitivamente um pouco mais independente

Diferentemente dos cães, os gatos têm maiores facilidades para se manter bem enquanto não estamos em casa. Suas interações com os seres humanos podem ser muito complexas e estreitas, mas eles não dependem de seus donos para se sentirem seguros.

Provavelmente, se deixarmos nossos gatos sozinhos por alguns dias, encontraremos seu recipiente de comida e sua caixa de areia intactos e sem nenhuma modificação. Para completar, eles se limpam sozinhos e seu comportamento demonstra tranquilidade. Falamos, sem dúvida, de animais de estimação independentes.

Outros animais de estimação independentes

Parece que os animais que não têm a capacidade de enfrentar processos de socialização complexos são mais independentes. Este é o caso de répteis como a tartaruga e a iguana verde, cuja a interação com os humanos é pouco intensa, distante e inconsciente.

Tartaruga

Autor: Leandro Martinez

Outros animais de estimação simplesmente não podem viver sem os humanos, mesmo que a socialização deles seja pouca ou nula. Como é o caso, por exemplo, dos coelhos e dos peixes, que necessitam que seus donos os alimentem continuamente. Entre outras coisas, porque eles foram tirados de seus ecossistemas naturais para serem introduzidos em jaulas e aquários, respectivamente.

Em poucas palavras, o ambiente onde se desenvolve o animal também é um fator predominante para medir sua autossuficiência.

Animais de estimação independentes: a procura de um critério equilibrado

Isto não significa que tudo está perdido. Existem adestramentos que podem contribuir para que os nossos cães sejam um pouco mais independentes. Por outro lado, a autossuficiência felina não pode ser interpretada como uma evidência de desapego.

O que sim devemos entender é que, quando domesticamos a um animal, o tornamos dependente de nós, na maioria dos casos. Seja porque estes se apegam a nível existencial ou, como os tiramos de seus ecossistemas, a domesticação implica em algum grau de dependência.

Fonte da imagem principal: Gabriel Vasquez