Causas da atrofia muscular em cães

novembro 7, 2019
A atrofia muscular em cães refere-se ao enfraquecimento ou desgaste da sua massa muscular. É causada pela falta de atividade física e doenças secundárias.

A atrofia muscular em cães é bastante comum e refere-se especificamente à perda de tecido muscular. Esse desgaste muscular geralmente começa cedo quando está associado a um processo de lesão ou doença.

Inicialmente, pode passar despercebido, principalmente se o seu cão tiver uma pelagem mais longa.

Se o seu cão estiver mancando ou foi submetido a uma cirurgia, a atrofia será mais perceptível e mais rápida. Na verdade, pode piorar um pouco antes de melhorar. Neste artigo, falaremos sobre as causas mais comuns da atrofia muscular em cães.

Por que é comum que a atrofia muscular em cães seja detectada tardiamente?

Como os cães se movem usando seus quatro membros, seu equilíbrio é bastante delicado. Se eles sentirem um pequeno desconforto em um dos membros, poderão transferir o peso corporal para os outros três para aliviar o membro dolorido.

Por esse motivo, nos estágios iniciais, a situação pode passar despercebida. No entanto, se apalparmos os membros, podemos encontrar uma diferença no tamanho do músculo. Isso indica uma atrofia no membro afetado.

Geralmente, a atrofia muscular em cães ocorre quando há desuso do músculo e dor.

A atrofia muscular se manifesta, principalmente, com o afinamento e sinais de fraqueza. A perda muscular pode ser um sinal de uma ampla variedade de condições e doenças. Portanto, se você notar perda muscular, não deixe de conversar com o seu veterinário sobre a doença.

Cachorro deitado no sofá

Processo normal de envelhecimento canino

Quando o cão envelhece, é natural que ocorra uma atrofia muscular moderada, mas progressiva. Esse processo é causado pela falta de hormônios do crescimento e pela diminuição do metabolismo do corpo.

À medida que os cães envelhecem, suas necessidades nutricionais mudam e eles não conseguem processar as proteínas da mesma maneira.

Portanto, cães mais velhos geralmente precisam de uma dieta especializada com fontes de proteína facilmente processadas para ajudá-los a manter a massa muscular.

O menor nível de atividade do cão idoso, devido aos níveis mais baixos de energia, também leva à perda muscular. Note que essa perda muscular associada ao envelhecimento é normal, é leve e aparece principalmente nos quadris, onde os músculos são mais evidentes.

A atrofia muscular associada à artrite

A atrofia muscular em cães ocorre por uma variedade de razões. Acontece que a atrofia é um sintoma típico se o cão tiver uma condição dolorosa.

Embora a artrite atinja as articulações e não o tecido muscular, é comum causar atrofia muscular. É um processo inflamatório que degenera as articulações, geralmente nos quadris e joelhos, e provoca dor intensa e desconformidade.

A dor constante reduz a mobilidade do cão. A longo prazo, a diminuição da atividade leva à atrofia muscular.

Os medicamentos de controle da dor e a fisioterapia podem minimizar os efeitos da artrite e melhorar a atividade do cão doente. Consulte um veterinário para que ele possa prescrever o tratamento apropriado.

Predisposição genética para sofrer de doenças associadas

É necessário estar atento às condições às quais certas raças estão predispostas. Por exemplo, os labradores estão propensos à deficiência de fibras musculares tipo II. Geralmente, eles exibem perda muscular antes de um ano de idade.

A atrofia muscular associada à artrite em cães

Os pastores alemães, por outro lado, têm uma maior probabilidade de desenvolver miopatia fibrótica, que geralmente se manifesta mais nos músculos da coxa do cão. Outras raças, como o galgo inglês, desenvolverão miopatia por estresse se forem forçadas a usar demais os músculos.

A mielopatia degenerativa é outra doença que afeta a medula espinhal e depois as extremidades. Essa condição é comum em pastores alemães, mas também é encontrada em outras raças.

A atrofia muscular em cães associada a doenças inflamatórias

A atrofia muscular pode ocorrer associada a outros tipos de doenças inflamatórias, sejam elas infecciosas ou autoimunes. Esse envolvimento pode acontecer apenas com um músculo ou um grupo de músculos.

Geralmente, essas doenças apresentam outros sintomas que ajudarão o veterinário a diagnosticar adequadamente a doença.

O que você deve saber é que muitas vezes a miosite – ou inflamação do músculo – pode causar atrofia. A miosite é causada por uma reação anormal do sistema imunológico do seu cão contra o próprio tecido muscular.

Existe a miosite dos músculos mastigatórios, também chamada de miosite eosinofílica, uma doença inflamatória autoimune e muito séria. O cão desenvolve anticorpos que reconhecem e atacam as fibras M2 dos músculos mastigatórios, o que causa a sua atrofia.

Sinais e sintomas da atrofia muscular em cães

Para ajudar o seu animal de estimação a tempo, observe os seguintes sinais e sintomas:

  • Letargia e apatia. O cachorro não quer se movimentar muito.
  • Estado flácido. Procure músculos flácidos no seu cão que não estejam tão duros quanto normalmente são. Você pode perceber que o seu cão parece mais “macio” e também mais fino.

Às vezes, esse tipo de perda muscular afeta apenas certas partes do corpo. Por exemplo, se o seu cão tiver artrite ou lesão nas pernas traseiras, você pode notar que as patas traseiras ficam mais finas, enquanto as dianteiras são ampliadas para compensar.

Se você suspeitar de que o seu cão está perdendo massa muscular em uma das patas, compare-a com o outro lado.

  • Prandi Chevalier, D., Eros Roncone, R., García Guasch, L., & García Arnas, F. (1997). Miopatía del complejo muscular Gracilis-Semitendinoso. Clínica veterinaria de pequeños animales, 17(3), 0143-150.
  • Santelices Iglesias, O. A., & Del Amo, A. Miopatía inflamatoria generalizada asociada a hepatozoonosis en un canino: reporte de un caso.
  • Amieva Garza, D. (2016). Manual de rehabilitación y fisioterapia del miembro pelviano en perros (con pérdida de masa muscular).
  • San Román Ascaso, F., Llorens Pena, M. P., Prandi Chevalier, D., Peña Giménez, M., García Arnas, F., & Franch Serracanta, J. (1988). Miositis eosinofílica en el perro: caso clínico. Clínica veterinaria de pequeños animales, 8(1), 0042-48.