6 aves migratórias que você deve conhecer

· julho 16, 2018

As migrações de animais são um dos comportamentos mais curioso da vida selvagem. Entre os animais que migram, o destaque é das aves migratórias que podem viajar grandes distâncias.

Geralmente, estas não se adaptam ao frio extremo, e tendem a viajar para áreas mais quentes durante os meses de invernoExistem muitas espécies diferentes de aves migratórias. Fique conosco para conhecê-las melhor.

Aves migratórias: Grou-comum

Nem todos sabem que o grou-comum (Grus grus) é uma das aves migratórias que mais viaja. Mas a verdade é que este animal se reproduz no norte da Ásia e na Europa, e depois passa o inverno em climas mais suaves, no Sul da Eurásia e até mesmo na África.

Este animal se reproduz em pântanos de países frios, como a Ucrânia, a Finlândia, a Suécia e a Rússia, onde existem até 100 000 espécimes. Mais tarde, quando o verão termina, ele emigra para o Norte da África. No entanto, muitas populações permanecem no sul da Europa, especialmente nas lagoas espanholas, como Gallocanta.

Durante as migrações até 400 indivíduos se reúnem. No entanto, uma vez que a migração acaba, eles se separam, pois não são animais muito sociáveis. As migrações do grou-comum já foram mencionadas por Aristóteles e até mesmo na Bíblia.

Este animal se reproduz em pântanos de países frios, como a Ucrânia, a Finlândia, a Suécia e a Rússia, onde existem até 100 000 espécimes.

A Andorinha

A andorinha é uma das aves migratórias de menor tamanho e, em termos de seu habitat, geralmente vive em campos abertos e se instala em celeiros, estábulos e até em casas.

Ela se reproduz em toda a região do holoártico, isto é, em praticamente em toda a Eurásia e América do Norte, apenas ausente nos desertos e nas regiões mais ao Norte. Ao contrário do seu parente, o grou-comum, é bastante típica das áreas rurais.

Depois, passará o inverno em países situados mais perto do Sul, como a Índia e em uma grande parte da África e da América do Sul. Ela pode ser vista em países como o Havaí e a Groenlândia. A andorinha pode realizar rotas extensivas, o que inclui passar o inverno na África do Sul e se reproduzir no Reino Unido.

aves migratórias

O Fuselo

O fuselo (Limosa lapponica), também conhecido como chalreta, é um pássaro muito particular, com um bico que se destaca pela forma de agulha. Está incluído entre a grande multidão de pássaros aquáticos, mas poucos se equiparam a ele em termos de migração.

Nesse sentido, o fuselo é um pássaro de destaque: não há outras aves migratórias que realizem 11 mil milhas sem paradas. Este animal voa do Alasca para a Nova Zelândia, e é por isso que durante os meses anteriores ele ganha muito peso para suportar tal jornada, assim como acontece com o salmão. Especificamente, ele passa mais de uma semana voando sem interrupção.

Andorinha do ártico

Também chamado de gaivinha do ártico, é uma ave marinha que se reproduz no Ártico. O cruzamento desses pássaros migratórios é lendário, pois se trata da maior migração regular que existe no reino animal. A andorinha do ártico cruza praticamente todo o planeta Terra para alcançar a Antártica.

Somando ida e volta, isso permite que a andorinha do ártico percorra 80 mil quilômetros por ano e viva dois verões por ano. Assim, esta espécie quase sempre vive “banhada” pela luz solar, graças ao dia perpétuo que geralmente vive.

A andorinha do ártico atravessa praticamente todo o planeta Terra para chegar à Antártida.

A Pardela-escura

Esta espécie está distribuída por todo o Atlântico, Pacífico e entre o Sul do Oceano Índico. Quando termina a sua época de reprodução, em torno de abril, migra para as águas subárticas no verão. 

Esta espécie migra individualmente e pode percorrer distâncias de 900 quilômetros por dia. Suas migrações não são as mais longas, embora sejam de respeitáveis 14.000 quilômetros.

No entanto, os espécimes que viajam do Alasca para a Nova Zelândia fazem isso por quase 70 mil quilômetros. Isso, juntamente com sua grande longevidade, que é de cerca de 50 anos, isso significa que alguns espécimes migraram oito milhões de quilômetros ao longo de suas vidas.

Seixoeira

Esta espécie é um pássaro aquático que vive no Ártico. Suas rotas de migração não são inteiramente precisas, mas parece que todo verão austral ele viaja para a “Tierra del Fuego”, onde repousa e se alimenta bem por alguns meses.

Há um espécime dessa ave que bateu vários recordes e que representa uma das grandes curiosidades dos pássaros. Depois de mais de 20 anos de sua anilhagemtal pássaro percorreu a distância equivalente à do nosso planeta até a lua. Embora seja calculado que outras espécies tenham viajado maiores distâncias, o registro do B95 (este é o nome do animal) é único na história.