Cães de raça perigosa ou má educação?

julho 27, 2018
Embora existam cães considerados potencialmente perigosos, o fato é que isso é consequência de donos irresponsáveis e que não satisfazem as necessidades específicas de cada raça.

Durante séculos esta tem sido a pergunta que mais ronda a mente dos treinadores. É um tema muito debatido se os cães de raça perigosa são assim por natureza ou por causa da criação. Mas graças a novas evidências, parece que temos uma resposta.

Devemos lembrar que os cães de raça perigosa são uma criação humana. Não há informações concretas sobre a existência de raças mais ou menos perigosas que as demais.

De onde surgiu esse mito?

Durante o século 20, foram reportados inúmeros ataques de diferentes raças de cachorros. Os casos que mais se destacaram foram os de rottweiler, fila brasileiro ou de pitbulls, com seus constantes ataques a seres humanos ou outros cães.

Isso motivou o abandono desses animais durante os últimos 30 anos. Proprietários de todo o mundo pensam que seus cães não têm correção alguma. Resolvem partir para essa solução por sentir que é a saída mais fácil, quando na verdade é justamente o contrário.

As pessoas acreditam que certas raças de cães são mais propensas a atacar pessoas e outros animais. Mas o fato é que as razões pelas quais um cão é agressivo são variadas. É verdade que algumas espécies são mais fortes do que outras, mas existem outros aspectos em jogo.

Fatores como personalidade do animal, criação e ambiente influenciam muito em como será o seu caráter. Nenhuma raça de cães é naturalmente agressiva, fato mais do que claro.

Então, o que motiva os humanos a pensarem que são animais violentos? A resposta a essa pergunta está quase em nossos narizes.

A verdade sobre os cães de raça perigosa

Os lobos, ancestrais milenares dos cães, não eram agressivos contra as pessoas. Fomos nós que despertamos este instinto tão primário neles.

Por que dizemos isso? Por que um cão se comporta de acordo com o que ensinamos a ele. Ou seja, ele foi criado dessa forma. Estes animais aprendem as atitudes que nós permitimos. Vejamos um exemplo:

cães de raça perigosa

Durante os primeiros anos do novo milênio, surgiram notícias em todo mundo sobre ataques de pitbull contra pessoas. Casos assim aparecem diariamente e, a partir disso, esses animais passam a ser considerados perigosos.

Na realidade, estes cachorros costumam praticar menos atividade física do que necessitam. É por causa disso que desenvolvem atitudes tão destrutivas e indesejadas, como a agressão indiscriminada.

O mesmo acontece com outras raças. Muitas vezes são confinados a uma vida muito monótona, que não satisfaz as suas necessidades básicas.

Se há alguma coisa em comum nas raças denominadas potencialmente perigosas (PPP), é que são pensadas para trabalho pesado ou para caça de presas grandes.

O doberman e o rottweiler são animais de segurança, que defendem o território. O pitbull e certos dogues são empregados na imobilização de gado. Aqui, observamos outra característica comum: atualmente, nenhuma dessas raças faz o trabalho para o qual foi concebida.

Outro erro que cometemos é humanizar nossos animais de estimação. Alguns cães são vestidos como pessoas, o que cria um problema de identidade para o animal. Isso acaba estimulando comportamentos inadequados e até violentos.

Por sorte, nem tudo são más notícias. A agressividade é uma conduta possível de ser corrigida. Inclusive se o cão a aprendeu depois de adulto. Basta apenas oferecer uma educação de qualidade para o animal.

cães de raça perigosa

Treinar um cão corretamente

Não existem cães de raça perigosa, pois todos os animais podem se tornar violentos. Uma vez que entendemos isso, devemos agir o mais rápido possível para evitar que esse seja um caminho sem volta.

De acordo com a espécie do cão, será necessário praticar exercícios físicos em quantidade adequada: um passeio rápido de manhã e à noite não é suficiente. Como proprietários, nossa missão é oferecer todo o bem-estar ao animal. Assim, é hora de pensar em outras atividades.

Do mesmo modo, devemos ensiná-los a obedecer sem questionar, mostrando quem está no comando. Os exercícios de obediência são obrigatórios para todos os cães, independente da raça. Existem vários métodos que asseguram que o treinamento seja eficiente.

Como último recurso, podemos esterilizar o animal. Está comprovado que o procedimento ajuda a acalmar os impulsos do cão em todos os âmbitos, deixando-o mais tranquilo.

Há muito o que fazer pelos cães de raça perigosa. Precisamos fazer a nossa parte para evitar que novos incidentes aconteçam. A boa educação de nossos animais de estimação é um sinal de como somos enquanto pessoas.

Recomendados para você