Calicivirose felina: sintomas e tratamento

Este vírus infecta gatos em todo o mundo e pode causar doenças em espécies domésticas e exóticas.
Calicivirose felina: sintomas e tratamento

Última atualização: 17 outubro, 2022

A calicivirose felina é uma das infecções mais comuns que podem causar doenças respiratórias em gatos, embora outros vírus e bactérias também possam ser agentes infecciosos e promover esses tipos de condições em seu amigo felino.

Os sinais clínicos típicos de uma infecção respiratória superior afetam o nariz e a garganta, incluindo espirros, congestão nasal, conjuntivite (inflamação das membranas que revestem as pálpebras) e secreção nasal ou ocular.

A secreção nasal pode ser clara ou pode ficar amarelo-esverdeada. Além desses sintomas típicos, os gatos com infecção por calicivirose felina geralmente desenvolvem úlceras na língua, palato, gengivas, lábios ou nariz.

Sinais ou sintomas

Os gatos afetados pela calicivirose felina geralmente salivam ou babam excessivamente, pois as úlceras são muito dolorosas. Outros sinais inespecíficos de uma infecção respiratória superior incluem anorexia, letargia, febre e linfonodos aumentados. Além disso, há hipersensibilidade à luz, então você verá o animal apertar os olhos com frequência.

Algumas cepas de calicivírus podem fazer com que um gato infectado desenvolva claudicação repentina e dolorosa em uma ou mais articulações. Isso ocorre com mais frequência em gatos mais jovens. Embora rara, existe uma cepa específica de calicivírus felino que causa doença sistêmica grave.

Os sintomas iniciais envolvem os olhos, o nariz e a boca, mas o gato infectado desenvolve rapidamente febre alta, depressão grave, inchaço das pernas e/ou face, icterícia e sintomas de doença multiorgânica. Esta cepa é altamente infecciosa e a taxa de mortalidade é de até 67%.

Como um gato contrai uma infecção por calicivirose felina?

O calicivírus é altamente contagioso e os gatos infectados podem excretar o vírus na saliva ou nas secreões do nariz ou dos olhos. Se um gato infectado espirrar, partículas virais transportadas pelo ar poderão ser pulverizadas a vários metros.

Especula-se que o vírus também pode ser eliminado na urina ou nas fezes, mas isso não é considerado uma fonte importante de infecção. Gatos suscetíveis podem adquirir uma infecção através do contato direto com outro gato infectado ou através da exposição ambiental a objetos contaminados com secreções infecciosas.

O vírus pode sobreviver até uma semana em um ambiente contaminado e possivelmente por mais tempo em um local fresco e úmido. Embora todos os gatos suscetíveis possam desenvolver uma infecção por calicivírus, os sintomas tendem a ser mais graves em gatos jovens.

Quanto tempo dura uma infecção típica de calicivirose felina?

Uma vez que um gato é exposto ao calicivírus, este passa por um período de incubação de 2 a 6 dias antes de provocar sinais clínicos que normalmente duram entre 14 e 21 dias. Durante todo esse tempo, o gato será potencialmente infeccioso para outros felinos. No mínimo, os gatos infectados liberarão o vírus em suas secreções corporais por 2 a 3 semanas.

Após a recuperação aparente da doença, até metade de todos os gatos infectados podem desenvolver um estado de portador no qual continuam a disseminar o vírus. Em alguns desses animais, o estado de portador pode durar apenas alguns meses, mas em uma pequena porcentagem pode persistir por toda a vida.

Os gatos portadores podem ou não apresentar sinais de infecção quando estão eliminando ativamente o calicivírus e são uma importante fonte de infecção para gatos suscetíveis. As gatas portadoras deste vírus podem transmitir a infecção aos seus gatinhos recém-nascidos.

Tratamento da calicivirose felina

A maioria dos gatos com infecção não complicada por calicivírus pode ser tratada sintomaticamente em casa. O veterinário pode prescrever um medicamento para os olhos a ser aplicado topicamente se o seu gato tiver secreção ocular verde ou amarela purulenta.

Medicamentos antibacterianos de amplo espectro podem ser prescritos para evitar que infecções bacterianas secundárias compliquem a doença, especialmente em gatinhos jovens, embora as infecções virais não respondam a este tipo de medicação.

O veterinário pode administrar medicamentos anti-inflamatórios para aliviar os sintomas da claudicação. Gatos com úlceras persistentes podem se beneficiar de tratamentos que apoiem o sistema imunológico.

Gatos com congestão nasal ou das vias aéreas podem se beneficiar do aumento da umidificação ambiental, como ser levado a uma sala de vapor por 10 a 15 minutos várias vezes ao dia. É prudente perguntar sobre esta técnica com o especialista.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.



Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.