Calos plantares em coelhos: tratamento e prevenção

Entre os diversos processos patológicos que afetam os coelhos estão os calos plantares, uma doença importante que pode ser evitada com uma série de medidas profiláticas.
Calos plantares em coelhos: tratamento e prevenção

Última atualização: 17 janeiro, 2022

Todos os animais requerem certos cuidados de acordo com suas características físicas e as condições do habitat em que se encontram. A manutenção adequada desses parâmetros evitará que algumas doenças, como os calos plantares em coelhos, se manifestem e alterem significativamente sua saúde e bem-estar geral.

Neste artigo, explicaremos os principais fatores desencadeantes dessa irritante patologia do pé em coelhos. Além disso, vamos apresentar as ferramentas necessárias para que você possa identificar o problema e evitar o seu aparecimento nos seus animais de estimação, utilizando as alternativas mais eficazes que tratam o problema desde a raiz. Leia mais para descobrir.

O que são os calos plantares nos coelhos?

Também conhecida clinicamente como pododermatite, os calos plantares dos coelhos são considerados uma das doenças infecciosas mais comuns que esses pequenos peludos podem contrair. São feridas e ulcerações que aparecem na planta das patas (mais frequentemente nas patas traseiras), que causam sangramento constante e favorecem a entrada de bactérias.

Espécimes adultos de raças pesadas ou com poucos pelos nas solas das patas são os mais afetados pela doença. Nesses casos, deve-se ter extremo cuidado e tomar todas as medidas preventivas pertinentes para impedir o aparecimento da doença, uma vez que é muito difícil detê-la.

Um coelho

Por que ocorrem calos plantares em coelhos?

Além do excesso de peso, uma das causas determinantes do aparecimento de calos plantares em coelhos é o manuseio. Recintos ou habitats mal desenvolvidos, com pisos ásperos ou que possam causar lesões nas patas são pontos-chave que devem ser levados em consideração para evitar a manifestação dessa patologia.

Uma vez que a pele está aberta, bactérias como Staphylococcus aureus entram no corpo do animal, proliferando e fazendo com que os sinais característicos de calos plantares em coelhos apareçam. Se o paciente não for tratado imediatamente, os microrganismos podem atingir os ossos e causar osteomielite.

Sinais da doença

Como mencionamos anteriormente, os calos plantares dos coelhos podem ser identificados pela presença de feridas e úlceras nas patas. Devido às lesões abertas, o animal afetado apresentará os seguintes sintomas:

  • Recusa a se mover.
  • Fraqueza.
  • Fertilidade diminuída.
  • Apatia.
  • Redução do apetite.

Como tratar os calos plantares de coelhos?

Uma vez diagnosticada a doença, é importante isolar o exemplar do resto dos animais para reduzir o risco de infecção por bactérias presentes no ambiente. A princípio, o veterinário administrará um antibiótico para iniciar o tratamento. Sua apresentação pode ser oral ou injetável (conforme o caso).

Durante a passagem pelo trato digestivo, muitos antibióticos matam algumas bactérias que são benéficas para o sistema gastrointestinal. Por isso, os medicamentos a serem utilizados (junto com algumas substâncias probióticas auxiliares) devem ser sempre prescritos por um profissional. Lembre-se de nunca automedicar seu animal.

Por se tratar de uma ferida aberta, é fundamental mantê-la o mais limpa possível. Para fazer isso, o uso de antissépticos como iodopovidona 3% fará um excelente trabalho na área. A ferida também pode ser lavada com sabonetes medicamentosos ou com substâncias antibacterianas e cicatrizantes.

Os calos plantares dos coelhos trazem consigo muitos desconfortos e dores que impossibilitam o descanso. A aplicação de anti-inflamatórios (como carprofeno ou naproxeno) e analgésicos irá garantir que, durante o período da doença, seu animal de estimação possa enfrentar os sintomas da forma mais estável possível.

Ao finalizar a aplicação dos medicamentos tópicos, o médico poderá orientar a usar um curativo nas patas. Os coelhos são muito agitados e não estão habituados a usar esse tipo de material no corpo, por isso recomendamos que você mantenha o animal sob observação enquanto usa as ataduras.

Medidas preventivas

Os calos plantares dos coelhos são um processo patológico muito incômodo que pode ser evitado se forem seguidas certas medidas profiláticas. Preste muita atenção, pois a seguir compartilhamos os pontos mais importantes em termos de prevenção:

  • O controle nutricional do seu animal é muito importante. Ofereça uma alimentação variada e equilibrada que mantenha o seu coelho com o peso ideal.
  • Proporcione um amplo espaço no qual o animal pode se desenvolver com conforto, seja uma gaiola ou um recinto que respeite as medidas necessárias para evitar problemas de estresse.
  • Ao fazer a cama, use palha ou algum material macio que não cause desconforto ao toque. Manter os coelhos por longos períodos em um piso de grades irá facilitar o aparecimento da doença.
  • Controle muito bem a higiene do recinto. Ficar em um ambiente sujo fornece as condições ideais que os microrganismos patogênicos precisam para viver. Recomendamos trocar o material da cama pelo menos 4 vezes por mês.
  • Deixe seu coelho sair da gaiola por um tempo para que ele tenha a chance de correr e pular. Um coelho sem ansiedade é feliz. Lembre-se de que o estresse é o gatilho para muitas doenças.
  • Se não forem cortadas, as unhas começam a se curvar sob as patas e, em alguns casos, acabam machucando a pele. É aconselhável cortá-las periodicamente.
  • Verifique os pés do coelho constantemente. Se detectar uma pequena ferida, você pode limpá-la e realizar as medidas que descrevemos anteriormente. Caso contrário, sugerimos que você procure o veterinário para avaliar a lesão e decidir o melhor tratamento para sua abordagem.
Um coelho branco no veterinário.

Os calos plantares em coelhos podem se tornar uma doença muito debilitante. Convidamos você a seguir todas essas medidas e levar o coelho regularmente ao centro médico veterinário. Não permita que uma pequena lesão acabe se tornando um grande problema e diminua a qualidade de vida de seu animal de estimação.