Canções dedicadas aos pombos

· janeiro 13, 2019
Poetas e autores de canções populares ou cantores de menor ou maior prestígio foram inspirados por estas aves.

Embora na vida real não sejam tão idolatradas, os columbídeos gozam de grande prestígio quando se trata de inspirar criações artísticas. Além de ser um inconfundível símbolo da paz, a pomba está relacionada ao amor e à falta de amor. Hoje em “Meus Animais” vamos falar sobre algumas músicas dedicadas aos pombos.

Seleção de músicas dedicadas aos pombos

Grandes poetas e autores de temas populares, incluindo cantores e compositores de maior ou menor reconhecimento, se inspiraram nessas aves ao escrever alguns de seus trabalhos mais memoráveis.

Nossa seleção inclui músicas mais ou menos populares mas, sem dúvida, vale a pena prestar atenção nelas, e talvez ouvi-las novamente.

Você gostaria de se juntar a nós neste voo musical?

– Se equivocó la paloma

Em 1969, um jovem e talentoso cantor catalão surpreendeu-nos com versos que diziam:

“O pombo se enganou, ele se enganou. / Ao invés de ir para o norte foi para o sul, / acreditava que o trigo era água. / (…) Ele pensou que o mar era o céu / que a noite era manhã. / Que as estrelas orvalho, que o calor, a neve”.

No entanto, Serrat não é o autor desta bela canção incluída em seu álbum La Paloma

Os versos pertencem, nada mais e nada menos, ao grande poeta andaluz Rafael Alberti. E a música é do argentino Carlos Guastavino.

Falaremos sobre algumas das canções dedicadas aos pombos; seres alados que, ao inspirar músicos e poetas, tornaram-se símbolos de paz, portadores de amor e da falta dele.

– Paloma blanca

O músico holandês George Baker gravou, em 1975, esse tema que, um ano depois, se tornou um grande sucesso em toda a Europa.

A música é escrita em inglês, exceto quando repete a expressão “paloma blanca”, em espanhol, ao longo do texto.

pombo-correio

“Eu sou apenas um pássaro no céu. Voando nas montanhas. Ninguém pode tirar minha liberdade”, dizem alguns dos versos, acompanhados de uma melodia cativante. Se você quiser ouvi-la novamente, ou pela primeira vez, aqui está o link.

– Paloma y laurel

Retumbo é um estilo musical folclórico antigo e pouco difuso de origem argentina e cordilheira.

O compositor César Isella usou tal estilo para criar a melodia dos versos do grande poeta Armando Tejada Gómez.

Assim nasceu esta linda canção, e aqui compartilhamos algumas de suas estrofes:

“Uma pombinha / chegou ferida até os vales. / Peito colorido / como brasa do ar. (…) deve voar, / deve retornar / para o ninho quente / pôr do sol. / No ninho / gosto de ver / sobre a tarde / pombo e loureiro”.

– El palomito

“Nos picos do guayabo, muito longe do pombal, havia uma pomba / que chorava sem descanso. / Currucu currucu, / cantava a pombinha. / Currucu currucu, / voltaria ao seu ninho”.

Estes são alguns dos versos desta música do popular do grupo mexicano Los cadetes de Linares.

pomba branca

A banda foi formada nos anos 60 e é considerada uma das mais plagiadas da história da música mexicana regional.

Seus membros estavam se renovando e muitos de seus antigos membros levaram o nome do grupo com eles. No entanto, pode-se considerar que, com a recente morte de Lupe Tijerina, o último dos autênticos Cadetes se foi.

A música El palomito tem quase 23 milhões de visualizações no YouTube. Um recorde!

– The Dove

Outra das canções dedicadas aos pombos é aquela composta pelo cantor e compositor britânico Ewan MacColl, com sua esposa Peggy Seeger.

Nos anos 60, a música foi gravada por Pete Seeger (meio-irmão de Peggy) e, também, pela cantora americana Judith Collins.

“O pombo é um belo pássaro, canta enquanto voa. Ele nos traz boas notícias e não nos conta mentiras. / Ele bebe a água da fonte para clarear sua voz / enquanto constrói seu ninho e o verão se aproxima”.

O tema, de tom antibelicista, foi, sem dúvida, um sinal dos tempos.