Causas das pupilas dilatadas em gatos

13 Janeiro, 2021
Você sabe as razões pelas quais seu gato dilata as pupilas? Nós vamos te contar!

Os olhos dos gato podem transmitir muitas informações para nós. Os felinos, como muitos outros animais, usam esses órgãos para se comunicar e expressar emoções. Por exemplo, quando um gato olha para nós e aperta os olhos suavemente, ele está comunicando que se sente calmo e confiante. Portanto, quando as pupilas dilatadas aparecem no gato, devemos ficar atentos, pois pode ser algo positivo ou negativo.

As pupilas são orifícios nos olhos que permitem a passagem da luz de fora para a retina, onde se forma a imagem observada. Essas aberturas são reguladas por um músculo colorido chamado íris, cuja contração ou dilatação permite que a pupila se abra ou feche. Neste artigo, vamos falar sobre as diferentes conotações que as pupilas dilatadas podem ter em gatos.

Causas comportamentais

Os gatos são caçadores experientes. Eles são equipados com garras retráteis, que os tornam um dos animais mais furtivos do reino animal, para que possam perseguir suas presas. Além disso, poucos animais conseguem escapar de suas presas afiadas.

Da mesma forma, seus olhos, dotados de uma visão espetacular na caça diurna e noturna, são essenciais. Quando um gato espreita a presa, ele dilata suas pupilas. Dessa forma, mais luz entra, o que traz clareza à imagem observada. Isso é essencial ao caçar à noite.

Causas comportamentais

Da mesma forma, quando os gatos brincam – uns com os outros ou com a gente utilizando um brinquedo – eles também dilatam as suas pupilas pelo mesmo motivo: seu forte instinto de caça.

Outra razão comportamental para as pupilas dilatadas em gatos é o medoQuando um gato está assustado, todo o seu corpo fica em alerta. Nesses momentos, muitos mecanismos químicos são acionados para fugir quando necessário. Os hormônios liberados dilatam as pupilas para que o animal não desvie a atenção do ambiente que os cerca ou do que lhe causa medo.

Pupilas dilatadas no gato devido a doenças

Os gatos são animais que evitam mostrar fraqueza. Isso acontece porque, em um ambiente natural, essa fraqueza provavelmente significaria seu fim. Os gatos só se mostram fracos quando a doença está avançada.

Se as pupilas estiverem dilatadas em um gato, isso pode ser um sintoma de alguma doença latente. Essas patologias podem estar diretamente relacionadas aos olhos: glaucoma, uveíte ou infecção ocular.

Por outro lado, existem outras doenças nos gatos que podem causar esse estado:

Intoxicação e as pupilas dilatadas no gato

As intoxicações em gatos são mais comuns do que poderíamos pensar à primeira vista. Esses animais são muito curiosos e qualquer objeto novo na casa é digno do seu interesse.

Uma das toxinas mais letais para eles é a permetrina. Essa substância é um inseticida típico dos antiparasitários caninos. Por esse motivo, é muito comum que alguns tutores, por desconhecimento, apliquem esses produtos em seus gatos. Nessa situação, se você não agir rapidamente, o animal pode morrer.

Outras substâncias tóxicas para os gatos são:

  • Alimentos que contêm cafeína ou teobromina, como o cacau.
  • Medicamentos como acetaminofeno, ácido acetilsalicílico ou ibuprofeno.
  • Produtos com alta concentração de arsênio. Para um ser humano, isso seria tóxico, enquanto para um gato é mortal.
Intoxicação e pupilas dilatadas no gato

Quando um gato é intoxicado com qualquer substância, seu sistema nervoso é gravemente afetado. Especificamente, é o sistema nervoso parassimpático que fica alterado. Portanto, junto com as pupilas dilatadas, outros sintomas podem aparecer:

  • Convulsões.
  • Vômito devido ao aumento da atividade gástrica.
  • Perda de controle do intestino: o animal defeca em si mesmo.
  • As vias aéreas se contraem e há falta de ar.
  • Excesso de salivação.
  • Falta de coordenação.
  • Del Sole, M. J., Sande, P. H., Bernades, J. M., Aba, M. A., & Rosenstein, R. E. (2007). Circadian rhythm of intraocular pressure in cats. Veterinary ophthalmology, 10(3), 155-161.
  • Leyhausen, P., & Tonkin, B. A. (1979). Cat behaviour. The predatory and social behaviour of domestic and wild cats. Garland STPM Press.
  • Malik, R., Ward, M. P., Seavers, A., Fawcett, A., Bell, E., Govendir, M., & Page, S. (2010). Permethrin spot-on intoxication of cats: Literature review and survey of veterinary practitioners in Australia.
  • Palus, V., Penderis, J., Jakovljevic, S., & Cherubini, G. B. (2010). Thiamine deficiency in a cat: resolution of MRI abnormalities following thiamine supplementation. Journal of feline medicine and surgery, 12(10), 807-810.
  • Reusch, C. (2011). Diabetes mellitus in dogs and cats. Kleintierpraxis, 56(4), 204-218.
  • Townsend, W. M. (2008). Canine and feline uveitis. Veterinary Clinics of North America: Small Animal Practice, 38(2), 323-346.