As coleiras de cobre são úteis para a artrite em cães?

O cobre é eficaz nos casos de artrite em cães? Esse metal é encontrado em todos os tecidos do corpo e desempenha um papel na produção de glóbulos vermelhos, na manutenção das células nervosas e no sistema imunológico.
As coleiras de cobre são úteis para a artrite em cães?

Última atualização: 05 Março, 2021

A artrite em cães é uma das doenças crônicas mais comuns, especialmente em cães mais velhos. Em pessoas e cães, essa doença se caracteriza por inflamação, rigidez e dor em uma ou mais articulações.

Se você conhece pessoas que sofrem de artrite ou problemas nas articulações, é possível que tenha visto algumas delas usando uma pulseira de cobre. As pessoas que usam esses dispositivos dizem que eles contribuem bastante para aliviar a dor e a rigidez associadas à doença.

O que o cobre faz no corpo?

O cobre é um oligoelemento essencial. Os derivados de cobre são conhecidos há décadas como agentes anti-inflamatórios eficazes.

Não poderíamos viver sem o cobre: entre suas tarefas, há a formação de um complexo enzimático respiratório, comum a todas as plantas e animais. Também é um componente do fígado, dos músculos e dos ossos.

O cobre na produção de colágeno e a preservação das articulações

É importante notar que o cobre desempenha um papel importante na manutenção do colágeno e da elastina, os principais componentes estruturais do nosso corpo.

Sem cobre suficiente, o corpo não pode substituir o tecido conjuntivo danificado ou o colágeno que forma a estrutura do osso. Isso pode levar a uma variedade de problemas, incluindo a disfunção articular, à medida que os tecidos do corpo começam a se decompor.

Assim, ao contrário do que se encontra em muitos relatórios não científicos da mídia, o cobre pode ter um papel no alívio dos sintomas da artrite. De fato, alguns estudos com animais indicaram que o cobre (em pequenas doses e tomado por via oral) pode ajudar a prevenir ou retardar a artrite. Por isso, as pessoas usam pulseiras de cobre para esse fim. No entanto, nenhum estudo em humanos confirmou tais benefícios.

Radiografia de displasia de quadril em cães.

Como obter níveis adequados de cobre?

Como as pessoas, os cães geralmente obtêm quantidades vestigiais necessárias de cobre dos alimentos. Entre os alimentos ricos em cobre temos o fígado, os frutos do mar, os grãos integrais, o feijão, as nozes, a batata, os vegetais de folhas verdes, as oleaginosas, a pimenta-do-reino e o fermento.

Além disso, algumas fontes de água têm altos níveis de cobre, que podem adicionar até 45% a mais de cobre do que o obtido com a dieta.

Por outro lado, existem evidências experimentais de que o cobre pode ser obtido através da pele. Lembre-se de que, devido ao pelo dos cães, suas coleiras não estão em contato direto com a pele nua, de modo que o cobre não seria absorvido pela pele da mesma forma que acontece com as pessoas.

Uma coleira de cobre pode ajudar a aliviar a artrite em cães?

Não há estudos que apoiem o uso de coleiras de cobre como adjuvante no tratamento da artrite em cães . No entanto, não há razão para não usar uma coleira de cobre em seu cão, se desejar, pois elas não são perigosas nem prejudiciais.

O uso de coleira de cobre em cães.

A coleira não interfere na ação dos medicamentos que seu cão possa estar tomando. Portanto, não há razão médica para desencorajar seu uso.

Existem outras alternativas não medicamentosas para aliviar a artrite em cães?

Em geral, não é recomendado substituir o tratamento medicamentoso para a dor e rigidez do seu cão por tratamentos alternativos. Esta última opção deve ser adotada como uma medida coadjuvante no tratamento.

Assim como acontece com a coleira de cobre, não há mal nenhum em experimentar uma coleira magnética em seu cão, se desejar. E se você está determinado a experimentar um ou outro, outras opções não medicamentosas, como óleo de cannabis, a hidroterapia ou a fisioterapia, provavelmente também serão úteis.

Pode interessar a você...
Cães com artrite: dicas para uma dieta ideal
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Cães com artrite: dicas para uma dieta ideal

A alimentação dos cães com artrite deve levar em consideração vários fatores, como evitar o excesso de peso. Confira alguns conselhos neste artigo.



  • Whitehouse, M. W., & Walker, W. R. (1978). Copper and inflammation. Agents and Actions8(1-2), 85-90.
  • Ejelonu, B. C. (2016). Potential of copper and its complexes of therapeutic agents. World J. Res. Rev3(3), 47-52.
  • Iakovidis, I., Delimaris, I., & Piperakis, S. M. (2011). Copper and its complexes in medicine: a biochemical approach. Molecular biology international, 2011.
  • Pirot, F., Panisset, F., Agache, P., & Humbert, P. (1996). Simultaneous absorption of copper and zinc through human skin in vitro. Skin Pharmacology and Physiology, 9(1), 43-52.
  • Gorter, R. W., Butorac, M., & Cobian, E. P. (2004). Examination of the cutaneous absorption of copper after the use of copper-containing ointments. American journal of therapeutics11(6), 453-458.
  • Bost, M., Houdart, S., Oberli, M., Kalonji, E., Huneau, J. F., & Margaritis, I. (2016). Dietary copper and human health: Current evidence and unresolved issues. Journal of Trace Elements in Medicine and Biology35, 107-115.
  • Ma, Y., Zhang, X., Fan, D., Xia, Q., Wang, M., & Pan, F. (2019). Common trace metals in rheumatoid arthritis: A systematic review and meta-analysis. Journal of Trace Elements in Medicine and Biology.
  • Public health statement. (2004). Copper. CAS#: 7440-50-8 Agency for Toxic Substances and Disease Registry. https://www.atsdr.cdc.gov/ToxProfiles/tp132-c1-b.pdf