Como as leoas caçam?

· julho 26, 2018

Uma das imagens mais populares da selva africana é a de um leão rodeado por seu harém de fêmeas e suas crias. Nesta espécie elas são as encarregadas pelo alimento do grupo. Neste texto vamos lhe contar como as leoas caçam. Suas técnicas são mais do que interessantes.

A organização dos leões

É muito importante saber como esses animais se organizam para depois compreender como as leoas caçam. Esses predadores carnívoros são muito sociáveis e cada grupo é composto por um ou dois machos, cinco ou seis fêmeas, parentes entre si, e os filhotes de ambos os sexos. Quando os machos jovens alcançam a maturidade, são expulsos do seio materno para que formem sua própria “equipe”. Algo parecido acontece com as fêmeas que já criaram seus filhotes. Caso haja muitas no harém, algumas são expulsas e logo são aceitas por outros grupos. Na pior das hipóteses, há a opção de se juntar a outra fêmea solitária e viver com ela, até que encontrem um macho.

Por sua vez, os machos permanecem na periferia da área do grupo, protegendo seu território, suas fêmeas e suas crias. Esse é um dos motivos pelos quais as leoas são as encarregadas de conseguir alimento.

leões

Como as leoas caçam: técnicas

Se analisarmos o físico do macho e da fêmea dessa espécie, talvez tenhamos uma ideia do porquê são elas que saem para caçar: menores, mais leves, mais rápidas e menos chamativas, já que não tem a grande juba.

O procedimento de caça requer certa organização e é comum que saiam pelo menos de duas em duas. Ocultam-se no mato seco, que é da mesma cor que elas, à espera da aparição de uma presa interessante. Por exemplo, se uma gazela se perde, está doente ou é velha, será o alvo perfeito para as leoas.

Assim, talvez possam passar horas esperando pelo momento mais adequado de iniciar a perseguição. Por exemplo, se aproximam de um grupo de animais, que foge rapidamente, mas sempre há um animal que fica para trás por diferentes motivos… e é esse será atacado.

Vale ressaltar que os momentos de caça ocorrem, geralmente, mais à noite. E que a dieta é comporta por zebras, impalas e gnus, mas também podem comer girafas, gazelas ou até búfalos. Nesses casos, pode ser que o macho resolva ajudar um pouco.

Mesmo os leões não sendo muito resistentes, porque seu coração é muito grande, são muito fortes. E contam com garras poderosas e dentes afiados que lhes permitem pegar a presa. O ataque é rápido e muito potente, e com um salto derrubam o animal para depois estrangulá-lo ou asfixiá-lo tapando a boca e o nariz.

O jantar está servido!

Uma vez que a presa está morta, o primeiro a “se servir” é o macho, que fica com a melhor parte e a mais fresca. Quando está satisfeito, é a vez das caçadoras e das demais fêmeas do grupo. E, por último, se alimentam os filhotes, motivo pelo qual em épocas de escassez, alguns podem morrer de fome.

Se uma fêmea se aproximar da comida antes que o macho termine de comer, ele demonstrará seu poder mostrando as garras. Isso será suficiente para que elas aguardem sua vez. Ainda que pareça contraditório, o interessante é o seguinte: é mais provável que o leão permita que os filhotes comam ao mesmo tempo que ele do que as fêmeas.

Ao terminar de comer, o macho descansa para fazer a digestão. Pode passar 20 horas do dia dormindo e só acordará quando tiver fome. O leão poderá levar o resto da presa para o alto de uma árvore para se servir quando desejar, sobretudo para evitar que catadores, como os abutres ou até as hienas “roubem”, seu alimento.