Como é a fauna na península arábica?

· janeiro 13, 2019

Estamos muito impressionados com a capacidade de algumas espécies de sobreviver em habitats tão inóspitos quanto o deserto. Apesar do que podemos pensar, a fauna na península arábica é composta por dezenas de animais. Nós falaremos sobre alguns neste artigo.

Como é a fauna na península arábica?

Esta área localizada no nordeste da África e sudoeste da Ásia, composta por países de religião muçulmana e limitada pelos golfos pérsico e de Áden, e pelos mares vermelho e árabe, tem um clima predominantemente desértico.

A fauna da Península Arábica é composta por vários mamíferos, aves e répteis, dentre os quais destacamos:

  1. Cavalo

Conhecida por sua beleza, sua resistência e sua inteligência, o cavalo árabe, que abre este artigo, é uma das mais famosas raças equinas do mundo. Além disso, é um dos cavalos mais antigos, pois há evidências de sua existência há 4,5 mil anos.

Usados ​​primeiramente por nômades beduínos, eles têm um bom relacionamento com as pessoas, aprendem rapidamente e respeitam seus donos.

No entanto, também têm um caráter forte e mantêm-se continuamente em estado de alerta.

Eles podem ser de várias cores (embora os mais bonitos sejam completamente pretos) e sempre suas caudas estão sempre erguidas. O cavalo árabe faz parte das raças de sangue quente, porque são refinados e fortes.

Como vivem em áreas desérticas, os animais que nela vivem têm que se adaptar ao calor intenso e à falta de água.

  1. Oryx

Este mamífero da família dos bovinos, também parte da fauna na península arábica, é o menor deles e o mais ameaçado. 

Este ruminante, parte da fauna na Península Arábica, também pode ser encontrado no Sinai, mas devido à caça e guerras, sua população diminuiu bastante.

Oryx

Seu corpo é branco, exceto as pernas, os lados do rosto e os chifres, que são escuros. 

Diferentemente de outras espécies, ambos os sexos do oryx da arabia apresentam chifres, que são arredondados, retos, longos e pontiagudos. São utilizados para defesa.

Alimenta-se de frutas e bulbos e, como acontece com os camelos, pode passar semanas sem beber água. 

A época de reprodução ocorre entre os meses de maio e dezembro, e, em cada ninhada, têm apenas um filhote, que em 10 semanas deixa de se alimentar de leite materno.

  1. Camelo

Este dromedário não poderia ficar fora da uma lista de animais árabes. Tem uma única corcova, seu pelo é curto e seu corpo é menos robusto do que a espécie mais famosa do deserto, o Camelus ferus.

camelo

O camelo árabe tem pernas longas e finas, com joelhos e tornozelos insensíveis, para resistir ao sol e ao calor da areia.

Seus cílios finos e longos impedem que a areia entre em seus olhos durante tempestades ou ventos fortes, e sua corcunda acumula gordura – não água, como se acredita – para que possa se nutrir por vários dias.

  1. Abetarda

Esta ave é uma daquelas que faz parte da fauna da península arábica e também pode ser encontrada no centro da África ou no Sahel. Sua ampla distribuição tem evitado, até agora, que seja considerada em perigo ou vulnerável.

No entanto, sua população diminuiu consideravelmente nos últimos tempos, devido à caça e destruição de seu habitat.

Abetarda

A Abetarda árabe apresenta dimorfismo sexual em tamanho e peso, mas não em termos de plumagem e coloração. 

Os machos pesam cerca de 11 quilos e medem quase um metro; as fêmeas não excedem sete quilos e 70 centímetros. As penas superiores são marrons e as inferiores brancas, a cabeça tem uma pluma negra e o pescoço é cinzento.

Alimenta-se de larvas e artrópodes, que captura com seu bico longo e pontiagudo. Na aparência, a abetarda é como um avestruz menor.

  1. Varanus

Este réptil escamoso vive não apenas na Arábia, mas também no sul da Ásia e no norte da África. Alimenta-se de vertebrados e invertebrados: roedores, pássaros, anfíbios, pequenos répteis, ovos, insetos, aranhas, lacraias e escorpiões.

Varanus

Seu corpo é marrom, cinza e amarelo, e pode medir um metro de comprimento; embora seu comprimento possa mudar de acordo com a época do ano.

Eles passam por diferentes períodos de muda durante sua vida e, por ter sangue frio, passa horas deitado ao sol.