Como escolher as plantas para um aquário?

· abril 8, 2018

Algumas pessoas escolhem colocar plantas artificiais nos aquários porque elas não requerem cuidado nenhum. No entanto, as naturais têm muito mais benefícios para os peixes, sejam de água fria ou quente. Por isso, neste texto, daremos alguns conselhos para escolher as plantas para um aquário.

A importâncias das plantas para um aquário

A primeira coisa que você precisa saber é que as plantas naturais têm uma função muito importante no aquário: fornecer oxigênio e eliminar dióxido de carbono. Elas não são só um elemento decorativo que fica bonito, mas também se encarregam de filtrar e purificar a água dos dejetos ejetados pelos peixes.

Peixes-palhaço num aquário

No mercado, você pode encontrar uma grande quantidade de plantas para um aquário, sejam elas naturais ou artificiais. Essas últimas têm a vantagem de não precisar de tantos cuidados nem limpeza, além do fato de não termos de nos preocupar se elas crescem muito e saem do aquário.

Os peixes, sejam de água fria ou quente, têm uma relação muito estreita com as plantas na vida natural. A planta colocada no aquário, que fará parte do entorno dos peixes, servirá para que seus animais se sintam “em casa”.

Muitas espécies de peixes pequenos usam as plantas para se esconder dos peixes grandes, e assim evitar serem devorados por eles. Podem inclusive esconder-se entre as folhas como se fosse uma brincadeira, para chamar a atenção durante a etapa de acasalamento.

Plantas para um aquário: espécies e colocação

Como as plantas têm um papel muito importante na vida dos peixes, não podemos tomar essa decisão de qualquer jeito. Algumas espécies de ervas são tóxicas e podem soltar substâncias perigosas na água, o que acaba sendo perigoso porque pode provocar doenças ou até a morte dos animais que vivem no aquário.

Portanto, o primeiro passo é consultar os especialistas dos pet shops ou aquários sobre as plantas adequadas para o seu aquário. Algumas delas são:

  1. Hygrophila
  2. Vallisneria
  3. Echinodorus
  4. Microsorum
  5. Cryptoryne

O passo seguinte é realizar uma seleção de plantas adequadas e também a quantidade que colocaremos no aquário, já que encher demais o espaço não permitirá que os peixes se desenvolvam como necessário.

Outro fator que devemos levar em conta é a condição climática do aquário, porque há diferenças se a água é tropical, fria, doce ou salgada.

Além disso, algumas espécies de plantas aquáticas requerem mais luz e, por outro lado, outras se adaptam a ambientes mais escuros.

Por sua vez, o “paisagismo” também pode ser importante no momento de escolher plantas para um aquário; tudo depende da decoração que você quer. Você também não pode se esquecer da quantidade de peixes que vivem nesse ambiente, pois as folhas podem atrapalhar os movimentos ou gerar brigas entre os animais.

Estrelas do mar em aquário

Uma vez escolhidos os tipos e a quantidade adequada de plantas, e decidida a decoração que será dada ao aquário, é hora de plantá-las, assim como você faria em um jardim.

Recomendamos que antes de colocá-las na água, você as enxague um pouco para tirar terra ou qualquer substância que possa fazer mal aos peixes. Nunca é demais verificar para ter certeza que não há insetos ou outros elementos perigosos que podem comprometer a água.

Os peixes devem ser colocados em um aquário menor durante o tempo em que dure o trabalho de “jardinagem”. Isso para não estressá-los e para que eles não dificultem a tarefa. Para fixar as raízes na base do aquário, o melhor é usar uma camada de areia de aproximadamente oito centímetros, porque assim elas não se levantarão com o movimento da água. Preste atenção também para que as folhas maiores não fiquem para fora do aquário.

Com cuidado, devolva os peixes a seu habitat e peste atenção em como eles se relacionam com suas novas companheiras. No começo, talvez, tenham medo ou não queiram se aproximar, mas com o passar dos dias, vão perceber que elas só servem para que eles se escondam ou busquem alimento. Por último, deixe passar uma semana ou duas para que as plantas se acostumem a seu novo ambiente.

Fonte da imagem principal: Hugo A. Quintero G.