Como melhorar as habilidades sociais do cão

· julho 28, 2018
Os cães são capazes de reconhecer o significado de muitas palavras e, além disso, podem não apenas receber informações de humanos, mas também transmitir.

Como sabemos, a inteligência e realidade emocional dos cães são complexas e, às vezes, semelhantes à desenvolvida pelos seres humanos durante a infância. Existe uma grande variedade de investigações cognitivas em cães. Estas demonstram as habilidades sociais do cão e, também, como melhorá-las.

Habilidades sociais do cão: comunicação com humanos

Um dos experimentos mais interessantes para descobrir as habilidades sociais do cão foi o do projeto realizado pelo etologista Brian Hane com seu cão Oreo, e que demonstrou a grande inteligência social do animal.

Os cães podem entender nossos sinais com intenção comunicativa e, portanto, há raças de cães que são fáceis de treinarMas poderiam eles produzir esses mesmos sinais para construirmos uma estrada de mão dupla?

Para verificar isso, uma pessoa esconde algo em uma cesta, mas há outras duas vazias. Oreo, o cão, está presente. Mais tarde outra pessoa sai e fica na frente das cestas para ver se Oreo faz algum sinal… foi o que aconteceu e com muita precisão.

A mesma coisa aconteceu com outros cães, o que mostra que essas habilidades têm muita variabilidade individual. Mesmo assim, isso significaria que os cães não são apenas capazes de receber nossas informações, eles também são capazes de transmitir intencionalmente informações para nós.

inteligencia social dos cães

Habilidades sociais do cão: mapeamento rápido

O mapeamento rápido é uma das habilidades sociais mais interessantes do cão. O ser humano aprende desde cedo o significado das palavras muito rapidamente, capacidade que aumenta entre 12 e 16 meses de vida (temos a capacidade de aprender uma média de uma palavra a cada três dias). Aos 10 anos já aprendemos em média 12 palavras ao dia.

O mapeamento rápido é a habilidade que nos permite resolver o significado das palavras por meio da inferência, o que permite essa rápida capacidade de aprendizagem e memória, que dificilmente requer repetição ou prática.

Nos anos 80 houve muitas tentativas de ensinar aos primatas nossa linguagem, e centenas de palavras foram ensinadas a várias espécies, mas não através de mapeamento rápido. No entanto, os cães provaram aprender a língua através de mapeamento rápido. Rico foi o primeiro a provar isso no Instituto Max Planck.

O dono de Rico contatou o instituto assegurando que seu cão aprendeu 200 palavras, apontando apenas para objetos e nomeando-os. Para mostrar que Rico usava o mapeamento rápido, alguns de seus brinquedos familiares (e cujo nome ele conhecia) foram misturados a novos objetos, dos quais ele aprendeu o novo nome.

Algumas semanas depois, Rico lembrou os nomes sem ter treinado essa habilidade. Ele também foi capaz de reconhecer réplicas, fotos e imagens dos objetos nomeados.

Inteligencia dos cães

Posteriormente, essas investigações foram continuadas e foi possível que diferentes cães aprendessem até 1.000 palavras cada, provavelmente Oreo e Rico não são animais com habilidades muito diferentes das do resto da espécie canina.

Habilidades sociais do cão: princípio da exclusão

Outra experiência foi verificar que os cães têm a capacidade de realizar o princípio da exclusão, para o qual o cão é ensinado onde não há comida, e o animal deduz que a comida estava do outro lado. Também foi demonstrado que os cães podem concluir por inferência qual objeto veem e qual não.

Ao colocar bolas atrás de uma barreira opaca e de outra transparente, e pedir-lhes para trazê-las, os cães tendem a nos trazer a que ambos podem ver, já que os animais se encontram do outro lado da barreira, tanto da opaca como da transparente, de modo quem enxergam as duas bolas. Se ambos estiverem do lado onde é possível ver as duas bolas, eles tendem a escolher aleatoriamente.

Outro exemplo interessante é o de Phillip, um cão treinado por Joseph Topel: em vez de treinar o animal através de repetição/experimentação/erro, Joseph treinou Phillip para novas ações usando o comando: “Faça o que eu faço”, e ele conseguiu fazer com que Phillip executasse novas tarefas imediatamente através da imitação.

As habilidades sociais dos cães podem ser melhoradas através de tais experiências. Graças a estes experimentos, atualmente sabemos que estes animais são muito mais espertos do que pensávamos e, também, que algumas de suas habilidades cognitivas superam as dos cetáceos e as dos símios. Não é incrível?