Como os ornitorrincos nascem?

Os ornitorrincos são seres extraordinários que realizam um cortejo que pode durar até um mês, inclusive não há contato entre ambos até que a fêmea esteja pronta.
Como os ornitorrincos nascem?

Última atualização: 12 dezembro, 2021

Os ornitorrincos se destacam por sua aparência estranha. Eles se parecem com uma mistura de outros animais, pois têm focinho de pato, patas de lontra, cauda de castor e algumas características semelhantes às dos répteis. Se você não conhece a biologia deles, vai gostar de saber como os ornitorrincos nascem.

Esses animais nativos da Austrália e da Tasmânia pertencem à ordem Monotremata, como outras 4 espécies de mamíferos também muito enigmáticos. Seu nome científico é Ornithorhynchus anatinus e nas próximas linhas apresentaremos os destaques de sua reprodução e seu nascimento. Não perca!

Como são os ornitorrincos?

O ornitorrinco é um animal incrível: parece um cruzamento entre pato, castor e lontra. Isso se deve ao aspecto de seu focinho largo, achatado e liso, sua grande cauda e suas patas palmadas. Ele também carece de dentes, pois só tem placas de queratina presentes na cavidade oral.

O ornitorrinco é um excelente nadador e usa a cauda para manobrar e se impulsionar na água. Além disso, as membranas entre os dedos também contribuem para essa habilidade. No entanto, ele é capaz de se mover no solo e tem fortes unhas que lhe permitem cavar substratos.

Esse mamífero tem o corpo coberto por pelos que o protegem do frio e o isolam da água. Sua cor é marrom-escura, mas a região ventral é mais clara. Seu tamanho é diferente em fêmeas e machos, já que o macho costuma ser maior e mais pesado, com um comprimento aproximado de 50 centímetros. O peso das fêmeas gira em torno de 43 centímetros.

Uma característica marcante do ornitorrinco macho é a capacidade de produzir veneno, que ele injeta através das esporas em suas patas. Essa substância pode matar pequenos animais, mas não há necessidade de se preocupar com seu efeito em humanos. Suas toxinas não são mortais, embora causem dores muito intensas.

Um exemplo de mamíferos venenosos.

Como o ornitorrinco se reproduz?

Antes de investigar como nascem os ornitorrincos, vamos esclarecer suas características reprodutivas. Esses animais se reproduzem sexualmente por meio de ovos, como os outros 4 monotremados existentes. Esse é um aspecto interessante, pois não é encontrado em outros mamíferos.

Os ornitorrincos são animais noturnos e evasivos, com comportamentos reprodutivos pouco conhecidos em seu ambiente natural. A maioria dos dados observados vêm de indivíduos em cativeiro.

Esses monotremados são polígamos, ou seja, os machos acasalam-se com várias fêmeas durante a fase reprodutiva. Existe apenas um ciclo anual de acasalamento.

Cortejo e cópula

O cortejo dos ornitorrincos ocorre na água e tem duração variável de até 1 mês. Trata-se de uma fase de “namoro” em que os animais não têm nenhum contato, mas o macho tenta conquistar a fêmea mordendo seu rabo, embora ela responda com comportamentos evasivos se não estiver pronta para o acasalamento.

Os machos produzem um cheiro intenso e peculiar nessa fase. Eles têm um comportamento agressivo com as fêmeas, pois as perseguem e intimidam tentando fazer com que respondam ao encontro.

As fêmeas controlam a maior parte do processo reprodutivo, pois são elas que decidem quando vai começar, o local e a duração. Dessa forma, procuram reduzir o risco que acarreta a atitude masculina.

Os comportamentos evasivos das fêmeas são variados. Entre eles destacamos a fuga, a resistência e a evasão em relação aos machos. Dessa forma, elas se mantêm protegidas da insistência reprodutiva de seus parceiros enquanto ainda não estão preparados para o acasalamento.

Quando a fêmea está pronta para a cópula, ela permite que o macho morda sua cauda e juntos dançam em círculos na água. Então ocorre a fertilização: o ornitorrinco macho pousa sobre ela e insere seu pênis na cloaca feminina.

Uma das curiosidades reprodutivas do ornitorrinco é que durante o período reprodutivo os machos podem lutar entre si pelas fêmeas. Nessas batalhas, os competidores usam suas esporas venenosas como armas.

Gestação ou incubação?

Após a cópula, a fêmea é responsável pela construção de uma toca que servirá de local de nidificação. Surpreendentemente, os monotremados são os únicos mamíferos que não dão à luz filhotes vivos, pois se reproduzem por meio de ovos.

O período de gestação (no útero) dura de 15 a 21 dias. Por outro lado, após a postura dos ovos na toca ocorre uma incubação por cerca de 10 ou 11 dias a mais pela fêmea.

A toca é construída acima do nível do mar, nas margens de rios ou riachos. Consiste em vários túneis estreitos que terminam em uma câmara principal de incubação. O tamanho da toca é variável e pode variar entre 3 metros a mais de 10. O material utilizado para sua confecção inclui folhas molhadas e mortas que as fêmeas carregam com a ajuda da cauda.

Como os bebês ornitorrincos nascem?

O. anatinus nasce por meio de ovos, que são pequenos, de formato circular e com diâmetro aproximado de 11 milímetros. O número varia entre 1 e 3 exemplares.

Esses monotremados recém-nascidos são bastante frágeis e indefesos, por isso precisam dos cuidados da mãe para sobreviver. Além disso, são cegos, com pele fina e rosada, sem pelos e com dentes (que são perdidos durante o desenvolvimento).

A mãe amamenta os filhotes com seu leite. No entanto, é curioso notar que ela não possui mamilos. Por isso, o alimento é liberado pelos poros da pele graças a glândulas especializadas. Os ornitorrincos bebês se alimentam dessa maneira por cerca de 3 a 4 meses.

Após esses meses de lactação, os pequenos ornitorrincos já se desenvolveram o suficiente para sair da toca e se tornarem independentes.

Um ornitorrinco em um lago.

Os monotremados são animais com características únicas entre os mamíferos. Especificamente, Ornithorhynchus anatinus tem uma aparência impressionante com um comportamento reprodutivo igualmente notável. A forma como os ornitorrincos nascem dos ovos, frágeis, indefesos, calvos, cegos e com dentes, será sempre um aspecto interessante de conhecer.

Pode interessar a você...
O veneno do ornitorrinco: o que você precisa saber
Meus Animais
Leia em Meus Animais
O veneno do ornitorrinco: o que você precisa saber

O ornitorrinco é famoso por seu veneno, mas nem todo mundo sabe do que é feito e para que serve. Aqui revelamos tudo sobre esse aspecto.



  • Holland, N., & Jackson, S. (2002). Reproductive behaviour and food consumption associated with the captive breeding of platypus (Ornithorhynchus anatinus). Journal of Zoology, 256, 279-288.
  • Serena, M., & Grant, T. (2017). Effect of flow on platypus (Ornithorhynchus anatinus) reproduction and related population processes in the upper Shoalhaven River. Australian Journal of Zoology, 65(2), 130-139.
  • Thomas, J., Parrot, M., Handasyde, K., & Temple-Smith, P. (2018). Female control of reproductive behaviour in the platypus (Ornithorhynchus anatinus), with notes on female competition for mating. Behaviour, 155, 27-53.
  • Thomas, J., Handasyde, K., Parrot, M., & Temple-Smith, P. (2018). The platypus nest: burrow structure and nesting behaviour in captivity. Australian Journal of Zoology, 65(6), 347-356.