Conheça a águia-imperial-ibérica

A águia-imperial-ibérica é uma ave de rapina simbólica da biodiversidade. Se você quiser saber mais sobre ela, neste artigo mostraremos os pontos mais importantes.

Última atualização: 19 Fevereiro, 2021

Se alguma espécie ibérica se caracteriza por ter uma população pequena e ameaçada, é a águia-imperial-ibérica (Aquila adalberti). Sua delicada situação é fruto de uma série de fatores que, nos últimos séculos, reduziram sua população para cerca de 130 casais. Na verdade, é considerada uma das sete espécies mais ameaçadas do mundo.

Como é a águia-imperial-ibérica?

A águia-imperial-ibérica é caracterizada por:

  • Possuir envergadura de até 2 metros.
  • Peso próximo a três quilos nos machos e três ou quatro quilos nas fêmeas.
  • Possui plumagem escura, com manchas claras nas bordas das asas. A cabeça apresenta tons amarelos escuros e a cauda é cinzenta com uma faixa preta.

Fonte: https://www.seo.org/ave/aguila-imperial-iberica/

Distribuição mundial da águia-imperial-ibérica

Sua distribuição ocorre exclusivamente na Península Ibérica. Na verdade, ela só se reproduz na Espanha. Em determinado momento, essa ave esteve ligada à águia-imperial-oriental, distribuída por toda a Europa oriental, mas hoje as duas estão separadas pela Europa Central.

Dentro do território peninsular, ela fica localizada nas montanhas e planícies do centro, oeste e sudoeste: Madrid, Castela e Leão, Castela-Mancha, Estremadura e Andaluzia. No Marrocos, ainda é possível que ainda existam alguns casais isolados.

Ecologia e comportamento

Alimentação

Essa ave se alimenta de até 100 espécies diferentes de vertebrados, tendo o coelho como base alimentar. Em Doñana, no outono e no inverno, o ganso-comum também é muito importante em sua alimentação. Em outras latitudes, sua dieta inclui carquejas, patos, pombos, pega-rabuda e o sardões. Alguns casais e filhotes espalhados também podem se alimentar de carniça de gado.

A ausência de coelhos pode significar o fracasso da estação reprodutiva e até mesmo o abandono dos ovos nos ninhos.

Predação

Uma vez que localiza a presa com sua visão aguçada, a águia-imperial usa suas garras para capturá-la. Para caçar em terra, a ave desenvolveu patas curtas e grossas com as quais captura de surpresa na vegetação ou atacando a partir de uma grande distância no ar com as asas abertas.

Às vezes, ela pratica o cleptoparasitismo, que consiste em roubar uma presa caçada por outro animal, geralmente outra ave de rapina.

Reprodução

Como o abutre-preto, ela constrói seus ninhos na copa das árvores e mantém vários ninhos alternativos em cada território. Assim, em Doñana essas aves nidificam em sobreiros, pinheiros-mansos e eucaliptos, mas na região central usam pinheiros ou azinheiras.

Seu ciclo reprodutivo dura cerca de oito meses. No final de dezembro, começam a desenvolver voos e sons de namoro. Então ocorre a cópula e, por volta de março, a postura.

Conservação da águia-imperial-ibérica

Desde que foi adquirida consciência do perigo de extinção da águia imperial, vários esforços têm sido feitos para melhorar sua situação. Inúmeros trabalhos e esforços de conservação foram realizados, culminando na declaração de áreas protegidas para a espécie.

Comunidade de Madrid

Mais recentemente, espécimes marcados com transmissores começaram a ser acompanhados. Essa técnica nos ajudou a saber que suas maiores ameaças são eletrocussões, caça furtiva e envenenamento.

Apesar de na década de 1960 ter sido possível interromper sua regressão e aumentar timidamente sua população reprodutiva, a situação atual está mais uma vez em risco. O declínio da espécie volta, principalmente devido à incidência de venenosSe antes o problema era a estricnina, agora qualquer mistura de inseticidas, fungicidas ou outros produtos químicos é tóxica para essas aves.

O que podemos deduzir de tudo isso?

Em resumo, destacamos a importância e a necessidade de estabelecer um plano de recuperação para as comunidades autônomas da Espanha a fim de que se tornem uma ferramenta para ajudar a prevenir seu desaparecimento. Os rascunhos desse projeto foram escritos há vários anos. Vamos torcer para que quando eles saírem do papel, não seja tarde demais.

Pode interessar a você...
Mis AnimalesLeerlo en Mis Animales
O urubu-de-cabeça-preta: estado de conservação

Nos céus e pradarias da América do Sul, o urubu-de-cabeça-preta é um dos espécimes mais abundantes. Neste artigo, vamos falar mais sobre ele!



  • El águila imperial ibérica. Colección GREFA-BCH, Nº 11. Pág.: 2-3; 4-9.