Conheça o abutre barbudo, uma curiosa ave de rapina

Conheça o abutre barbudo, uma curiosa ave de rapina
Conheça o abutre barbudo, uma curiosa ave de rapina

Última atualização: 21 Fevereiro, 2019

Essa ave de rapina, popularmente conhecida como abutre barbudo, larga partes ósseas de animais enquanto voa quando elas são grandes demais para ele digerir.

O abutre barbudo, também conhecido com quebra-ossos, é uma ave de rapina com uma aparência bastante sombria. Você sabe o porquê desse apelido? Por causa de seu hábito de quebrar ossos e conchas contra pedras! Saiba mais sobre ele a seguir.

Habitat do abutre barbudo

Essa ave geralmente habita áreas acidentadas e montanhosas com muitas ravinas ou falésias. Além disso, pode ser encontrada em várias cavernas durante a época de nidificação. Eles podem compartilhar sua “casa” com cabras da montanha e camurça.

No continente europeu, ele está em perigo de extinção e há apenas algumas comunidades muito pequenas nos Pirinéus e nos Alpes, onde foi reintroduzido. Com isso, seu território se estende pelo norte da África, pelo Rift Valley, na África do Sul e da Anatólia (Turquia) até o Himalaia e as montanhas Tian Shan, na China.

Características do abutre barbudo

Essa ave de rapina tem uma envergadura que pode atingir três metros e um peso que varia entre cinco e sete quilos. Ao contrário dos outros abutres, o barbudo tem a cabeça coberta de penas. Além disso, sua cauda é longa em forma de diamante e as asas são estreitas e compridas.

A cor da plumagem muda de acordo com a idade do espécime. Dessa forma, quando tem menos de um ano, sua barriga é castanho claro e o resto do corpo é castanho com pontas pretas. Até os três anos de idade, o pescoço permanece escuro, mas pouco a pouco algumas áreas ficam mais claras, como a cauda.

característica abutre barbudo

Entre três e seis anos as asas ficam cinza e o pescoço amarelado. Por fim, quando passa dos seis anos, tanto o corpo como a cabeça e o pescoço são branco-amarelados. Apresenta um colar preto e asas e cauda cinza.

Alimentando o abutre barbudo

O abutre barbudo é o único pássaro que se alimenta exclusivamente de ossos. Com isso, introduz a cabeça e o pescoço nos corpos dos animais mortos e “rejeita” as partes moles e as vísceras. Eles são os últimos a se servir na festa dos predadores.

Quando as partes ósseas são muito grandes – mais de 20 centímetros – para poder engoli-las inteiras, ele as segura com as pernas, as carrega o mais alto possível e solta com força para que quebrem quando baterem nas pedras.

Ele faz o mesmo com cascas de tartaruga vazias. Dessa forma, 75% de sua dieta é composta de ossos e o resto de ratos e lagartos, que captura em meio a um voo.

Hábitos e reprodução do abutre barbudo

Essa ave normalmente não faz sons, exceto quando está muito ameaçada, lançando uma espécie de apito. Para se comunicar com seus congêneres, usa os olhos e as penas da cabeça. Ou seja, se estiver com raiva, por exemplo, a carótida fica inflamada e a plumagem se eriça.

alimentação abutre barbudo

Numa mesma área podem viver centenas de casais e, uma vez que consigam um parceiro, o mantêm por toda a vida. Juntos, eles constroem um ninho na entrada de uma caverna, que é recondicionada a cada ano.

Sedentário, o abutre barbudo não se afasta muito de seu território, que é cerca de 30 km². No entanto, ele pode fazer isso para procurar comida, mas sempre retorna após satisfazer seu apetite.

A estação de acasalamento começa em setembro e os postas são em dezembro. Ambos os pais se revezam para incubar dois ovos por 60 dias. Apenas o mais forte dos filhotes sobrevive, já que ele é responsável por “matar” seu irmão fraco. Esse comportamento está presente em outras aves também, como as águias.

Após quatro meses de cuidados, o filhote sobrevivente embarca em seu primeiro voo. No entanto, ainda é alimentado pelos adultos por até quase 10 meses, quando se torna independente do ninho.

Pode interessar a você...
O papel do abutre no ecossistema
Meus Animais
Leia em Meus Animais
O papel do abutre no ecossistema

Para algumas pessoas, os abutres podem parecer desagradáveis. No entanto, trata-se de aves essenciais para garantir o equilíbrio do meio-ambiente. ...