Conheça o órgão vomeronasal dos gatos

· agosto 11, 2018
Graças a esta estrutura, os felinos são capazes de "saborear" partículas que estão no ar e que são coletadas pelo olfato.

O olfato dos bichanos é muito mais desenvolvido do que os dos humanos. Esse sentido é fundamental para esses animais se relacionarem e se comunicarem com o entorno. Mas, além disso, os felinos contam com outra ferramenta para captar odores. No artigo de hoje, contaremos todos os detalhes do órgão vomeronasal dos gatos. Confira!

Uma ferramenta sensorial dos vertebrados

Também conhecido como órgão de Jacobson, em homenagem ao seu descobridor, este “dispositivo” sensorial está localizado no osso vômer, entre o palato e as fossas nasais. É composto por dois sacos com extremidades cegas, que possibilitam que o ar passe por dentro deles.

Podemos defini-lo como órgão auxiliar do olfato e está presente em alguns vertebrados. Graças a essa estrutura, eles podem detectar diferentes compostos químicos. Sua função, em muitos casos, é fundamental para a caça e a reprodução.

Os seres humanos também apresentam essa estrutura, mas ainda não está claro se a utilizamos de alguma maneira. E, para os gatinhos, ela permite “saborear” partículas gasosas, mas elas são percebidas pelo olfato e não pelo paladar.

Conheça o órgão vomeronasal dos gatos

Situado atrás dos incisivos superiores, o órgão vomeronasal dos gatos permite a eles “saborear” os odores. Este dispositivo sensorial faz com eles sintam odores que os humanos não captam.

O olfato particular dos bichanos

O sistema olfativo permite aos gatos sentirem odores que os humanos não conseguem perceber. É o caso, por exemplo, dos famosos feromôniossinais químicos que transmitem informações entre animais da mesma espécie.

Os felinos captam essas substâncias através da mucosa olfativa e do órgão vomeronasal. Mas os feromônios não são os únicos cheiros que os gatos podem decodificar através do órgão de Jacobson.

É assim que eles analisam novos odores, como soda cáustica, alguns alimentos e, principalmente, os odores sexuais. Esses animais são capazes de detectar, por exemplo, se uma fêmea está no cio farejando a urina.

Assim funciona o órgão vomeronasal dos gatos

Se você é observador, com certeza já notou que, de vez em quando, seu gato faz umas caras estranhas. De repente abre a boca e respira pela parte superior, enquanto abaixa os lábios, enruga o nariz e levanta a cabeça.

Conheça o órgão vomeronasal dos gatos

Esse tipo de careta é conhecido como reflexo flehmen. É uma resposta biológica que, por poucos segundos, fecha a rota respiratória habitual. Com isso, o ar passa pelos dutos do órgão vomeronasal.

Então, se o gatinho percebe certas moléculas no ar, as retém por meio de receptores na língua. Em seguida, elas passam pela abertura do órgão de Jacobson, quando o animal pressiona a língua contra o palato. Algumas vezes, ele também move a língua para ajudar a expandir o cheiro.

Outras informações sobre o órgão de Jacobson

Os odores captados pelo olfato e pelo órgão de Jacobson percorrem vias neuronais diferentes. No primeiro caso, se dirigem até as zonas cognitivas do cérebro. No segundo, alcançam estruturas com o hipotálamo e a amígdala cerebral.

Especificamente, os odores se dirigem a áreas relacionadas com reações emocionais e com comportamentos sexuais, sociais, alimentares e de defesa. Além disso, os feromônios captados pelo órgão vomeronasal podem gerar mudanças fisiológicas nos gatos mais lentas e que permanecem por mais tempo.

Agora que você já sabe de tudo isso, se notar que o seu bichano tem um reflexo flehmen, entenderá melhor seus comportamentos que antes pareciam inexplicáveis. O órgão vomeronasal dos gatos é a resposta!