Conheça os camelídeos da América do Sul

dezembro 9, 2018
Estes animais têm grande importância para as civilizações da América do Sul. Diferem dos camelos porque têm um longo pescoço e, também, um sistema digestivo que pode até mesmo digerir algumas toxinas. 

Quando imaginamos um camelo, pensamos em um animal com corcova que vive no deserto, mas essa família inclui outros animais: os camelídeos sul-americanos. Conheça-os no artigo a seguir.

Quais são os camelídeos sul-americanos?

Eles pertencem a uma tribo conhecida como Lamini e têm dois gêneros e quatro espécies, que podem se cruzar e obter descendentes férteis.

Os camelídeos da América do Sul diferem dos camelos porque eles têm um pescoço alongado e um sistema digestivo capaz de digerir algumas toxinas.

Estes, além disso, têm sido de grande importância para as civilizações sul-americanas e hoje ainda são valorizados.

  1. Vicunha

Este mamífero vive nos altiplanos andinos, especificamente na Argentina, Bolívia, Chile, Equador e Peru. É um dos habitantes da cordilheira dos Andes, pois prefere habitats a mais de 3,2 mil metros acima do nível do mar.

A vicunha – foto que abre este artigo – mede cerca de 80 centímetros e pesa cerca de 50 quilos. A cor dos pelos é bege ou castanho avermelhado claro, com áreas brancas na barriga e nas pernas. 

Suas longas patas possuem almofadas e permitem caminhar sobre vários tipos de solo.

Além disso, a lã da Vicunha é considerada uma das melhores e mais finas do mundo, mas, ao mesmo tempo, uma das que mais protegem contra o frio. Portanto, o animal pode sobreviver assim às mudanças climáticas típicas da região em que vive.

  1. Lhama

É outro dos camelídeos sul-americanos que vivem no Altiplano dos Andes, na Argentina, Bolívia, Chile, Equador e Peru. Foi muito útil durante o império Inca, tanto pela lã e carne quanto para transportar carga. Diz-se que eram utilizadas até durante os sacrifícios para os deuses.

Lhamas

De tamanho médio, com pescoço longo e orelhas pequenas, a lhama doméstica possui lã de cor clara uniforme, embora alguns exemplares possam ser marrons ou ter áreas de diferentes tonalidades.

Além disso, a cauda é quase inexistente e suas patas, apesar de curtas, são fortes o suficiente para que possam escalar as montanhas com bastante peso.

  1. Guanaco

O terceiro dos camelídeos da América do Sul nesta lista é selvagem e é encontrado no Chile, Bolívia, Argentina, Paraguai e Peru.

Ele vive em grupos formados por um único macho, algumas fêmeas e seus filhotes. Quando o “chefe” percebe algum perigo, ele faz emite um som parecido com um “balido” para alertar sua família. Seu principal predador é o puma.

Guanaco

Quanto às características físicas, o guanaco tem pouco menos de dois metros de comprimento – é o maior da Patagônia – e pesa cerca de 100 quilos. Sua pelagem é média, de cor acastanhada, com barriga mais clara e cabeça escura.

Alimenta-se de tubérculos, ervas e musgo, e é conhecido por sua capacidade de “cuspir”, seja saliva ou qualquer outra coisa que esteja mastigando naquele momento.

  1. Alpaca

Finalmente, um camelídeo sul-americano relacionado à vicunha e que foi domesticado por milhares de anos. Pode ser encontrada nos planaltos dos Andes: na Argentina, Chile e Equador.

O Peru é o país com a maior população de alpacas e há até mesmo rebanhos nos Estados Unidos, Nova Zelândia e Europa, introduzidos pelo homem.

Alpaca

A alpaca tem uma altura de 90 centímetros e pesa cerca de 75 quilos, e é apenas domesticada por sua lã, que é de alta qualidade, usada para fazer ‘ponchos’ (típica vestimenta andina), lenços, casacos, cobertores e luvas.

A cor dos pelos é diversa e você pode encontrar espécimes marrons, pretos, brancos ou malhados.