A corça, também chamada de 'duende da floresta'

A corça é o menor cervo conhecido e com tendências não gregárias. Apresenta uma ampla área de expansão na Europa Central até a Ásia.
A corça, também chamada de 'duende da floresta'

Última atualização: 10 Agosto, 2020

A corça, ou Capreolus capreolus, é um mamífero pertencente à família dos cervos. Sua área de distribuição cobre parte da Europa Central até o norte da China.

Características da corça

A corça é o menor dos cervídeos europeusExiste um certo dimorfismo sexual: os machos são maiores que as fêmeas. Entre suas características, estão os membros posteriores extremamente poderosos, que são adaptados ao salto.

Em relação à sua morfologia, as características mais marcantes são uma faixa preta no focinho, orelhas grandes e um escudo anal branco com pelo eriçado, que circunda a cauda rudimentar presente nesses animais. 

Além disso, apresentam chifres com três pontos. Esses animais trocam os chifres nos meses frios – novembro ou dezembro – para formá-lo novamente depois de dois ou mais meses.

Eles passam por duas trocas anuais de pelagem, na primavera e no outono. No inverno, a tonalidade da pelagem espessa é cinza, e no verão a pelagem é curta e apresenta uma grande variedade de tonalidades, variando do laranja ao marrom. Uma exceção são os veados do sul da Espanha, que no verão mantêm a tonalidade cinza do manto.

Habitat e comida

A corça ocupa principalmente áreas de floresta, onde pode se abrigar e encontrar comida. Seu habitat por excelência são as áreas povoadas de arbustos e com diversidade botânica variada. Às vezes, podem explorar meios agrícolas.

Habitat e comida

Em relação à alimentação, são bastante animais seletivos. Elas preferem consumir material vegetal com alto valor nutricional, mas com baixo teor de fibras. Por outro lado, é preciso mencionar que em muitos locais europeus, a dieta fundamental desse animal é constituída por grãos agrícolas.

Distribuição

A corça tem uma ampla área de distribuição, desde a Europa Central até o norte da China. No entanto, não está presente em vários países europeus, especificamente nos seguintes:

  • Irlanda
  • Córsega
  • Sardenha e Sicília
  • Peloponeso (região grega) e sul da Grécia
  • Creta
  • Chipre
  • Península Escandinava

Comportamento da corça

As corças são caracterizadas como animais solitários, apesar de a maioria dos cervídeos mostrar comportamento gregário e grupal. No entanto, foi observado que elas podem se agrupar quando as condições do habitat exigirem.

Esses animais realizam marcações de terreno. O macho marca um território mediante a liberação de substâncias químicas, liberadas por suas glândulas odoríferas. A marcação é feita esfregando a cabeça e o chifre contra a vegetação e cavando no chão.

A partir dessa marcação, ele defende o território realizando uma série de vocalizações semelhantes aos cães. É por isso que se diz que ele “late”. Normalmente, a marcação ocorre durante a estação do cio e a troca dos chifres.

Estado de conservação

Na verdade, as corças nunca foram classificadas como espécies ameaçadas de extinção, e sim como de menor preocupação. No entanto, vale ressaltar que a transferência não regulamentada de exemplares em campanhas de repovoamento pode levar à perda de características genéticas e ecológicas.

Entre os principais fatores que ameaçam a C. capreolus estão:

  • Caça. O animal foi revalorizado como um troféu de caça nos últimos anos.
  • Predação pelo lobo (Canis lupus) no norte da Espanha.
  • Diferentes patologias e parasitas.
  • Redução do habitat.
  • Introdução de espécies invasoras ou tóxicas, tanto de animais quanto de plantas.
  • Perda de informação genética típica das populações nativas em face de um repovoamento descontrolado.

Atualmente, as populações de C. capreolus estão aumentando em relação ao número de exemplares. Estima-se que existam 15 milhões de indivíduos adultos na Europa Central.

Curiosidades sobre a corça

A corça segue o chamado “ciclo do chifre”. Esse ciclo decorre da perda dos chifres nos meses frios até os meses de verão. Os adultos retiram aos chifres e um novo começa imediatamente a crescer.

Curiosidades sobre a corça

O chifre em formação passa por uma série de alterações. Ele é coberto por uma estrutura muscular que se tornará um tecido cartilaginoso e, posteriormente, ósseo, chamado de “veludo” ou “cotão”. Isso ocorre durante os meses de dezembro e janeiro.

Nos indivíduos jovens, o crescimento é perpendicular, enquanto nos adultos os chifres são inclinados. Nos adultos, eles vão se encurtando a cada ano. Entre março e maio, ocorre a marcação do território, o que gera lutas territoriais e a dispersão de exemplares mais jovens.

Pode interessar a você...
Animais ameaçados de extinção no Parque Nacional de Yellowstone
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Animais ameaçados de extinção no Parque Nacional de Yellowstone

Convidamos você a descobrir algumas das espécies de animais ameaçados de extinção no Parque Nacional de Yellowstone. Confira!