Cuidados básicos com uma iguana

Nas últimas décadas, vem crescendo o número de pessoas interessadas em criar diferentes répteis como animais domésticos. Ter uma iguana em casa é um exemplo disso.

Posse legal e responsável

A criação doméstica de muitos répteis é proibida, para prevenir e combater o tráfico de animais silvestres. O mercado negro de compra e venda de animais é uma triste realidade que existe em muitos países. E ameaça a sobrevivência de muitas espécies.

Além disso, é necessário levar em conta que a posse em cativeiro de espécies em risco de extinção é considerado um delito. O proprietário pode sofrer sanções econômicas e penas legais.

Por isso, é fundamental saber a origem do animal e escolher com consciência onde adquiri-lo.

Iguana doméstica

O que levar em conta antes de escolher uma iguana como animal de estimação?

A iguana pertence à família dos répteis e é a espécie de lagarto mais comumente criada em cativeiro. Geralmente, vive cerca de 20 anos em ambientes favoráveis a seu desenvolvimento e com uma boa nutrição. A iguana pode se desprender de seu rabo para escapar e regenerá-lo, mas somente uma vez. Mas a cor e brilho da pele não serão tão notáveis como o rabo original.

As iguanas se tornaram muito populares como animal de estimação em países da América e da Ásia. Mas podem não ser a opção mais indicada para os principiantes na criação de lagartos. São grandes, requerem muitos cuidados com sua alimentação e podem se tornar muito territoriais quando adultas.

O aspecto financeiro também é relevante, pois as iguanas podem ser animais de estimação muito caros. Tudo começa pelo custo de adquirir uma iguana legalmente. Mas os gastos seguem elevados com a atenção veterinária especializada, as vitaminas e suplementos para conservar sua saúde.

Um último aspecto muito importante para decidir com consciência ter ou não uma iguana: os répteis são animais muito independentes. É por isso que conseguem sobreviver no mundo selvagem. Isso significa que não se deve comprar uma iguana esperando que ela peça ou dê carinho.

Cuidados básicos com uma iguana: o terrário ideal

O primeiro dos cuidados básicos com uma iguana consiste em preparar o habitat. Isso significa reproduzir as condições ótimas para o desenvolvimento saudável de sua espécie.

Tudo começa por escolher o terrário adequado para seu réptil. É muito pouco recomendável deixar um lagarto solto pela casa. Principalmente antes de ele se adaptar ao novo lar.

As iguanas podem alcançar entre 1,80 e 2 metros de comprimento na fase adulta. No entanto, um “bebê” geralmente tem apenas 20 cm. Isso significa que o terrário deve estar preparado para seu rápido crescimento.

Além disso, todo animal precisa de espaço para se movimentar livremente e se exercitar. É uma condição fundamental para preservar seu peso e evitar diversas doenças.

Por isso, recomenda-se que o terrário tenha pelo menos 4 vezes o tamanho adulto de seu lagarto.

O clima adequado para o réptil doméstico

As iguanas são oriundas de ambientes tropicais com muita luz e umidade. Por isso, não hibernam.

Para criar devidamente uma iguana em cativeiro, é necessário proporcionar um microclima, principalmente durante o inverno.

O clima ideal para sua amiga réptil deve ter uma umidade do ar entre 70% e 80%. O ideal é que possuam também uma pequena piscina ou lago artificial para o animal se refrescar, se hidratar e respeitar seus costumes. As iguanas têm o hábito de subir nas árvores e saltar na água quando percebem algum perigo.

As temperaturas devem ficar entre 30 e 40 ºC no verão, e diminuir suavemente no inverno. Em épocas frias, estarão entre 25 e 35 ºC. Também é importante variar suavemente as temperaturas na noite e durante o dia.

A alimentação: fator chave nos cuidados básicos

A maioria das doenças das iguanas criadas em cativeiro derivam de uma nutrição inadequada. Por isso, a alimentação é o fator chave dos cuidados básicos com esse réptil.

iguana

Lembre, elas são estritamente vegetarianas. Não consumem qualquer tipo de proteína animal, muito menos carne crua.

Proporções da dieta

  • Vegetais verdes: representam 60% da dieta. Dar preferência para: brócolis, endívias, repolho, folhas de cenoura e couve flor, agrião, salsa, espinafre, escarola, aipo e rúcula.
  • Legumes: são 25% da alimentação diária. O ideal é misturar milho, cenoura, batata, beterraba e ervilha.
  • Frutas: representam 15% da dieta. Uma mistura tropical inclui maçãs, pera, melão, banana, laranja, mamão, manga, melancia, figo, etc.
  • Cálcio: as iguanas em cativeiro podem necessitar tomar suplementos de cálcio para complementar sua dieta natural.
Recomendados para você