Curiosidades da ema

· abril 14, 2019
Uma das curiosidades da ema é que ela se confunde, por sua semelhança, com o avestruz; a teoria da evolução de Darwin sugere que ambos animais derivam da mesma espécie

Uma das maiores aves do planeta é pouco conhecida. No entanto, as curiosidades da ema são muitas, tornando-a uma espécie digna de estudo.

Curiosidades da ema: o menu de Darwin

Uma das curiosidades da ema é sua forte relação com o pai da evolução, ou melhor dizendo, da seleção natural. Charles Darwin baseou algumas de suas conclusão nessa ave magnífica.

A ema de Darwin é uma espécie conhecida como ema do norte. A razão por trás desse nome é que o próprio Darwin obteve os primeiros ossos que demonstraram a existência dessa nova espécie.

Darwin queria testar todos os animais que descobria em suas viagens, literalmente. Testou várias espécies de tartarugas e outras espécies como a ema, cujos ossos mandou a Londres, junto com os restos do exemplar caçado. Depois disso, a Sociedade Zoológica de Londres decidiu nomear a espécie em honra ao cientista.

Curiosidades sobre a ema

Curiosidades da ema: pai exemplar 

Uma das curiosidades da ema é sua etologia. Estamos falando de um animal no qual os machos chocam os ovos das fêmeas, em grupos nos quais até 12 fêmeas podem pôr ovos de um macho.

Às vezes elas não põem os ovos no ninho, e por isso o macho os vai colocando. Ele fica muito agressivo durante o período de reprodução, quando suas patas são especialmente perigosas por conta de sua musculatura.

Curiosidades da ema… ou do avestruz?

Quando alguém que não entende dessas espécies se aproxima do avestruz, do emu e da ema, muitas vezes não consegue diferenciá-las. O próprio Darwin chamava, no começo de suas viagens, esses animais de avestruzes anões.

Enquanto o avestruz vive na África, o emu vive na Austrália e a ema na América do Sul. Entre eles há muitas diferenças, desde o tamanho até a plumagem, e inclusive o fato de que a ema tem três dedos, enquanto o avestruz só tem dois.

No entanto, a similaridade entre essas aves não passou despercebida para Darwin. Como era possível existirem animais tão parecidos em dois continentes separados por milhares de quilômetros?

Essas observações inocentes foram outras das provas de Darwin para defender a teoria evolutiva. Aqueles dois animais podiam ser parentes que possuíam um ancestral em comum. A partir deste, haviam evoluído. Dois animais tão parecidos e ao mesmo tempo tão diferentes poderiam ter derivado de um ancestral comum, através de mudanças ao longo das gerações.

Avestruz americano

Ema, invasora na Alemanha

Um dos fatos mais curiosos da ema é que se tornou uma espécie exótica invasora em países como a Alemanha. Os avestruzes e seus parentes foram explorados por fazendas por sua carne e ovos na Europa, e tiveram popularidade até há alguns anos, ainda que isso possa causar alguns problemas.

Esses animais habitam, agora, uma região alemã, exatamente nos arredores da cidade de Lübeck. Estima-se que a população tenha passado de 200 exemplares, e os agricultores locais já começaram a reclamar do seu impacto.

A relação da ema com o homem

Darwin não é o único que se relacionou com a ema, já que o ser humano convive com essa espécie na América do Sul há milênios. Para muitos indígenas, a constelação do Cruzeiro do Sul era a pegada desse animal.

Essa relação se materializou principalmente pelo consumo de sua carne, com um perfil bastante saudável. O uso de sua pele para fazer roupas ou suas penas para espanadores também é frequente, além do consumo de ovos, também usados para decoração. Assim como outros animais selvagens, a ema interfere em nossas vidas, queiramos nós ou não.

«Rhea». Paleobiology Database (en inglés). Consultado el 1 de Octubre de 2018.