O domínio das fêmeas de hiena

· fevereiro 4, 2019
Tal é a supremacia das fêmeas deste animal, que os machos não podem comer enquanto elas se alimentam. A explicação desse "poder feminino" tem a ver com a sobrevivência das espécies.

As hienas malhadas têm uma fama imerecida. Tratadas como “ladras” astuciosas e traiçoeiras, a verdade é que as hienas são boas caçadoras, muito inteligentes e uma daquelas espécies onde as fêmeas mandam: as fêmeas de hiena têm um poder enorme nos grupos.

Isso ocorre em muitas espécies, como entre elefantes e lêmures, embora no caso das hienas seu matriarcado seja um dos mais fortes do reino animal. 

Conheça a hiena malhada

A hiena malhada é um carnívoro muito comum que pode ser encontrado em praticamente toda a África ao sul do Saara, exceto em Madagascar, na África do Sul, na Bacia do Congo e em alguns desertos. Esta é uma das quatro espécies de hienas da atualidade.

São animais corpulentos: as fêmeas de hiena podem chegar aos 90 quilos, já que estas são o gênero de maior tamanho nesta espécie. Mas algo que chama a atenção nas fêmeas de hiena, além de seu tamanho, são seus genitais.

As fêmeas de hiena não têm vulva, e seu clitóris é muito desenvolvido, a ponto de atingir a conformação e as dimensões do pênis do macho.

Na verdade, elas têm um inchaço semelhante aos testículos do macho, então são difíceis de diferenciar.

São animais resistentes, que correm e nadam muito bem. As hienas também são conhecidas pelos sons e latidos específicos que emitem, que nos lembram o riso humano.

Hienas malhadas

São animais noturnos e, geralmente, se escondem em cavernas durante o dia. As hienas são melhores caçadoras do que você pensa, andam em grupos de até 30 indivíduos e têm a mais poderosa mandíbula do reino animal.

O domínio das fêmeas de hiena

A presença deste pseudo-pênis não é a única coisa que caracteriza as fêmeas de hienas: nesta espécie são elas que lideram o grupo, e o fazem de forma muito radical.

Voltando à sua anatomia peculiar, a chamada clitoromegalia é algo que aparece em várias espécies, como nos lêmures de cauda anelada e no urso-gato-asiático. O problema surge na hora do parto, uma vez que a ausência da vulva torna-o bastante difícil e perigoso para a fêmea.

No entanto, essa característica anatômica dá uma vantagem às fêmeas de hienas: elas sempre decidem quando irão procriar, já que precisam retrair o clitóris para isso. Portanto, literalmente, os machos não podem forçar as fêmeas de hienas a se reproduzir.

Pesquisadores da Universidade do Michigan estudaram esses animais em Masái Mara por mais de 30 anos. Nesses estudos, eles viram como as sociedades de hienas malhadas são matriarcais, nas quais as filhas das “fêmeas alfa” herdam a posição de chefia.

Hienas malhadas comendo carniça

Portanto, os machos são os últimos na hierarquia; eles não podem sequer comer se as fêmeas estiverem se alimentando e nem podem ser agressivos contra elas, sem serem repreendidos.

Por que as fêmeas de hiena são as que governam?

Alguns pesquisadores acreditam que o domínio das fêmeas e sua anatomia única têm uma explicação. As hienas são animais que consomem uma grande quantidade de alimentos e são muito competitivas, de modo que os animais dominantes têm acesso aos melhores pedaços de carne.

As hienas podem comer de tudo: suas poderosas mandíbulas permitem que cortem suas presas em um ritmo vertiginoso em comparação com leões ou outros carnívoros, que precisam despedaçar o cadáver todo para comê-lo.

As últimas hienas na hierarquia ficam com os restos: comem os ossos e a carne putrefata. É por isso que o acesso prioritário para as fêmeas garante os melhores pedaços de carne para seus filhotes, que ainda não podem quebrar ossos.