Curiosidades sobre os micromamíferos insetívoros

junho 21, 2020
Os micromamíferos insetívoros são pequenos mamíferos predadores de insetos. Embora normalmente não se alimentem apenas de insetos, eles constituem a maior parte da sua dieta.

Os micromamíferos insetívoros não precisam se alimentar exclusivamente de insetos, já que também podem ingerir minhocas, peixes ou vegetais. Muitos dependem dos insetos como parte fundamental da dieta, mas há outros que têm uma dieta mais variada e usam essa proteína animal como complemento, especialmente durante a estação reprodutiva. 

Eles constituem um dos mais numerosos grupos de mamíferos do mundo. O pequeno tamanho desses animais e sua fecundidade permitem que eles se multipliquem com grande facilidade.

Micromamíferos insetívoros: visão geral

Quase todos os micromamíferos insetívoros têm hábitos noturnos. Por esse motivo, eles geralmente não têm uma visão aguçada. No entanto, contam com certos métodos de defesa, tais como espinhos ou glândulas que secretam substâncias desagradáveis, para ajudá-los na escuridão.

Quais são os micromamíferos insetívoros que podemos encontrar na natureza?

As numerosas variedades de musaranhos

Encontramos desde o musaranho comum ou cinzento – Crocidura russula – até o musaranho-anão-de-dentes-vermelhos – Sorex minutus –, passando por muitas outras espécies. Esses pequenos mamíferos constituem um grupo muito variado de animais.

Uma de suas características mais curiosas é que, quando os filhotes abrem os olhos e os pelos crescem, eles saem da toca e andam em fila indiana, segurando o rabo daquele que estiver à sua frente.

A família dos tálpidos, outros micromamíferos insetívoros

Curiosidades sobre os micromamíferos insetívoros

Seu representante mais popular é a toupeira, caracterizada por seus dentes, seu tronco robusto e semicilíndrico e as poderosas garras que usa para cavar.

A toupeira vive em completa escuridão, por isso seus olhos são muito pequenos ou inexistentes. Geralmente, não tem orelhas. E é tão voraz que morre se passar mais de doze horas sem comer. Ela precisa ingerir três vezes o seu peso em alimentos. 

Uma das espécies mais estranhas é a toupeira-nariz-de-estrela – Condylura cristata – dos pântanos da América do Norte.

Seu focinho longo termina em um disco cercado por tentáculos cor de carne. Esse apêndice tão estranho, de aparência grotesca, pode se abrir e se fechar, ondular ou tremer, enquanto é usado para sondar o caminho e detectar a presença de minhocas e larvas que servem de alimento.

Excelente nadadora, mora perto de rios e pântanos, usando as patas largas como remos.

O curioso caso dos ouriços

Curiosidades sobre os micromamíferos insetívoros

O ouriço tem o corpo protegido por espinhos longos e densos. Assim, quando o animal se encolhe, forma uma bola de espinhos que protege as partes vulneráveis do seu corpo contra os predadores.

Esse fato, que poderia muito bem fazer com que parecesse um animal indefeso, contrasta com o fato de que ele é o terror das serpentes:

  • tem imunidade contra seu veneno.
  • é infinitamente mais rápido e mais ágil do que elas.
  • e tem um instinto muito eficaz em relação às reações do seu inimigo.

Assim, o ouriço é capaz de esmagar a cabeça das serpentes e devorá-las completamente antes mesmo que elas parem de se mover.

O solenodonte-haitiano, um dos micromamíferos insetívoros mais curiosos

O solenodonte-haitiano ou agouta – Solenodon paradoxus – é endêmico da República Dominicana e do Haiti, e está ameaçado de extinção. Esse animal tem uma aparência estranha, porque tem o aspecto e o tamanho de uma ratazana, mas possui um focinho alongado, como se fosse uma tromba curta.

Fonte: Wikipedia.org

Sua pelagem é amarela na frente e preta nas costas. Ele dorme escondido durante o dia e sai ao entardecer para caçar insetos, vermes, anfíbios, moluscos, etc., que destrói com as unhas antes de levar à boca. Se atacado, ele não foge nem reage, mas esconde a cabeça e emite gritos aterrorizados.

E quanto aos micromamíferos insetívoros ibéricos?

A toupeira-de-água-dos-pireneus, rato-papialvo ou rato-almiscareiro – Galemys pyrenaicus assemelha-se ao musaranho, mas pertence à família da toupeira. No entanto, difere dela em certas características anatômicas, como o fato de que suas patas são parcialmente equipadas com membranas interdigitais.

É um insetívoro aquático que vive ao longo de rios e córregos, nas margens de lagos e lagoas. Além disso, usa as tocas de outros animais porque não consegue cavar.

Curiosidades sobre os micromamíferos insetívoros
Fonte: Animalessalvajes.net

Esses animais podem se tornar pragas?

Os cinco grupos de micromamíferos insetívoros mencionados acima são bastante abundantes na natureza atualmente e são importantes do ponto de vista ecológico, não apenas porque fazem parte da biodiversidade, mas também porque controlam as pragas de insetos.

Contudo, o problema é que alguns deles também podem se tornar uma praga, devido à sua capacidade de se multiplicar.

  • Insectívoro [Internet]. Es.wikipedia.org. [cited 15 February 2020]. Available from: https://es.wikipedia.org/wiki/Insect%C3%ADvoro
  • Pérez Más E. Mamíferos. [Barcelona]: Bruguera; 1978.