É possível viver com predadores selvagens?

outubro 25, 2019
A moda de ter animais exóticos e selvagens em casa pode ser perigosa. Existem muitos limites e precauções para viver com predadores selvagens.

Provavelmente todos já viram um vídeo incrível sobre pessoas que conseguiram domar um urso, um tigre, um leão ou outras espécies de animais selvagens. Portanto, é perfeitamente normal que muitos se perguntem se é possível viver com predadores selvagens.

A ‘moda’ de ter animais de estimação exóticos parece ser cíclica e, de tempos em tempos, volta a ganhar popularidade graças a alguma celebridade que decide adotar um animal selvagem como seu ‘companheiro’.

Mas antes de incorporar qualquer ‘modismo’ em nossa rotina, é muito importante analisar friamente seus prós e contras.

Pensando nisso, analisaremos os diferentes fatores sobre a possibilidade e os riscos de conviver com predadores selvagens.

O que são os predadores selvagens e por que eles são tão importantes?

Os predadores selvagens são basicamente todos os animais que caçam para se alimentar e sobreviver em um ambiente selvagem. Quando um animal predador está no topo da cadeia alimentar do seu habitat, é considerado um superpredador.

Dessa forma, todo predador é um animal que caça, mas nem todos os animais com instinto de caça são predadores selvagens.

O gato doméstico, por exemplo, é um excelente caçador, como qualquer outro gato. No entanto, por viver em uma rotina doméstica, não é mais caracterizado como um predador selvagem.

Na natureza, existem muitas espécies que se alimentam das presas que caçam, como felinos, canídeos, aves de rapina, mustelídeos, entre outras. Essas espécies desempenham um papel essencial para o equilíbrio dos ecossistemas, uma vez que a predação permite evitar a superpopulação.

Abutres comendo carcaça

Na ausência de predadores, uma espécie pode se reproduzir excessivamente, o que cria um desequilíbrio no meio ambiente. Quando essa superpopulação ocorre perto de áreas agrícolas ou produtivas, geralmente leva a pragas e danos à economia humana.

É possível viver com predadores selvagens?

Para começar, é essencial aprender a diferenciar o possível do recomendado e, por último, do ideal. É possível domesticar e viver com predadores selvagens? Os vídeos incríveis que mencionamos na introdução mostram que não se trata de algo impossível.

No entanto, é aconselhável viver com um predador como se fosse um animal de estimação? É claro que não.

O fato de uma família no Canadá ter domado um urso ou de um leão ter demonstrado sua afeição e agradecimento ao criador que o salvou de um caçador não transforma predadores selvagens em animais domésticos.

Na verdade, existem inúmeras diferenças entre animais selvagens e animais domésticos, sejam eles predadores ou não.

Todas as espécies selvagens, quando removidas à força de seu habitat e inseridas em um ambiente completamente desconhecido e artificial, podem sofrer de estresse, adoecer e desenvolver problemas comportamentais, como a agressividade.

Quando falamos de animais selvagens com um forte instinto de caça, a ideia de adotá-los como animais de estimação se torna ainda mais perigosa.

Além de colocar em risco nossa saúde e integridade, também condenamos um ser vivo que deve ser livre em seu ambiente a uma vida de prisão e limitações.

Tigre com seu cuidador

Vale mencionar que a posse dessas espécies costuma ser legalmente proibida na grande maioria dos países. Os exemplares que estão à venda geralmente vêm do mercado ilegal. Portanto, adquiri-los significa financiar o tráfico de animais indiretamente.

Não é preciso viver junto, mas coexistir é necessário

O fato de que não devemos confundi-los com animais de estimação não significa que precisamos temer a existência de predadores selvagens ou nos impor sobre seu habitat. Pelo contrário: embora seja extremamente perigoso conviver com eles, é urgente e necessário aprender a coexistir.

Os predadores são uma parte essencial da natureza e, sem eles, os ecossistemas onde todos vivemos estariam em perigo. Mas seu habitat, sua rotina, seu comportamento e sua conduta social não são compatíveis com a vida doméstica de um cachorro, gato ou hamster.

A coexistência com predadores selvagens significa, essencialmente, respeitar a sua natureza e não tentar submetê-la aos nossos códigos sociais e desejos pessoais.

Da mesma forma, a expansão da nossa civilização e os avanços tecnológicos precisam parar de colocar em risco o habitat dessas espécies.

O ambiente nos une a todas as espécies, e somente aumentando a conscientização da população alcançaremos a coexistência necessária. Sejam grandes predadores selvagens ou organismos microscópicos, todos são essenciais para a manutenção da vida em nosso planeta.

  • researchgate.net/publication. 2009. El fenómeno de la domesticación animal en el siglo XXI. Extraído de: https://www.researchgate.net/publication/303484190_El_fenomeno_de_la_domesticacion_animal_en_los_albores_del_siglo_XXI
  • Organización Mundial de Sanidad Animal. 2008. Animales salvajes. Extraído de: http://www.oie.int/fileadmin/Home/esp/Publications_%26_Documentation/docs/pdf/bulletin/Bull_2008-3-ESP.pdf