7 curiosidades sobre as navalheiras

Este caranguejo em particular tem uma carapaça tão dura que deve ser trocada várias vezes ao longo da vida para que possa crescer. Continue lendo e descubra mais aspectos curiosos e interessantes sobre as navalheiras.
7 curiosidades sobre as navalheiras
Sebastian Ramirez Ocampo

Escrito e verificado por veterinário e zootécnico Sebastian Ramirez Ocampo.

Última atualização: 17 março, 2023

As navalheiras, cujo nome científico é Necora puber, são pequenos crustáceos decápodes que habitam as águas salgadas da costa atlântica europeia. Elas têm um tamanho médio de 10 centímetros na idade adulta e sua coloração é marrom-escura.

Aspectos curiosos sobre as navalheiras

Elas têm uma forte carapaça hexagonal de 4 centímetros de comprimento e 5 centímetros de largura. Além disso, são cobertas por numerosas vilosidades, que lhe conferem um aspecto aveludado. Da mesma forma, têm dois olhos vermelhos proeminentes, adaptados para enxergar no escuro, já que são noturnas.

Por outro lado, possuem cinco pares de membros, dos quais o primeiro par se desenvolveu morfologicamente em pinças grandes e desiguais, cobertas por pequenas cristas granulares. Descubra abaixo os aspectos mais curiosos e interessantes deste maravilhoso caranguejo.

1. As navalheiras têm um destacado dimorfismo sexual

Em primeiro lugar, a principal característica que diferencia os dois sexos é o abdômen. Por um lado, os machos, também maiores, têm abdome triangular, com o terceiro ao quinto segmentos soldados entre si.

Por outro lado, a fêmea possui uma zona ventral mais larga e arredondada, que é diferente para poder carregar os ovos durante a oviposição. Outra diferença entre os sexos é o tamanho das garras, que são maiores nos machos.

caranguejos
Necora puber.

2. É um caranguejo nadador

Enquanto suas duas primeiras extremidades se desenvolveram em pinças adequadas para caça e defesa territorial, as últimas evoluíram para patas mais largas em forma de remo. Graças a essa característica, as navalheiras, ao contrário de outros crustáceos, podem se mover rapidamente no solo e também nadar com habilidade no mar. Por isso, em muitas partes do território espanhol são conhecidas como “clanco voador”, pois seu deslocamento na água dá a sensação de estar voando.

3. São muito territoriais

Estes crustáceos habitam principalmente fundos arenosos, rochosos e lamacentos a cerca de 70 metros de profundidade na costa atlântica europeia. Geralmente, passam o dia inteiro escondidos entre fendas, pedras ou enterrados na areia para evitar serem predados por seu principal caçador, o polvo.

No entanto, são também animais muito temperamentais e fortemente territoriais, que não hesitam em atacar com as suas grandes garras qualquer animal que considerem um intruso na sua casa.

4. Crustáceos canibais

As navalheiras são animais onívoros, e geralmente baseiam sua alimentação em algas e peixes mortos encontrados nos fundos onde vivem. No entanto, foi possível detectar que em momentos de escassez de alimentos podem devorar outros da mesma espécie, tornando-se um crustáceo canibal.

caranguejos
Necora puber.

5. As fêmeas põem muitos ovos

Nesta espécie em particular, a reprodução é bastante numerosa. As fêmeas de caranguejo podem botar até 200 mil ovos por ninhada, que são transportados em seu abdômen largo e arredondado. As estações de reprodução ocorrem nos meses de inverno e primavera. Além disso, atingem seu pleno desenvolvimento até a maturidade sexual aos 5 ou 6 anos de idade.

6. Trocam de carapaça várias vezes

Conforme descrito acima, a carapaça desses caranguejos é bastante grande e forte. Por isso, para continuar seu crescimento, eles devem trocá-la várias vezes ao longo de suas vidas. De acordo com um artigo publicado na revista Anthropod structure and development, as navalheiras podem trocar até 11 vezes de carapaça durante o primeiro ano de vida. Da mesma forma, o estado de muda também indica o tipo de alga que está consumindo.

7. São infestadas por vários tipos de parasitas

De acordo com dois estudos publicados na revista Diseases of aquaticorganisms, em que vários grupos de caranguejos foram analisados em seu habitat natural, os caranguejos são parasitados pelo dinoflagelado conhecido como Hematodinium sp.

Esse agente infeccioso é o causador da patologia conhecida como doença do caranguejo rosado, que se caracteriza por causar anemia severa, imunossupressão e inibição do crescimento em animais infectados. Da mesma forma, outros parasitas como Paramarteilia canceri e Nadelspora canceri também foram identificados.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • Collins E, Ward GM, Bateman KS, Cheslett DL, Hooper C, Feist SW, et al. High prevalence of Paramarteilia canceri infecting velvet swimming crabs Necora puber in Ireland. Diseases of aquatic organisms. 2022;148:167-81.
  • Becker C, Dick JTA, Cunningham EM, Schmitt C, Sigwart JD. The crustacean cuticle does not record chronological age: New evidence from the gastric mill ossicles. Arthropod structure & development. 2018;47(5):498-512.
  • Stentiford GD, Evans M, Bateman K, Feist SW. Co-infection by a yeast-like organism in Hematodinium-infected European edible crabs Cancer pagurus and velvet swimming crabs Necora puber from the English Channel. Diseases of aquatic organisms. 2003;54(3):195-202.
  • Thorpe KE, Huntingford FA, Taylor AC. Relative size and agonistic behaviour in the female velvet swimming crab, Necora puber (L.) (Brachyura, Portunidae). Behavioural processes. 1994;32(3):235-46.

Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.