Curiosidades sobre o abutre-barbudo

abril 30, 2019
Entre as curiosidades do abutre-barbudo destaca-se a sua capacidade de atacar durante o voo para roubar presas de outras aves.

Entre as quatro espécies de abutre na Espanha, há uma que se destaca do restante. As curiosidades sobre o abutre-barbudo fazem com que esta ave tenha uma posição especial dentro do grupo das aves de rapina.

Esta ave curiosa é encontrada em vários países europeus. Entretanto, a maior parte da sua população habita três regiões espanholas: os Pirineus, a Serra de Cazorla e os Picos de Europa, onde a Fundação para a Conservação do Abutre-barbudo está a reintroduzi-lo.

A alimentação do abutre-barbudo

O abutre-barbudo tem uma das dietas mais raras do reino animal. Esse animal deixa os ossos caírem na rocha para quebrá-los.

O abutre-barbudo se alimenta principalmente de ossos. Eles são capazes de engolir diretamente os pedaços pequenos para se alimentar de sua medula. No entanto, os ossos maiores devem ser quebrados, então eles são jogados em pedras.

Seu nome científico, Gypaetus barbatus, significa “águia-abutre-barbuda”, devido à densa plumagem de seu tórax e à espécie de barba negra que possui.

Seu nome científico parece indicar que este animal está no meio do caminho entre urubus e outras aves de rapina: as águias. Afinal, uma outra curiosidade sobre essa espécie é que eles são excelentes voadores. Por isso, passam muito mais tempo voando do que a maioria das outras espécies de aves.

Além disso, não depende tanto das correntes térmicas para subir. Dessa forma, é mais comum vê-lo fazendo descidas e manobras mais comuns das águias.

Outra curiosidade é que essas aves são especialmente agressivas e muito hábeis em atacar no ar. Portanto, não é incomum que elas roubem presas ou ataquem outras aves que entram em seu território.

Abutre-barbudo atacando

O abutre-barbudo dedica boa parte de seu tempo à criação de seus filhotes

Os abutres-barbudos são animais que passam muito tempo criando seus filhotes. Desde o momento em que nascem até o final do processo de criação, pode se passar um ano. Depois disso, devemos acrescentar o tempo necessário para emancipar os filhotes, que pode ser de um ou dois anos.

Cada par de abutres possui um território com vários ninhos que são colocados em cavernas nas paredes da montanha. Há um revezamento destes ninhos que permite que os animais mantenham cada ninho higienizado.

O território em que esses ninhos ficam pertence apenas àquele casal ou a curiosas formações de dois machos e uma fêmea. Essas aves de rapina não vivem em grandes grupos, diferentemente dos outros tipos de abutres que podemos ver em um monturo. Sua dieta estranha faz com que um território não consiga abrigar centenas de indivíduos.

Falando do monturo, isto é, da festa da carniça dos abutres: o abutre-barbudo é o último pássaro a aparecer, uma vez que os grifos, os abutres-pretos e o abutre-do-egito deixarão os ossos à sua disposição, já que não podem se alimentar deles.

Abutres-barbudos reunidos

Por que essas aves possuem sua cor alaranjada?

Possivelmente, uma das maiores curiosidades sobre o abutre-barbudo seja a sua aparência: sua pelagem preta com um cavanhaque e seus olhos penetrantes são especialmente notáveis. Além, é claro, de sua silhueta, que se assemelha à de um abutre-do-egito muito maior.

No entanto, a parte mais impressionante de sua aparência é a cor laranja penetrante dos animais mais velhos. Os jovens abutres-barbudos são quase pretos e, quando adultos, têm a plumagem do peito branca.

À medida que envelhecem, muitos desses animais ficam com uma cor laranja no pelo. Isso porque o abutre-barbudo tem um comportamento único: banha-se em águas avermelhadas contendo calcário ou ferro, de modo a obter sua cor alaranjada.

O objetivo deste comportamento não é conhecido. Afinal, não parece que um predador desse tamanho precise se camuflar, de modo que esta função possa ser praticamente descartada.

Outra possibilidade é que esse comportamento permita eliminar parasitas. Entretanto, alguns estudos recentes mostraram que a água com óxido de ferro não tem propriedades maiores contra os parasitas que afetam esse animal.

O que é certo é que se observou que os animais mais velhos, e especialmente as fêmeas, são aqueles que são mais alaranjados. Por isso, acredita-se que essa coloração possa estar relacionada ao status e à reprodução.

A função continua sendo um tanto misteriosa, porque em poucas ocasiões esses animais foram observados ao realizar esse comportamento.

Foi visto que os abutres-barbudos só têm preferência pelo vermelho, que também está presente em seus olhos. Portanto, a intenção pode ser reforçar essa cor por questões de dominância.

Curiosidades sobre o abutre-barbudo

O assassino de gregos: outra das curiosidades sobre o abutre-barbudo

Outra das curiosidades sobre o abutre-barbudo é como este animal acabou com a vida de Ésquilo, considerado um dos fundadores da tragédia grega que viveu há mais de 2.500 anos.

Ésquilo, preocupado com seu futuro, foi ao oráculo de Delfos para conhecer seu destino. A profecia do oráculo dizia que ele morreria esmagado por uma casa. Por isso, de acordo com a história, ele teria se mudado para fora da cidade.

No entanto, a profecia foi cumprida da maneira mais irônica: um abutre-barbudo, interessado em quebrar a carapaça de uma tartaruga, jogou-a nas encostas em que Ésquilo vivia. O destino do escritor grego estava tão traçado que o animal atingiu sua cabeça, causando sua morte.

Como podemos ver, o abutre-barbudo é um pássaro entre o mito e a realidade que impressionou o ser humano por seus comportamentos únicos. No entanto, ele se encontra seriamente ameaçado de extinção.

Apesar de suas populações terem aumentado, é uma ave ameaçada por venenos e que depende inteiramente da pecuária extensivaÉ provável que agora que muitos ungulados selvagens se deslocaram da montanha, o desaparecimento dos últimos fazendeiros não permita a sua recuperação.

Portanto, muitos projetos de conservação estão se concentrando em proteger o gado para proteger, por sua vez, o abutre-barbudo. Em certas áreas dos Pireneus, restaurantes e lojas vendem carne amigável para o abutre-barbudo. Assim, promovem uma melhor dieta para o meio ambiente e beneficiam os agricultores, que deixam os cadáveres para que essa ave se alimente, para completar o ciclo.

Negro, J. J., Margalida, A., Hiraldo, F., & Heredia, R. (1999). The function of the cosmetic coloration of bearded vultures: when art imitates life. Animal Behaviour58(5), F14-F17.

Hiraldo, F., Delibes, M., & Calderon, J. (1979). El quebrantahuesos Gypaetus barbatus (L.). Publ. del Ministerio de Agricultura.