Cusu-de-orelhas-grandes: a que se deve sua cor?

O cusu-de-orelhas-grandes pertence à classe dos marsupiais, portanto é um parente dos cangurus, entre outros. Descubra junto com a gente um espécime de especial interesse.
Cusu-de-orelhas-grandes: a que se deve sua cor?

Última atualização: 11 março, 2021

Recentemente, um cusu-de-orelhas-grandes dourado, um espécime excepcional na natureza, tornou-se um dos animais mais procurados. Isso se deve à sua curiosa cor, que o fez ser comparado a um conhecido Pokémon, o Pikachu.

No entanto, embora sua aparência física e coloração se assemelhem muito ao famoso desenho, ele possui outras características. A seguir, vamos mostrar as diferentes características desse curioso animal em suas colorações normais.

O cusu-de-orelhas-grandes

Esse curioso mamífero, comumente conhecido como cusu-de-orelhas-grandes, recebe o nome científico de Trichosurus vulpecula.

Essa espécie está incluída entre os marsupiais e não goza de uma imagem muito boa de acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza. Portanto, está na lista das 100 espécies exóticas invasoras mais nocivas do mundo.

Um jovem gambá dourado.

Características físicas

O comprimento do corpo desse pequeno marsupial varia entre 38 e 58 centímetros sem contar a cauda, que mede entre 25 e 40 centímetros de comprimento, assemelhando-se a um gato.

Esse animal tem hábitos noturnos e costuma ser um indivíduo solitário, não especialmente sociável. Possui cauda preênsil e pelada na parte inferior, assim como garras dianteiras.

Em relação a essas garras, ele as utiliza na busca de alimento, mas também na defesa. Além delas, ele pode emitir rosnados ou assobios para intimidar seus inimigos.

Quanto à tonalidade do seu corpo, costuma variar do vermelho-acobreado ao cinza-escuro, passando por malhados ou esbranquiçados. No entanto, o espécime encontrado mostrou uma tonalidade dourada um tanto peculiar.

Distribuição e habitat

Essa espécie está incluída nos marsupiais e pode ser encontrada principalmente na Austrália. Não tem problema em se aproximar dos humanos, estando localizada não só na natureza, mas também nas cidades.

Da mesma forma, a espécie também pode ser encontrada na Tasmânia, embora a população total tenha um baixo número de indivíduos. Outra opção é a Nova Zelândia, onde foi introduzida pela indústria têxtil e é responsável por muitos estragos.

Alimentação

Por ser uma espécie onívora, noturna e arborícola, busca alimento à noite, saltando e subindo em árvores. Alimenta-se principalmente de vegetais, mas pode comer outras fontes de origem animal, como aves ou invertebrados.

A razão da cor do cusu-de-orelhas-grandes

A causa da tonalidade dourada desse famoso espécime é uma mutação genética, conhecida como albinismo. Caracteriza-se por causar baixos níveis de melanina, o pigmento que determina a cor da pele.

Nesse espécime, os níveis de melanina são muito baixos, conferindo-lhe o aspecto dourado que apresenta, em vez do cinza ou acobreado normais. Não é muito comum encontrar espécimes com albinismo na natureza.

Isso ocorre porque eles não são apenas impressionantes para nós, pois também atraem mais atenção dos predadores. Essa espécie tem como seus principais predadores raposas, gatos, dingos ou cães.

Este animal mutante nos lembra um pokémon.
Fonte: altatecnologíaweb.com

Impacto do cusu-de-orelhas-grandes

Por outro lado, o cusu-de-orelhas-grandes influencia a natureza, sendo responsável por vários estratos do ecossistema por diferentes fatores. Alguns deles serão mencionados abaixo:

Alguns estudos indicam que o o cusu-de-orelhas-grandes pode ter um impacto negativo na natureza. Talvez seja porque esses animais se alimentam de plantas “desprotegidas” e sua pastagem pode causar a extinção de vegetais locais.

Outra possível causa é o seu efeito nos cultivos de frutas e a competição por buracos nas árvores, usados pelas aves locais. Além disso, ao se alimentar de ovos ou filhotes de pássaros, eles afetam suas populações.

Estado de conservação

Dependendo da região, a espécie pode ou não ser abundante. No caso do sudeste da Austrália, da Tasmânia e da Ilha dos Cangurus, um grande número de indivíduos pode ser encontrado.

No entanto, sua população diminuiu drasticamente nas regiões áridas e semiáridas da Austrália ou na zona de monções do norte da Austrália. Quanto às populações de Nova Gales do Sul, existem apenas populações nas áreas fluviais.

Por fim, o cusu-de-orelhas-grandes dourado que virou notícia é um espécime raro na natureza.

Às vezes, eles podem ter uma má reputação, mas são animais que cumprem seu papel. Cada ser vivo tem uma função na natureza, a qual deve ser respeitada para, assim, poder manter o equilíbrio.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.



Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.