10 cuidados da caturrita

Inteligente, bonita, mas um tanto barulhenta, essa é a caturrita. Para além das suas características, é uma ave com muitas necessidades. Então se você optar por criar uma delas, é melhor conhecer todos os cuidados necessários.
10 cuidados da caturrita

Última atualização: 09 Janeiro, 2022

A caturrita (Myiopsitta monachus), também conhecida como periquito-monge, é uma ave cujo habitat natural se localiza na Bolívia, na Argentina e no sul do Brasil, embora sua presença tenha se espalhado muito além dessas fronteiras. Os cuidados com a caturrita são muitos e variados, e todos eles são de vital importância para a ave.

Essa ave pertence à família dos papagaios e se destaca pela sua cor característica e predominantemente verde, pela sua inteligência e por ser conhecida como uma das aves mais escandalosas. Essa é uma peculiaridade que não agrada a todos, mas não deixa de ser um belo animal que vale a pena conhecer.

Características gerais da caturrita

A caturrita mede cerca de 30 centímetros e pesa aproximadamente 150 gramas. É uma ave que se adapta facilmente ao meio ambiente, podendo subsistir em áreas urbanas juntamente com outras espécies. Na natureza, vive cerca de 10 anos, mas em cativeiro pode atingir os 25-30 anos.

Suas penas são verdes, com alguns toques amarelos e a frente da cabeça, garganta e metade do peito são cinza, no caso de espécimes jovens. Esse tom vai ficando um pouco mais claro com o passar dos anos, mas a parte externa das penas das asas sempre permanece em um tom azul brilhante.

Além disso, vale destacar sua cauda longa, pontiaguda e verde-claro com pequenos toques azuis no interior. Finalmente, suas patas são cinzentas, seu bico forte é marrom ou acastanhado e os olhos, castanhos.

Tendo esclarecido suas principais características físicas, é importante mencionar que a distinção entre caturritas machos e fêmeas é bastante complicada e requer uma boa observação. A única diferença notável é que a cabeça do macho é maior que a da fêmea, assim como a mandíbula superior também é mais larga.

Você conhece os cuidados da caturrita?

Cuidados da caturrita

Dentre os principais cuidados com a caturrita, destaca-se o manejo de sua dieta, mas não é o único fator que deve ser levado em consideração. Vamos ver com mais detalhes algumas das atenções que devem ser consideradas com essas aves.

1. Alimentação

A caturrita é uma ave granívora, ou seja, a base de sua dieta são os grãos. Qualquer tipo de grão integral que não seja refinado é válido para ela, mas em lojas especializadas você encontrará facilmente preparações compostas por diferentes tipos de grãos misturados de forma balanceada.

Você pode escolher várias dessas preparações e alterná-las na dieta, pois esses animais gostam de mudanças na dieta para estimular o apetite. Além disso, eventualmente devem ser oferecidas pequenas porções de verduras e frutas frescas e alguns insetos, já que também fazem parte de sua dieta na natureza.

2. Osso de choco e minerais

Para a caturrita — assim como para o resto das aves—, ter um osso de choco é imprescindível por vários motivos. Bicá-lo não só permitirá que seu bico permaneça saudável, desgastando-o e afiando-o, como também o cálcio obtido manterá seus ossos fortes e, no caso de postura de ovos, as cascas serão mais consistentes.

Além dos ossos de choco, outros tipos de minerais também devem ser oferecidos à caturrita. Eles podem ser adquiridos nas próprias lojas de animais em forma de blocos e são especiais para pássaros. Suas propriedades farão com que a ave fique mais saudável tanto interna quanto externamente, o que se refletirá, por exemplo, em uma plumagem mais brilhante.

3. A gaiola

Um dos cuidados mais importantes a se considerar como a caturrita é onde ela vai morar. Essa ave requer uma gaiola grande, com tamanho mínimo de 100x50x50 centímetros de altura, comprimento e largura. Dentro, deve haver espaço suficiente para voar, além de poleiros colocados em diferentes alturas para que possa pousar neles.

A base da gaiola deve conter uma rede para que a ave não tenha acesso às suas próprias fezes e adoeça. Além disso, deve-se cuidar do seu enriquecimento ambiental, colocando à sua disposição, por exemplo, diversos brinquedos para seu estímulo mental. Além disso, deve ser fácil para ave ter acesso às tigelas de comida e água — e ao osso de choco.

Contudo, é essencial que a caturrita voe para fora da gaiola várias horas por dia. Portanto, é apropriado colocar a ave em um cômodo onde ela possa voar livremente sem perigo. Além disso, a temperatura do local deve ser amena e a gaiola nunca pode ficar localizada perto de correntes de ar ou onde os raios solares a atinjam diretamente.

4. São aves gregárias

As caturritas são aves gregárias, ou seja, costumam viver em grupos. Portanto, outro cuidado das caturritas que deve ser levado em consideração é considerar a possibilidade de ter um parceiro. Claro que ao mesmo tempo são pássaros um tanto territoriais e ciumentos, por isso o ideal é que o casal conviva desde o primeiro momento para que se adaptem mais facilmente.

5. Veterinário qualificado

Se for escolhida uma ave exótica para companhia, é imprescindível encontrar um veterinário especializado nesses tipos de animais. A caturrita precisará de pelo menos um check-up anual, mas pode precisar de mais, devendo ser tratada por um profissional qualificado.

Outros cuidados e curiosidades a se considerar

Embora os mencionados acima sejam os principais cuidados, outros fatores importantes são destacados a seguir.

6. Reprodução

Se você decidir ter um casal de caturritas e elas se darem bem, é provável que fiquem juntas por toda a vida. Os meses em que ocorre o cio são entre agosto e novembro, e a fêmea pode botar entre 4 e 8 ovos. A incubação dura cerca de 26 dias.

Após a eclosão, os filhotes são cuidados por ambos os pais, até que estejam fortes e independentes o suficiente para deixar o ninho em 6 semanas. O referido ninho, na natureza, teria sido construído pela fêmea antes da postura, normalmente nos galhos mais altos das árvores.

7. Longevidade

Também deve ser levado em consideração que são animais de vida muito longa, podendo viver até 30 anos. Portanto, ao decidir ter um desses pássaros, você está assinando um longo compromisso. Infelizmente, nem todos desejam ou podem alcançá-lo, e a longevidade é uma razão muito comum para o abandono desse tipo de ave.

8. Limpeza da gaiola

Outro dos cuidados das caturritas é a limpeza frequente de sua gaiola. Além das fezes, é muito comum encontrar restos de comida, brinquedos quebrados e pedaços de tudo que possa ter passado pelo bico, então você terá que gastar muito tempo na tarefa de organizar a gaiola e mantê-la em um estado saudável.

9. Destrutividade

As caturritas têm um bico muito forte, então elas são muito boas em quebrar tudo que está ao seu alcance. Por isso os materiais dos elementos oferecidos devem ser muito resistentes para que não sejam destruídos no primeiro contato. Quanto aos objetos para brincar e petiscar, você também pode optar por opções feitas de materiais naturais, como a madeira.

10. Objetos ao alcance

Outro fato curioso a se ter em mente é que, quer fiquem soltas ou escapem — algo que tendem a ter menos chance de fazer —, esses pássaros adoram se apropriar de pequenos objetos que usarão para fazer seus ninhos. Tenha muito cuidado para não deixar moedas, pulseiras e outros bens preciosos ao seu alcance.

Antes de se aventurar a ter um animal exótico como animal de estimação, é muito importante saber o que a lei diz sobre aquela espécie específica no país onde você mora. Por exemplo, no caso da caturrita, na Espanha seu comércio, transporte, criação, posse e liberação em liberdade são totalmente proibidos, assim como o conhecido periquito-de colar.

Isso porque carece de predadores naturais, logo sua expansão é muito simples e entra em conflito com a fauna nativa. Por serem animais que se alimentam de grãos, as caturritas frequentemente invadem plantações de cereais, causando estragos nos cultivos. Por todas estas razões, a espécie que aqui nos preocupa está incluída no Catálogo Espanhol de Espécies Exóticas Invasoras.

Sua posse também é proibida em mais de uma dezena de estados dos Estados Unidos. Essa decisão foi tomada depois que muitas dessas aves foram introduzidas como animais de estimação em casas entre as décadas de 1960 e 1980, e mais tarde escaparam ou foram soltas intencionalmente. Isso permitiu sua proliferação a ponto de ser considerada uma praga invasora.

Outro caso semelhante é o do Chile, onde a caturrita também era comercializada como animal de estimação e seu abandono na natureza permitiu sua reprodução indiscriminada. Hoje é considerada uma praga e é muito perigosa para os ecossistemas e as espécies nativas, pois põe em perigo outros papagaios do país.

Um papagaio em uma gaiola.

Recomendação final

Além de confirmar a possibilidade legal de ter essa ave em casa e os cuidados que devem ser prestados, deve-se lembrar que, embora as caturritas sejam muito amigáveis com as pessoas e muito inteligentes, aqueles que os adotam devem ser pacientes e constantes.

Este é um animal que pode ser muito barulhento, um pouco travesso e destrutivo, e essas características são, em muitos casos, as que têm causado e continuam a causar o abandono dessa espécie, com todas as suas consequências negativas. Se você deseja ter uma caturrita, informe-se bem e pergunte a tutores experientes antes de tomar uma decisão.

Pode interessar a você...
O periquito, um excelente animal de estimação
Meus Animais
Leia em Meus Animais
O periquito, um excelente animal de estimação

Você tem pensado em comprar um animal de estimação? Que não dê muito trabalho? Certamente, o periquito é a sua melhor escolha.