Dieta BARF para gatos

· novembro 23, 2018

Pouco a pouco, a famosa dieta BARF para gatos vem ganhando adeptos, e muitos a consideram uma das dietas mais adequadas para manter nossos companheiros felinos com uma boa saúde.

Como é a dieta BARF para gatos?

Quando falamos sobre a dieta BARF, estamos nos referindo à sigla em inglês de ossos e alimentos crus e, também, ao acrônimo de alimentos crus biologicamente adequados.

Esta dieta foi criada por Ian Billinghurst, um veterinário australiano convencido de que esta é a melhor alimentação para animais de estimação.

A dieta BARF, originalmente criada para cães, baseia-se nas origens do cão doméstico e na dieta selvagem de seu ancestral, o lobo.

No caso do gato, a domesticação dele tem sido muito menos pronunciada. Assim, até hoje é possível ver nos gatos comportamentos muito semelhantes aos dos felinos selvagens e outros animais silvestres.

Inclusive, algumas raças são difíceis de se distinguir destes. Assim, a dieta BARF para gatos faz tanto sentido ou mais do que a equivalente para cães.

Esta dieta orgânica é baseada em alimentos crus combinados (carne e legumes, entre outros) sem cozinhar.

Bem, ainda que vá contra a mesma, recomenda-se um cozimento leve para evitar riscos de parasitas ou doenças.

Gato e cachorro comendo alimentos segundo a Dieta BARF

Normalmente, a razão para optar por dietas BARF para gatos é desconfiar da ração comercial.

Atualmente, existem rações de alta qualidade para felinos. Mas a dieta BARF para gatos pode ser mais lucrativa e interessante no nível comportamental.

É também uma boa maneira de tratar a obesidade e outras doenças de origem alimentar nos nossos pets.

Como fazer uma dieta BARF para gatos

Existem várias receitas caseiras para gatos que seguem a filosofia das dietas BARF.

Falamos de aproximadamente 80% de carne crua, principalmente com base em frango e peru. 

Cerca de 10% da dieta é geralmente composta de alimentos vegetais, embora a comida de gato não deve consistir exclusivamente em frutas e legumes.

Também pode incluir ocasionalmente carne de cordeiro ou coelho e até peixe; e é interessante que comam as vísceras de alguns desses animais.

A dieta BARF é baseada em não cozinhar alimentos, embora isso envolva seus riscos, por isso é recomendado descartar carne de porco e congelar alimentos de origem animal, especialmente peixes.

Uma alternativa à carne crua, que pode estar contaminada, é cozinhar levemente todos os alimentos. 

Isso vai contra os princípios da dieta BARF, mas pode ser uma maneira de dar ao nosso animal um alimento mais saudável, sem riscos de doenças ou parasitas.

A verdade é que existem parasitas que são transmitidos pela ingestão de carne crua. Apesar das inspeções veterinárias reduzirem enormemente os riscos, a maioria dos veterinários recomenda não dar carne crua aos nossos animais de estimação.Dieta BARF

Receitas de dieta BARF para gatos

Embora você possa encontrar várias receitas, vamos recomendar uma para você testar a dieta BARF para gatos.

Ela consiste em 200 gramas de diferentes pedaços de carne de frango que contenha músculos, ossos e alguma gordura.

A isto acrescentamos 100 gramas de vísceras, preferencialmente fígado e coração de aves, como frango ou peru, embora também precisemos de um coração de gado.

Finalmente, vamos usar 20 gramas de cenoura ralada ou abóbora, um ovo e um fio de azeite ou óleo de peixe.

Você pode ir testando com diferentes porcentagens e pedaços de carne ou vísceras, e mudar o vegetal. Depois de verificar de qual o seu gato mais gosta, o ideal é preparar grandes quantidades e congelá-las.

Isso nos permitirá garantir a segurança dos alimentos e poupar tempo.

Como regra geral, para fazer sua própria receita, recomendamos o uso de 50% de carne de ave, 15% de um outro tipo de carne que não seja porco, 25% de carne de vísceras e 10% de vegetais.

Inclua ainda um ovo e um pouco de óleo de peixe ou azeite.

É importante, como já mencionamos, que seja realizado um processo de congelamento ou mesmo de cozimento, e que o alimento não tenha temperos ou sal. 

Além disso, antes de iniciar qualquer alteração na dieta do seu animal de estimação, é aconselhável consultar o seu veterinário de confiança.