Dimorfismo sexual: quatro exemplos impressionantes

O dimorfismo sexual se refere às diferenças entre machos e fêmeas de uma mesma espécie animal. Embora essas diferenças possam ser sutis, algumas espécies apresentam drásticas mudanças morfológicas.
Dimorfismo sexual: quatro exemplos impressionantes

Última atualização: 20 Fevereiro, 2021

Dimorfismo sexual é o processo pelo qual machos e fêmeas da mesma espécie às vezes podem parecer radicalmente diferentes. Geralmente, essa diferenciação é desencadeada pelo processo de seleção sexual por meio do acasalamento competitivo.

A manifestação do dimorfismo sexual pode ocorrer de várias maneiras: diferenças de tamanho, coloração, comportamento e presença de características sexuais secundárias, como penas da cauda ou chifres.

Embora os humanos tenham um grau relativamente baixo de dimorfismo sexual, outras espécies podem apresentar diferenças bastante extremas. Aqui veremos alguns exemplos de espécies com alto grau de dimorfismo sexual.

Quais vantagens o dimorfismo sexual pode trazer para uma espécie?

Influencia a seleção sexual

Esse conceito se refere à preferência de certos parceiros sexuais para o acasalamento. Se um indivíduo for escolhido, aumentará sua possibilidade de reprodução. Algumas características têm a função de aumentar a atratividade individual, como penas ou peles de cores vivas. Essas características têm um alto custo para o animal.

Nesse sentido, os traços exagerados, embora favoreçam o ato de chamar atenção, aumentam a exposição aos predadores. Os machos assumem esse custo.

No jogo final da evolução, muitas vezes é mais importante se reproduzir e transmitir seus genes do que ter uma sobrevivência a longo prazo.

Intervém no processo de seleção natural

É importante destacar que a seleção natural é a sobrevivência dos organismos mais aptos da espécie para desenvolver seu papel em um nicho particular. Uma vez que machos e fêmeas frequentemente têm papéis diferentes em suas espécies, é possível que a seleção natural atue de forma diferente sobre eles.

Por exemplo, muitas aves fêmeas têm cores suaves que permitem que elas se misturem ao ambiente. Quando elas são responsáveis por proteger os ovos, as que tiverem cores mais apagadas serão mais capazes de se esconder dos predadores e, assim, sobreviver e transmitir seus genes.

1. Demônios do Mar: uma drástica diferença de tamanho

Na maioria dos casos, quando há diferenças de tamanho entre o macho e a fêmea de uma espécie, o macho é o maior. Contudo, em algumas espécies, a relação se inverte, com a fêmea apresentando o maior tamanho.

É muito interessante conhecer o caso extremo de dimorfismo sexual inverso em espécies de tamboril de águas profundas. Nessas espécies, as fêmeas crescem muito mais que o macho e são elas que possuem a isca característica que é usada para a caça. É o caso dos “Demônios do mar”, da família de peixes ceratiidae , famosos por sua isca bioluminescente.

Assim, as fêmeas de Ceratias holboelli chegam a medir 77 centímetros, enquanto os machos têm no máximo 14 centímetros. Mas há outro aspecto: os machos passam grande parte de suas vidas em um relacionamento parasitário.

Na verdade, um ou mais machos ficam permanentemente unidos (pela boca) a uma fêmea, chegando com o tempo a fundir seus sistemas circulatórios com os dela. Assim, eles formam uma quimera genética madura. Gradualmente, testículos grandes crescem no macho, enquanto o resto de seu corpo atrofia.

Louva-a-deus: reprodução
Não são apenas os vertebrados que apresentam dimorfismo sexual: muitos artrópodes também.

2. As matriarcas das baleias de barbatana também apresentam dimorfismo sexual inverso

É uma característica comum em todas as 13 espécies de baleias de barbatanas que as fêmeas adultas sejam muito maiores do que os machos.

Essa diferença pode se dever ao papel das fêmeas, que muitas vezes realizam migrações de longa distância entre suas áreas de alimentação e suas áreas tropicais de reprodução. Durante a migração, elas podem não se alimentar.

Além disso, as fêmeas sofrem o estresse adicional da gravidez e da lactação durante os períodos sem alimentação.

3. Dimorfismo sexual não é apenas visto, também pode ser ouvido

Em muitas espécies, de mamíferos a anfíbios, vocalizações sexualmente dimórficas podem ser vistas. Esse é o caso das baleias-jubarte, no qual apenas os machos cantam canções longas e elaboradas. A função dessas canções tem sido objeto de muita especulação: atrair as fêmeas ou evitar outros machos.

Nos locais de reprodução, podem sincronizar os cantos com o estro (cio) das fêmeas. O canto da baleia-jubarte é particularmente intrigante porque as canções mudam com o tempo. É interessante saber que todos os membros de uma mesma população de baleias cantam canções semelhantes.

4. A magnificência do pavão-comum: os olhos ganham

Enquanto as fêmeas são de cor marrom, cinza e creme, o pavão-comum macho é conhecido por sua extraordinária plumagem. Sua cauda elaborada se reflete em seu peso: os machos pesam entre 2,7 e 6 kg, e têm uma envergadura de 1,4 a 1,6 metros. Seu comprimento pode chegar a 2 metros.

A fêmea é menor, com cerca de 95 cm de comprimento e um peso de 2,75 a 4 kg.

Quando desdobrada, a cauda do macho se abre em um grande leque, exibindo penas douradas, marrons, verdes e pretas. Além disso, foi demonstrado que quanto maior a abundância de ocelos (manchas nos olhos) e a complexidade do padrão, maior o sucesso na conquista.

Em suma, não é de surpreender que os machos assumam o custo dessas exibições magníficas se isso levar a um maior sucesso reprodutivo.

Dimorfismo sexual do pavão: masculino e feminino.

Como pudemos ver, os dimorfismos sexuais dependem das espécies que os apresentam e de suas necessidades biológicas. Uma coisa é certa: os machos se preocupam mais em deixar sua marca na forma de descendências do que com seu bem-estar pessoal.

Pode interessar a você...
Peixes estranhos: a quimera das profundezas
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Peixes estranhos: a quimera das profundezas

A quimera das profundezas (ou simplesmente "quimera") é diferente dos outros peixes de muitas maneiras. A seguir, mais detalhes.