Disenteria em gatos: causas e sintomas

fevereiro 9, 2020
Pode ser difícil diagnosticar a disenteria em gatos: dependendo do segmento intestinal afetado, o sangramento nas fezes nem sempre fica avermelhado. Neste artigo, falaremos sobre o que você deve saber.

A disenteria em gatos e em outros animais é caracterizada por evacuações líquidas ou semilíquidas acompanhadas de sangue. Saiba mais sobre o tema a seguir.

A disenteria em gatos pode não ser fácil de detectar

Um dos problemas mais comuns em gatos é a diarreia e o desconforto gastrointestinal. Mesmo assim, dependendo do estilo de vida do seu gato, é possível não estar ciente do seus hábitos intestinais.

A maioria dos gatos defeca uma vez por dia. Em caso de deposição normal, o cheiro não deve ser muito forte e a sua consistência deve permitir que as fezes sejam manuseadas facilmente.

No entanto, o sangue nas fezes de um gato pode ser difícil de identificar. Se o sangue se origina no trato intestinal inferior, principalmente o cólon distal – o intestino grosso – ou a região retal, é mais provável que apareça um sangue fresco.

Como você pode detectá-lo? Muitas vezes, gotas ou manchas vermelhas ou rosadas são descobertas nas laterais da caixa de areia e na parte superior das fezes.

Por outro lado, se o sangramento se originar na parte superior do trato intestinal, particularmente no intestino delgado, será preto ou marrom. Essa mudança de cor é decorrente da digestão parcial do sangue por enzimas secretadas no intestino delgado. Esse sangue geralmente aparece como manchas escuras ou parecidas com grãos de café.

É importante ter em mente que a constipação e a diarreia podem causar sangue nas fezes dos gatos. Sangue vermelho brilhante sem diarreia ou fezes duras e secas geralmente indicam que o problema está mais próximo do reto e do ânus.

Sistema digestivo dos gatos

Quais são as causas da disenteria em gatos?

Esta seria uma lista exaustivamente longa se nos aprofundássemos em tudo que pode causar disenteria em gatos, mas estas são algumas das causas principais:

  • Parasitas.
  • Infecções virais ou bacterianas.
  • Indiscrição alimentar ou mudança repentina na dieta.
  • Estresse: estresse, ansiedade ou excitação podem causar colite.
  • Desordens inflamatórias primárias.
  • Doenças metabólicas: desde distúrbios do pâncreas ou fígado até desequilíbrios da tireoide, existem muitos outros problemas que alteram a motilidade ou o ambiente do trato gastrointestinal e podem causar diarreia sanguinolenta.
  • Medicamentos ou toxinas: pouco se sabe sobre o fato de que certos medicamentos, incluindo alguns antibióticos, podem alterar o trato gastrointestinal, assim como certas toxinas.

Como agir diante desse problema?

Como existem muitas causas potenciais de quadros de disenteria em gatos, é importante consultar o veterinário regularmente. É óbvio que muitas das causas da diarreia precisam de um tratamento específico. Em caso de disenteria, você deve sempre consultar o veterinário.

Em casa, o principal é manter a hidratação. É muito importante evitar a desidratação e o desequilíbrio eletrolítico.

Gato sem apetite

Sintomas associados

Em geral, se o seu gato tiver fezes levemente moles, mas ainda estiver feliz, brincalhão e comendo normalmente, provavelmente você pode esperar para ver como será o próximo movimento intestinal do bichano. Alguns motivos para alarme são:

O que você deve fazer se observar sangue nas fezes do seu gato?

Diante de qualquer alteração nos movimentos intestinais do seu gato, informe o veterinário imediatamente. Lembre-se de que as fezes soltas pela manhã podem causar diarreia desidratante durante a noite.

O sangue nas fezes, vermelho ou preto, é sempre preocupante. O sangue escuro digerido pode indicar uma condição séria, enquanto o sangue vermelho pode ser qualquer coisa, desde alterações benignas causadas por alimentos até câncer.

Em resumo, se você notar algo estranho nas fezes do seu gato, não demore para buscar ajuda veterinária. Não espere que o problema se resolva sozinho. O melhor conselho é continuar observando a caixa de areia do seu gato para agir a tempo.

  • Vaden, S. L., Knoll, J. S., Smith Jr, F. W., & Tilley, L. P. (Eds.). (2011). Blackwell’s Five-Minute Veterinary Consult: Laboratory Tests and Diagnostic Procedures: Canine and Feline. John Wiley & Sons.
  • Willard, M. D., & Tvedten, H. (2011). Small Animal Clinical Diagnosis by Laboratory Methods-E-Book. Elsevier Health Sciences.
  • Greene, C. E. (2013). Feline Enteric ViralInfections. Infectious Diseases of the Dog and CatE-Book, 80.