Doenças do gato ragdoll

Existem muitas doenças que são comuns no gato ragdoll. Algumas surgem por predisposição genética, enquanto outras são causadas pelo ambiente do animal.
Doenças do gato ragdoll

Última atualização: 21 dezembro, 2021

Os gatos de raça pura são mais propensos a certas doenças hereditárias. Isso se deve à seleção artificial realizada pelo ser humano, uma vez que seu genoma foi alterado ao longo de gerações por cruzamentos sucessivos para favorecer o aparecimento de certas características em detrimento de outras. Aqui vamos apresentar as doenças do gato ragdoll, um animal de estimação tão bonito quanto delicado.

Embora essa raça de felino seja resistente e goze de uma saúde geral geral adequada, apresenta certas doenças típicas por razões genéticas e ambientais. Aqui nós os mostramos quais são para que você possa detectá-las em seu animal de estimação antes que seja tarde demais. Não perca!

As doenças mais comuns do gato ragdoll

O gato ragdoll teve origem nos Estados Unidos (Califórnia) nos anos sessenta. Desde então, tornou-se numa das raças de gatos mais populares pela sua bela aparência, pela sua tranquilidade inusitada e pela sua natureza amigável. Na verdade, seu nome comum deriva de como pouco incomoda a esses gatos serem segurados e abraçados.

Além de seu bom humor, os ragdolls são conhecidos por tolerarem bem a dor e mascará-la. Isso não significa que não sofram, mas que pode ser difícil detectar uma patologia em seus estágios iniciais em gatos dessa raça. Portanto, recomendamos que você conheça as seguintes doenças típicas do ragdoll e aprenda a detectar os primeiros sinais de desconforto em seu animal de estimação.

Um gato ragdoll.

1. Periodontite

Essa patologia não é exclusiva dessa raça, pois afeta quase todos os felinos (independentemente de sua genética e condição). Os problemas dentários são extremamente comuns em gatos com mais de 3 anos, pois até 85% deles apresentam algum tipo de lesão bucal devido à falta de cuidados à medida que envelhecem.

Quando o tártaro se acumula nos dentes do animal, ocorre a gengivite, que se não for tratada evolui para a periodontite. Esse quadro corresponde a uma infecção na gengiva, que se manifesta com sangramento na boca, vermelhidão, falta de apetite e até perda dentária. Essa condição precisa ser tratada com antibióticos e possível intervenção cirúrgica.

2. Cardiomiopatias

Conforme indicado por fontes profissionais, as cardiomiopatias são todas as condições que afetam o músculo cardíaco de uma forma ou de outra. A variante mais comum de todas nesse grupo é a cardiomiopatia hipertrófica, que consiste em um espessamento do tecido cardíaco devido a desequilíbrios fisiológicos (especialmente hormonais).

Existe uma certa predisposição genética para apresentar essa condição e o ragdoll é uma das raças mais afetadas. Além disso, os sintomas que gera costumam ser bastante leves no início e difíceis de detectar (respiração rápida, letargia e falta de apetite). Existem certos testes genéticos que podem ser realizados para diagnosticar essa doença em qualquer momento da vida do felino.

Até 20% dos ragdolls têm cardiomiopatia hipertrófica. Sem dúvida, é uma das condições mais graves da raça.

3. Tromboembolismo arterial

Tromboembolismo, também conhecido como embolia arterial, ocorre quando um coágulo (trombo) se forma em um vaso sanguíneo e viaja para uma artéria mais fina para se incorporar a ela e impedir o fluxo sanguíneo. Em gatos, o mais comum é que os trombos se alojem nos membros posteriores, causando claudicação, paralisia e frio ao toque.

O ragdoll está sujeito a essa condição. Além dele, o shorthair britânico, o maine coon e outras raças também apresentam certa predisposição.

4. Doença renal policística

A doença renal policística, conhecida como PKD por sua sigla em inglês, é uma doença genética, progressiva e irreversível que causa danos letais aos rins do gato. Ela se deve a mutações nos genes envolvidos na manutenção do rim (PKHD1, PKHD2 e outros), e algumas raças são mais propensas a ela do que outras. Sem dúvida, o persa é o mais afetado.

Fontes profissionais estimam que até 10% dos ragdolls apresentam sinais de doença renal crônica, embora apenas 3% deles manifestem PKD. Os sintomas mais comuns dessa condição são perda de apetite, perda de peso, náuseas, vômitos e sede excessiva. O único tratamento possível é o suporte, pois não há solução para essa condição.

Essa não é uma das doenças mais comuns do gato ragdoll, mas é uma das mais importantes.

5. Tumores de mastócitos

Os mastócitos representam um tipo bastante agressivo de câncer de pele. São massas de mastócitos (corpos celulares distribuídos por todo o corpo e envolvidos em reações alérgicas) que, em conjunto, se tornaram cancerígenos. Os caroços parecem firmes, têm cor rosada e não apresentam pelos ao redor.

Por outro lado, também existem formas tumorais internas que se originam no baço e tendem a se espalhar para o fígado, o intestino, os gânglios linfáticos e os pulmões. Nesses casos, os sinais clínicos variam de acordo com a área mais afetada.

O tratamento inicial é a remoção cirúrgica dos tumores, sempre que possível. Se houver sinais de metástase, a quimioterapia e a radioterapia também podem ser usadas. O prognóstico varia muito em cada caso e depende do número de tumores presentes no corpo do felino.

A maioria das saliências na pele dos gatos é de natureza benigna. De qualquer forma, nunca é demais ser cauteloso e levar o animal ao veterinário assim que detectar um caroço.

Um gato ragdoll em sua cama.

A prevenção é a melhor opção

Como você pode ver, existem várias doenças comuns dos gatos ragdoll. Algumas delas são típicas da raça, enquanto outras têm altas prevalências em todos os felinos domésticos, independentemente de seu fundo genético. Seja como for, é necessário reconhecer que esse animal apresenta alguns problemas associados ao seu cruzamento (especialmente a cardiomiopatia).

A melhor maneira de evitar qualquer doença genética em gatos domésticos de raça pura é realizar testes de DNA nos gatos antes de cruzá-los. Muitas dessas condições são detectáveis antes da ocorrência dos sintomas e é dever dos tutores não reproduzir felinos com mutações deletérias. Essa é a única maneira de garantir que os descendentes sejam saudáveis e preciosos em igual medida.

Pode interessar a você...
Lykoi, o gato lobo: tudo sobre esta raça
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Lykoi, o gato lobo: tudo sobre esta raça

Uma das mais novas e estranhas raças de felinos domésticos. Neste artigo, você poderá conhecer o maravilhoso lykoi ou gato-lobo.