Doñana: a fauna de um lugar encantador

março 14, 2019
Graças à grande extensão de Doñana e à sua variedade de ecossistemas, a biodiversidade é enorme e protege diversas espécies ameaçadas ou em perigo de extinção.

O Parque Nacional de Doñana é um espaço natural protegido enorme localizado na Andaluzia, Espanha.

Seus mais de 116 mil hectares são considerados atualmente uma das mais importantes reservas naturais do continente europeu.

Este título se deve à variada fauna e flora que habitam toda a sua extensão, incluindo inúmeras espécies em risco de extinção.

A seguir, convidamos você a descobrir a fauna deste local encantador e o que faz com que ele seja tão especial e importante para a preservação na Europa.

Ecossistemas e clima do Parque Nacional de Doñana

Entre as paisagens maravilhosas de Doñana encontramos três ecossistemas principais: o matagal mediterrâneo, com terrenos arenosos e algumas regiões inundadas, a marisma e as florestas de pinheiros.

O clima predominante é o mediterrâneo, que se caracteriza por verões secos e invernos relativamente úmidos. No entanto, as épocas de chuvas mais intensas chegam durante a primavera e principalmente no outono.

As temperaturas do parque são amenas durante todo o ano, registrando uma média de 17 °C. As temperaturas máximas no verão podem chegar aos 30 °C, enquanto as mínimas no inverno raramente são menores do que 8 °C.

As aves, grandes protagonistas da fauna de Doñana

A fauna típica de Doñana se caracteriza por sua grande biodiversidade de aves. De fato, foram catalogadas mais de 360 espécies de aves que vivem de forma permanente ou transitória no parque. Entre elas, há cerca de 125 espécies que se reproduzem habitualmente em seus ecossistemas.

Espécies de aves em Doñana

Este parque nacional também é um ponto chave nos trajetos das aves que migram entre a África e a Europa.

Além disso, é o berço de preservação de diversas espécies nativas da Espanha e do continente europeu que estão ameaçadas de extinção.

Algumas espécies de aves encontradas em Doñana

Entre a ampla variedade de espécies que podemos encontrar na fauna local, podemos mencionar as seguintes:

  • Patos
  • Estorninho
  • Flamingos
  • Garça real
  • Andorinha
  • Pardal
  • Coruja-das-torres
  • Martim-pescador
  • Pato real
  • Rouxinol
  • Ganso
  • Coruja-pequena
  • Abutres
  • Corvo
  • Codorniz
  • Gavião
  • Cotovia
  • Águias

Outros animais típicos de Doñana

No Parque Nacional de Doñana também foram catalogadas mais de 35 espécies de mamíferos, 20 de peixes de água doce, 10 espécies de anfíbios e 13 répteis. A seguir, listamos algumas das mais emblemáticas moradoras do parque.

Mamíferos

Gato selvagem

  • Lince ibérico
  • Gato-selvagem
  • Javalis
  • Cavalos
  • Vaca marismeña
  • Ouriço-terrestre
  • Cervo
  • Coelho do campo
  • Morcegos

Répteis e anfíbios

Cobra em Doñana

  • Serpentes
  • Tartaruga-grega
  • Camaleão comum
  • Cágado-de-carapaça-estriada
  • Rãs
  • Sapos
  • Lagartixas
Sapo em Doñana

Peixes

Enguias

  • Enguia (espécie nativa)
  • Carpa, peixe-mosquito e lúcio (espécies invasoras)

Espécies ameaçadas de extinção em Doñana

Embora a reserva seja habitat de muitas espécies vulneráveis ou em risco de extinção, há dois animais que se destacam como os mais ameaçados. As espécies com maior risco em Doñana são o lince ibérico e a águia imperial.

Lince ibérico

O lince ibérico é considerado atualmente o felino mais ameaçado do planeta. Sua população se reduziu a este parque e aos parques nacionais de Sierra de Ándujar e Cardeña.

Lince ibérico

A Reserva Natural da Serra da Malcata, em Portugal, tenta recuperar a população destes felinos.

Em Doñana encontramos o Centro de Criação de El Acebuche, onde há um programa de criação de linces ibéricos em cativeiro.

Além dos 11 exemplares nascidos no local, o centro também monitora cerca de 30 animais capturados no parque.

A águia imperial

A situação da águia imperial é tão preocupante quanto a do lince ibérico, já que se trata de uma das aves em maior risco de extinção da Europa.

Atualmente no Parque de Doñana foram registrados apenas 10 casais desta espécie, e seus ecossistemas estão entre os poucos refúgios restantes.

Águia imperial