Existe alergia da primavera em cães?

· setembro 6, 2018
Certamente, isso vai além de alguns espirros, pois alergias podem afetar várias partes do corpo do animal. Para evitá-la, existem vários procedimentos simples que impedem a casa de ficar impregnada de pólen.

Pelo menos um em cada sete cães sofre de reações alérgicas, que são exacerbadas em certas épocas do ano. Como nos humanos, a alergia da primavera em cães é causada pelas variações climáticas típicas da estação.

Alergias são uma resposta do sistema imunológico à exposição a substâncias alergênicas. Elas podem afetar a pele, o trato respiratório ou o sistema digestivo do animal.

A hipersensibilidade ao pólen é a primeira causa da alergia da primavera, em cães e em humanos. Quando essas partículas, liberadas pelas plantas durante a fase de reprodução, são inalados, os sintomas que requerem atenção médica começam a se manifestar.

Sinais inequívocos de alergias da primavera em cães

Os desconfortos são diferentes em cada animal; mas quando se trata de alergias ao pólen, existem alguns mais comuns. O mais visível é a vermelhidão na pele, que o cão passa a lamber e a morder com maior intensidade. De fato, observaremos que o animal tende a se esfregar contra paredes ou objetos para aliviar a coceira.

Este prurido pode afetar partes sensíveis, como focinho, axilas, orelhas e o contorno dos olhos. Em casos mais extremos, os cães geralmente perdem pelos em algumas partes do corpo.

Doenças oculares em cães

Eles também podem ter conjuntivite, espirros, diarreia, vômitos, ronquidão e inchaço na garganta. Quando a coceira se dá na base da cauda, ​​geralmente é causada por uma alergia a pulgas. Daí a necessidade de aprender a diferenciar as reações.

Mal-estar ao ar livre

Quando há um diagnóstico de alergia da primavera em cães, o contato com a natureza não será recomendado. Os sintomas pioram ou aparecem quando o cachorro passeia no jardim, no quintal ou perto das plantas. Os animais de estimação ficarão ansiosos e as lambidas irão aumentar.

Os arbustos e gramados que eles tendem a cheirar ou morder desencadearão espirros e seu comportamento mudará. Ao perceber essas irregularidades, é necessário afastar nosso amigo daquele ambiente que gera desconforto.

Nem sempre é fácil proteger os cães de agentes como o pólen. Mas, se a alergia foi diagnosticada pelo veterinário, sua exposição ao alérgeno deve ser minimizada.

Como evitar alergia da primavera em cães?

A chave é reduzir as consequências da alergia. Toda vez que os cães saírem para passear, é essencial limpar as almofadinhas das suas patas ao retornar, pois as ranhuras ou dobras servem como um abrigo para o pólen. A higiene destas áreas é a principal norma de prevenção.

higiene com animais

Os habitantes da casa também devem tomar medidas para evitar contaminar o local com pólen. Uma das soluções é sacudir os sapatos ao entrar ou, ainda, tirar os sapatos. Também é positivo aspirar o chão, para mantê-lo livre de poeira e outras partículas.

Outras alergias da estação

Na primavera, existem outras alergias que podem afetar os cães; é o caso daquelas causadas ​​por picadas de pulgas. Quando elas surgem, aparecem sinais visíveis na pele e queda de pelos.

Para evitar a ação desses insetos, é necessário fornecer antiparasitários aos cães antes do início da temporada. Existem também xampus e medicamentos injetáveis ​​que impedem seu surgimento. É importante que, antes de aplicar qualquer medicação, um veterinário seja consultado.

Uma alergia alimentar é outra patologia comum. Embora não ocorra com tanta frequência quanto as anteriores, possui uma solução simples: será suficiente fazer as mudanças necessárias na dieta.

Como fortalecer o organismo do animal?

Todos os cães estão propensos a sofrer de sintomas alérgicos e uma forma de preveni-los é fortalecer o sistema imunológico deles. A chave é oferecer-lhe os nutrientes essenciais para o seu corpo.

Está provado que os alimentos que contêm quantidades elevadas de ácidos graxos ômega 3 e antioxidantes evitam alergias e aumentam as defesas. Se estes elementos fizerem parte do menu de seus animais de estimação, eles estarão menos propensos ao ataque de bactérias e vírus.

Pastor alemão

Outra maneira de controlar essas condições é usar produtos especializados para sua pelagem e cuidar da pele de seu pet.

Além disso, check-ups regulares com o veterinário também são uma prioridade para garantir a saúde integral dos cães.

Atenção para as mudanças em seu cão

Está provado que a maioria dos cães alérgicos mantém essa condição por toda a vida. Entre o primeiro e terceiro ano de idade, os primeiros sintomas aparecem, mas, com o devido cuidado, diminuem com o passar dos anos.

A pele saudável é a barreira mais forte contra alergias. Cuidando bem ela, os efeitos, tanto dos alérgenos quanto os microrganismos e de outros agentes, serão minimizados. Se houver pouco brilho, secura, enfraquecimento ou queda de pelos, estes são sinais de doença. O mesmo acontece se houver verrugas, vermelhidão, infecção, escurecimento ou inflamação.

Quando há suspeita de alergia da primavera em cães, também é preciso ficar de olho no apetite e no humor do animal. Em tudo isso, há sinais de alerta que não podem ser ignorados.