12 sintomas de que seu gato está estressado

Os gatos são animais muito reservados e fogem facilmente daquilo que não gostam. Detectar os motivos do estresse é fundamental para uma boa convivência.
12 sintomas de que seu gato está estressado

Última atualização: 20 Outubro, 2021

Como qualquer tutor felino saberá, os gatos são animais muito reservados e às vezes é difícil detectar mudanças em seu comportamento. Conhecer os sintomas de que seu gato está estressado é fundamental, uma vez que esses animais são bastante propensos a sintomas emocionais diante de mínimas alterações.

Como os gatos mantêm um instinto selvagem marcante, eles são especialistas em esconder suas emoções para não se mostrarem vulneráveis. Seja por estressores externos ou por doenças em seu próprio corpo, os gatos podem ficar estressados e muito provavelmente o tutor não vai nem notar.

Continue lendo para aprender a detectar esse quadro emocional em seu animal de estimação, pois apresentamos 12 sintomas de que seu gato está estressado. Se você notar esses sinais por mais de alguns dias, não deixe de procurar um veterinário (ou um educador, no caso de doenças físicas estarem descartadas).

1. Urina fora da caixa

Quando o seu gato urina fora da caixa de areia, isso nunca é um bom sinal. Os felídeos são animais muito limpos e rotineiros por natureza, então eles nunca mudam o lugar de fazer suas necessidades sem motivo. Pode ser que o estresse seja um gatilho ou, ao contrário, que a incontinência urinária seja decorrente de um problema fisiológico.

2. Orelhas caídas

Os mamíferos se comunicam de forma excelente graças à musculatura presente nas (e perto) das orelhas. Os humanos não podem movê-las, mas os gatos são capazes de direcionar seus ouvidos na direção dos estímulos para melhor localizá-los. Eles também usam esses músculos faciais para mostrar suas emoções, embora de forma sucinta.

Um dos sintomas mais comuns de estresse do gato é quando suas orelhas estão “achatadas” e para trás. O animal também tenderá a encostar o corpo no chão e eriçar os bigodes. Se o felino adotar essa posição, é melhor não tocar nele.

Um gato muito zangado fora de uma casa.

3. Está menos tolerante

Os gatos não são seres muito sociais, mas isso não significa que não gostem da companhia de seu tutor de vez em quando. Se, ao tentar se aproximar do seu gato, ele fugir imediatamente ou atacá-lo quando você tentar pegá-lo, é provável que esteja muito estressado. Essa falta de sociabilidade pode se dever a um estressor externo ou má educação.

Se for adotado, a falta de tolerância do felino pode se dever a experiências traumáticas anteriores.

4. Esconde-se mais

Os felinos são mestres em se esconder: se não quiserem ser vistos, um humano pode passar dias sem encontrá-los. É normal que esses animais tenham seus locais de descanso favoritos, mas se ficarem neles o tempo todo (ou estiverem procurando áreas ainda mais isoladas) é hora de suspeitar. Existe um novo membro da família? Tem havido barulho em casa recentemente?

5. Está com diarreia

O estresse promove a aceleração dos movimentos intestinais. Se a taxa de digestão é aumentada, o corpo do animal absorve menos fluidos, então as fezes provavelmente serão mais frequentes e aquosas. Por esse motivo, a diarreia é considerada um dos principais sintomas de estresse no gato.

6. Come muito

O termo adequado para se referir ao aumento da ingestão de alimentos em um ser vivo é polifagia. O ambiente pode encorajar o gato a comer muito mais do que o normal, mas os centros de apetite do animal também podem ser alterados por um distúrbio cerebral.

Esse sintoma é muito mais subjetivo do que os outros mencionados. Por isso, é melhor levar o animal ao veterinário antes de impor uma dieta ou reduzir sua alimentação. Lembre-se de que o ritmo de alimentação dos animais varia naturalmente dependendo da idade e do estado fisiológico.

7. Come muito pouco

Esse é um sintoma muito mais comum que o anterior de que o gato está estressado. Quando um animal está cronicamente estressado ou ansioso, a primeira coisa que ele faz é parar de se alimentar (e de se reproduzir). Nesse caso, você pode ver como o felino perde peso com o tempo e suas costelas começam a aparecer.

8. Come coisas que não deveria

A ingestão de elementos que não possuem valor nutricional (plásticos, tecidos, terra e outros) é conhecida clinicamente como pica. Esse comportamento pode ser um dos sintomas de estresse no gato, embora às vezes também indique uma doença grave que só pode ser resolvida com a ajuda de um educador. É um assunto sério, pois a pica favorece bloqueios intestinais.

9. Higieniza-se em excesso

Como já dissemos, os gatos são famosos por sua obsessão com a limpeza. É normal que lambam a camada de pelo para se higienizar, mas não que façam isso até que a área fique careca ou causem perda de sangue. Lambidas excessivas podem indicar um problema fisiológico ou falta de estimulação ambiental (já que às vezes faz parte do grupo das estereotipias ).

As estereotipias ocorrem quando o animal carece de estímulos. Lambidas excessivas, perseguição da cauda e “caçar moscas” são comportamentos comuns em gatos.

10. Letargia geral

Um gato dorme em média de 12 a 16 horas por dia. É normal ver o animal deitado a maior parte do dia, mas é preocupante que não queira brincar ou não responda aos estímulos. Felinos estressados ou doentes perdem o interesse por todas as atividades físicas: qualquer que seja o motivo, esse sintoma exige uma visita ao veterinário.

11. Vocaliza muito

Uma das coisas mais irritantes para um tutor é quando seu felino não para de miar. Se você notar que seu animal está constantemente vocalizando, tente localizar o estímulo que chama sua atenção. É provável que não encontre nada e, neste caso, é necessário levá-lo ao veterinário. O miado pode ser um sinal de dor causado por uma doença.

12. Movimenta-se de forma exagerada

Um dos sintomas de estresse no gato é representado pela velocidade dos seus movimentos. Esses animais são rápidos e precisos, mas não é normal que saltem um metro de altura sempre que uma porta é fechada ou quando alguém fala. A facilidade de se assustar e a resposta de fuga exagerada indicam que o animal não se sente seguro em seu ambiente.

Um gato de Cingapura.

Como você pode ver, os sinais de estresse em gatos são muito sucintos. Como tutor, você deve prestar atenção especial ao comportamento do seu felino para evitar que essa condição se torne crônica. O primeiro passo para detectar qualquer um desses sintomas é ir ao veterinário e receber um diagnóstico. Depois disso, você deve trabalhar para reduzir o estresse do animal.

Pode interessar a você...
Uma empresa adotou vários gatos para combater o estresse
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Uma empresa adotou vários gatos para combater o estresse

Interagir com animais no trabalho é um prática que está se tornando comum. Por isso, uma empresa adotou vários gatos e obteve resultados incríveis.